Em busca do Estádio perdido em Cananéia!

Brasão de Cananéia

A ideia do As Mil Camisas é registrar a lembrança dos clubes de futebol, mas em alguns casos, a história das cidades é tão interessante que merece um mínimo de detalhamento.

Este é o caso de Cananéia, considerada por alguns como o primeiro povoado do Brasil, graças a um personagem polêmico da história brasileira: Cosme Fernandes, o “Bacharel de Cananéia“, retratado abaixo pelo pintor Carlos Fabra.

Bacharel de Cananeia

Existe uma linha de historiadores que defende que antes da chegada de Pedro Álvares Cabral, Portugal já enviara diversas expedições secretas ao Brasil, e em uma delas, teria desembarcado na Ilha do Cardoso, o tal “Bacharel” que seria responsável por em 1498, criar um povoado na região da Cananéia. Esse é uma representação do Duarte Pacheco, um dos que podem ter trazido o Bacharel:

Duarte Pacheco

Mesmo a versão aceita pela maioria dos historiadores também é incrível.

Ela diz que o Bacharel teria chegado à Cananéia em 1502, na expedição de Gonçalo Coelho e Américo Vespúcio (figura abaixo), e que teria ajudado Martim Afonso a fundar oficialmente a cidade, em 1531.

Américo Vespúcio

De uma forma ou outra, o Bacharel de Cananéia entrou pra história por ser um dos primeiros europeus a viver no Brasil, casando-se com a índia Caniné e se tornado parte do povo local, mais ou menos como João Ramalho (ilustrado abaixo) fez aqui pelas bandas do ABC.

João Ramalho

A presença do Bacharel serviu de muita valia em alguns momentos (por estar intergado aos índios), mas em outros ele foi um verdadeiro vilão para os portugueses.

O povo de São Vicente que o diga, quando foi quase dizimado pelo Bacharel que aliado aos índios Carijós e aos espanhois, em retaliação a uma tentativa de ataque – que também foi fulminada – em plena Cananéia.

indios carijos

A cidade acabou sendo esquecida, quando a Espanha conquistou o Império Inca (conhecido como o “reino branco” por causa da prata abundante) fazendo com que Portugal desistisse de enviar expedições ao sul do Brasil na tentativa de encontrar essa prata.

Esse abandono evitou ainda mais polêmicas, uma vez que o tratado de Tordesilhas passava especificamente pela cidade de Cananéia.

Marco do tratado de tordesilhas

Não é a toa que a entrada da cidade reforça sua importância nas navegações européias do século XVI!

Cananeia

Embora ainda pouco visitada pelo turista em geral, a cidade já se preparou para oficializar sua história, com o Museu Municipal.

Museu histórico da Cananeia

Museu da Cananéia

Bacharel da Cananéia

MApa

Conseguimos pegar um pouco da Festa do Mar, um evento que reúne as pessoas em torno da gastronomia e cultura local.

Festa do Mar - Cananéia 2019

Além de tanta história, Cananéia possui uma incrível fauna e flora, distribuídos entre suas ilhas. É sem dúvidas um paraíso ecológico, como comprova a Guará de cor vermelha, linda!

Guará

A série de ilhas que rodeiam o continente nessa região carregam consigo boa parte da história do nosso país desde a ocupação indígena até os dias atuais.

Quem sabe bastante disso é o historiador local João Borges, que dividiu conosco um pouco sobre o passado da Cananéia.

Cananéia

Com tanta informação e inspiração, fomos atrás do templo local do futebol: o Estádio Municipal Édison Batista Teixeira, onde o Clube Atlético Cananéia mandou seus jogos.

Estádio Municipal Édison Batista Teixeira - Clube Atlético Cananéia

O site Só Futebol soltou uma camisa réplica (ou quase isso) (clique aqui se você tiver interesse):

Já o site Cacellain apresentou uma imagem diferente do que teria sido a camisa:

Esse é o muro do Estádio:

Estádio Municipal Édison Batista Teixeira - Cananéia

Uma de suas entradas com o que costumava ser a bilheteria (ali já fechada do lado direito):

Estádio Municipal Édison Batista Teixeira - Clube Atlético Cananéia

Vamos dar uma olhada lá dentro?

O Estádio possui dois lances laterais de arquibancada. Coloridas e tudo!

Estádio Municipal Édison Batista Teixeira - Clube Atlético Cananéia

Aqui, o gol esquerdo:

Estádio Municipal Édison Batista Teixeira - Clube Atlético Cananéia

O gol direito:

Estádio Municipal Édison Batista Teixeira - Clube Atlético Cananéia

O Clube Atlético Cananéia foi fundado em 1986 para representar a cidade na Terceira Divisão do Cmapeonato Paulista de 1986. E foi aí no Municipal que o time mandou seus jogos!

Estádio Municipal Édison Batista Teixeira - Clube Atlético Cananéia

A Terceira Divisão do Paulista de 1986 ficou conhecida por ter o maior número de clubes na história: 77.

O grupo do CA Cananéia era formado pelo Comercial de Registro; a AA Cotia, o Desportivo Embu, o Embu Guaçu; o G.E. Taboão (São Bernardo do Campo), o Jabaquara, o Palestra de São Bernardo e o Paulistano de São Roque.

Essas arquibancadas puderam ver boas partidas naquele ano!

Estádio Municipal Édison Batista Teixeira - Clube Atlético Cananéia

O time não passou da primeira fase, mas fez boas partidas, e ainda perdeu os 3 pontos que conquistou no jogo em Registro e ainda deu um WO contra o Embu Guaçu.. Confira todos os resultados:

03/08/86 – Cananéia 3 x 1 Comercial de Registro

09/08/86 – Palestra 2 x 1 Cananéia

17/08/86 – Cananéia 3 x 1 Cotia

24/08/86 – Paulistano 0 x 0 Cananéia

31/08/86 – Cananéia 3 x 1 Embu0

7/09/86 – Taboão 2 x 2 Cananéia

14/09/86 – Cananéia 0 x 1 Embu Guaçu

01/10/76 – Jabaquara 0 x 0 Cananéia

04/10/86 – Comercial de Registro 1 x 2 Cananéia

12/10/89 – Cananéia 0 x 0 Palestra

19/10/86 – Cotia 2 x 4 Cananéia

26/10/86 – Cananéia 1 x 2 Paulistano

02/11/86 – Embu 2 x 0 Cananéia

09/11/86 – Cananéia 1 x 1 Taboão

23/11/86 – Embu Guaçu – x – Cananéia

09/11/86 – Cananéia 1 x 1 Taboão

26/11/86 – Cananéia  0 x 0 Jabaquara

Estádio Municipal Édison Batista Teixeira - Clube Atlético Cananéia

Como resultado na tabela, o Clube Atlético Cannéia não obteve grande êxito, num grupo com nove times, terminou em quinto, não se classificando para a próxima fase, mas o time acabava de colocar Cananéia no mapa do futebol profissinal para a eternidade.

Estádio Municipal Édison Batista Teixeira - Clube Atlético Cananéia

Olha aí o banco de reserva:

Estádio Municipal Édison Batista Teixeira - Clube Atlético Cananéia

Ao fundo, as montanhas relembram o valor ecológico da região (praqueles lados está a divisa com o Paraná).

Estádio Municipal Édison Batista Teixeira - Clube Atlético Cananéia

Só por curiosidade, embora não possua um time profissional, na hora de voltar à Itanhaém passamos por Pariquera-Açu (que na na língua tupi, significa “barragem grande e velha de peixes”) e registramos o Estádio Municipal Lauro Lobo que se limita a receber partidas amistosas e o futebol amador regional.

Estádio Municipal Lauro Lobo - Pariquera-Açú

O gramado apresenta-se muito bem cuidado!

Estádio Municipal Lauro Lobo - Pariquera-Açú

E ali na parede se pode conferir o registro do nom do estádio.

Estádio Municipal Lauro Lobo - Pariquera-Açu

APOIE O TIME DA SUA CIDADE!!!

2 Respostas to “Em busca do Estádio perdido em Cananéia!”

  1. Luiz Carlos Marques disse:

    Apaixonante a matéria…viajei na história.


Deixe um comentário

*