Estádios do Noroeste Paulista – Parte 6: Bálsamo

Brasão de Bálsamo

Bálsamo

Saímos de Mirassol e finalmente conhecemos a SP-320, a Rodovia Euclides da Cunha.

Mas, nem bem andamos por ela e já entramos na primeira cidade da estrada: Bálsamo.

Bálsamo

Bálsamo é uma cidade muito bonita e também bem tranquila. Lá, vivem cerca de 8 mil pessoas.

Bálsamo

A praça da cidade, bem cuidada, cheia de árvores, sem dúvida um ambiente mais saudável do que vivemos nas grandes cidades.

Praça de Bálsamo

Bálsamo

A cidade está diretamente ligada ao agronegócio e consequentemente ao comércio e serviço.

Bálsamo

E ali está a igreja, característica do interior paulista.

Igreja - Bálsamo

Nossa meta era conhecer o estádio municipal, onde o Bálsamo F.C. mandou seus jogos na terceira divisão de 1986.

O Bálsamo F.C. foi registrado na Federação como Grêmio Recreativo e Esportivo Balsamense (GREB), já que para se inscrever no campeonato, era necessário estar ligado a algum clube.

Assim, o Bálsamo F.C. mantido pela prefeitura da cidade, utilizava o GRE Balsamense, clube social, para regularizar sua inscrição.

A história do time se mistura à história do futebol da cidade, que fazia história desde muito antes de 1986, quando se oficializa o nascimento do Bálsamo F.C.

O futebol fez história na cidade desde sempre. Aqui, o time da cidade na década de 40:

Aqui, o time infantil da cidade, de 1965, que manteve-se invicto por mais de 2 anos:

Infantil do Bálsamo FC

E o lugar que alimentava o futebol local era o Estádio Municipal Manuel Francisco Ferreira:

Estádio Municipal Manuel Francisco Ferreira
A construção do estádio foi finalizada em 1968, na época com capacidade para pouco mais de mil torcedores.

Estádio Municipal Manuel Francisco Ferreira

Com sua arquibancada de concreto armado e cobertura de alumínio, o estádio foi, na época, considerado um dos melhores da região.

Estádio Municipal Manuel Francisco Ferreira

O Estádio foi a casa do Bálsamo F.C. no campeonato de 1986, que viu o time local terminar a competição em 9º lugar do grupo marrom, em que também estavam as equipes do Olímpia, Guairense, SOREA Auriflama, União Potirendaba, Paulista Nhanbera, Riolândia, CA Nevense, Buritama e Monte Aprazível.

O GRE Descalvadense sagraria-se campeão da Terceira Divisão daquele ano.

Estádio Municipal Manuel Francisco Ferreira

O estádio passou por recentes reformas e agora possui uma capacidade para até 8 mil torcedores, entretanto, seguindo às tendências dos grandes estádios, transformou-se em um centro de exposições, reunindo eventos e shows no mesmo espaço destinado ao futebol.

Estádio Municipal Manuel Francisco Ferreira

Estádio Municipal Manuel Francisco Ferreira

Em tempos de diversão fácil e garantida, de celulares a preços módicos com internet e facebook disponíveis 24 horas por dia sei que dificilmente o futebol voltará a ter a força que teve outrora. Principalmente quando falamos de times de cidades distantes dos grandes centros urbanos.

É uma luta contra o gigante, mas eu acredito!

 Estádio Municipal Manuel Francisco Ferreira

APOIE O TIME DA SUA CIDADE!!!

3 Respostas to “Estádios do Noroeste Paulista – Parte 6: Bálsamo”

  1. Moacir Zacarias disse:

    Muito boa a iniciativa de visitar e publicar os estádios do interior.
    Existe uma rivalidade muito grande entre essas cidades. São feitos verdadeiros clássicos regionais com muita rivalidade nesses locais.
    Eu mesmo joguei muito em Bálsamo e região e essa matéria me emociona.

    Obrigado por essa iniciativa.


Deixe um comentário

*