Os Estádios do Grêmio Mauaense e o futebol em Mauá

Seguimos registrando os estádios do ABC e hoje vamos falar dos que foram utilizados pelo Grêmio Esportivo Mauaense, na cidade de Mauá!

Estádio Municipal de Mauá - Pedro Benedetti

Mas o futebol do ABC tem outros times e outras histórias, caso queira conhecer mais, veja aqui o Mapa do Futebol no ABC, desenhado pelo Victor Nadal.

Distintivo do Grêmio Esportivo Mauaense

Para falar do Grêmio Mauaense é preciso contextualizar a cidade de Mauá, outrora um distrito de Santo André chamado “Pilar” (porque ficava no caminho que ligava São Bernardo à Igreja do Pilar, em Ribeirão Pires. E sim, esse caminho fazia parte do lendário Peabiru que chegava até o Perú…).

Igreja do Pilar - Ribeirão Pires

Embora possua uma grande área de mata Atlântica, a cidade não para de crescer, infelizmente muitas vezes com ocupações irregulares degradando o meio ambiente e a vida das pessoas.

Mauá

Atualmente, quase 500 mil pessoas vivam na cidade, e um terço da área é ocupado por indústrias, entre elas, importantes players do setor petroquímico, que contribuíram para diversos problemas de saúde na população local (veja aqui matéria sobre isso)…

Petroquímica Mauá

Além disso, como em outras regiões metropolitanas, tem muita gente vivendo em condições de pobreza e diversos problemas sociais, que contribuiram para que Mauá carregasse uma série de preconceitos e injustiças, como se a cidade e sua população se resumissem a esses problemas.

Mauá

Na minha visão, tudo isso fez com que a cidade criasse uma identidade própria, que acabou se transformando em cultura principalmente por meio da cena punk.

Vejamos por exemplo, a banda punk/Oi! Garotos Podres que transformou em orgulho a vida no subúrbio…

Em 1988, surge o Subviventes que transformou as noites de domingo de quem vivia no Sônia Maria (praticamente ao lado das chaminés da Petroquímica) em celebração da luta contra tudo isso! O vídeo abaixo é de um show histórico no Bigato’s Bar, ponto de encontro dos punks locais, em especial dos Carniça, a maior gangue punk da nossa região.

Outras bandas nasceram nos anos 90 e ajudaram a manter a chama da rebeldia social e da tentativa de sobreviver com uma identidade própria em meio a todos os problemas da cidade, entre elas, o Senso Crítico, uma das mais que tinha grande potencial musical.

A partir dos anos 2000 a cena punk do Sônia Maria ganha uma nova representante: o 88não! formado pelo Daniel Miranda, ex baterista do Subviventes pra cantar o amor por Mauá e o ódio ao racismo e ao fascismo!

Com a banda, se fortaleceu a relação dos punks com o futebol de várzea ajudando a surgir uma série de times como o Autonoms FC, Celeste Proletária, Rosa Negra, Corote & Molotov e o União Lapa, entre outros.

Aqui, o time atual do EC Napoli, do Sonia Maria com o Daniel (baterista do 88Não!) e o Adeilton (ex vocal):

EC Napoli do Sônia Maria

Esse post é uma homenagem a dois “Danieis” (esse seria o plural de Daniel?) que eu nem, sei se se conhecem, mas deveriam… Um é o Daniel Miranda, do 88Não! responsável por dezenas de shows da cena independente de Mauá.

Daniel Miranda

O outro é o Daniel Alcarria, que também luta pela valorização da cultura local, em especial o futebol da cidade. A foto abaixo a gente fez num jogo entre o Mauaense e o Nacional, em 2010 (lembre aqui como foi):

Daniel Alcarria - Grêmio Mauaense

Essa mesma injustiça que eu enxergo na cultura, também existe no futebol local, visto que mesmo tendo nascido cedo, ainda nos tempos do distrito, tem pouco reconhecimento da mídia. O Pilar Futebol Clube foi o primeiro time de Mauá, em 1919.

Pilar FC

A foto abaixo é do time de 1922 e foi reproduzida do blog do Daniel Alcarria (clique aqui e conheça).

Pilar FC - Mauá

O Daniel Alcarria é o responsável pelo Almanaque Histórico do Grêmio Esportivo Mauaense. A gente esteve no lançamento do livro (lembre-se aqui como foi). Pra quem quiser adquirir, fale com ele: daniel.alcarria@gmail.com .

Falando sobre o Pilar FC, o time usava o campo próximo da atual Praça 22 de novembro, mas logo passou a usar o campo na região central, próximo aos fornos da olaria dos Perrella, onde fica o Mauá Plaza Shopping, atualmente.

Em 1938, o Pilar FC mudou de nome e passou a chamar Associação Esportiva Mauá.

Associação Esportiva de Mauá

Olha aí o time:

Associação Esportiva de Mauá

O distintivo deles evolui para este:

Agremiação Esportiva Mauá

Outro time de Mauá do início do século era o Belo Horizonte FC, do bairro Pavoeiro, do qual muitos jogadores foram convidados para criar o Associação Atlética Industrial, fundado no dia 1º de outubro de 1921.

Distintivo do AA Industrial

O time surgiu dentro da Fábrica de louças, chamada de a “Fábrica Grande” (no passado Mauá tinha grande tradição em louças), e desde 1919, já tinham um time de futebol rivalizando com o Pilar FC:

AA Industrial - Mauá - 1919

O primeiro jogo de futebol do Industrial foi frente ao Pilar FC, uma vitória de 3 x 0 para a festa na Fábrica Grande, já que o Pilar era considerado o grande time da cidade. O Ademir Medici escreveu um lindo livro sobre o time:

Industrial de Maua

Nos anos 30, o AA Industrial passou a disputar a LEMS (Liga Esportiva Municipal Sambernardense). Aqui, o time de 1934, que bateu o Corinthians de Santo André (campeão naquele ano) por 2×1 e empatou com o Primeiro de Maio por 1×1. O time seria sempre uma pedra no caminho do Galo da Vila Alzira, vencendo também em 1935, por 1×0.:

AA Industrial - Mauá - 1934

Depois, o time migra pra Liga de Santo André e no dia 20 de julho de 1941 visita o Ribeirão Pires FC e perde por 2×0, jogando com Kafunga, Afonso e Santana; Cará, Élio e Constantino; Alfredo, Antonio Santos, Osvaldinho, Artemio e Valdir.

Em 1943, o time disputou o Campeonato do Interior pela Federação Paulista, num grupo mais que difícil, onde o Corinthians de Santo André se classificou para a fase seguinte:

Campeonato Paulista do Interior - 1943

Nessa época o Industrial não tinha campo e costumava jogar apenas como visitante, e em alguns momentos utilizando o Estádio Américo Guazzelli emprestado do Corinthians.

Em 1950, o A.A. Industrial seria campeão da Divisão Principal da Liga Santoandreense de Futebol, de forma invicta, com o time abaixo:

AA Industrial - Mauá - 1950

Depois viria o tricampeonato da Liga de Santo André em 1955, 1956 e 1957.

Em 1958, nasce a Liga de Mauá e o AA Industrial passa a disputá-la e torna-se o primeiro campeão da Liga.

O time seguiu montando bons esquadrões para disputar os campeonatos no ABC, como esse time de 69:

AA Industrial - Mauá - 1969

Em 89, o último título da Liga!

AA Industrial - Mauá - Campeão de 1989

O mais legal é que eles ainda existem como clube, e você pode conhecer mais sobre eles via Facebook (clique aqui e visita a página deles).

Em 17 de abril de 1945, nasce um outro time na cidade: o Independente FC, pra apimentar ainda mais a rivalidade que antes ficava entre o Pilar FC e o AA Industrial.

Independente FC - Mauá

Seu campo fica no Jardim Independência.

Campo do Independente FC

Seu primeiro grande título no futebol foi em 1946: Campeão da Segunda Divisão de Santo André.

E em 1950, veio o título de Campeão da Primeira Divisão da Liga de Santo André.

O Independente FC foi também campeão do centenário de 1953:

Independente FC - Mauá -1953

E essa foto recolorida no começo dos anos 60? Linda não?

Independente FC - Mauá - início dos anos 60

Outros times como estes fizeram com que a Liga de Mauá fosse aos poucos se fortalecendo e sendo mais um motivo de orgulho da cidade!

Faltava só a presença de Mauá no profissionalismo, mas os dois times que vimos acima (Independente FC e o AA Industrial)  não toparam se profissionalizar.

A oportunidade surgiu em 1981, quando o Presidente da Federação Paulista de Futebol (Nabi Abi Chedid) esteve na cidade para a premiação dos  Campeões da Liga Mauaense e na empolgação da festa sugeriu que se criasse um time para jogar a série A3 do Campeonato Paulista, dizendo que se precisasse da Federação, ele ajudaria.

Nabi Abi Chedid

Assim, nasceu o Grêmio Esportivo Mauaense

Distintivo do Grêmio Esportivo Mauaense

A data de 15 de dezembro de 1981 na verdade se deve a uma parceria com o Escolinha FC, um time que já existia na cidade e fez uma parceria com o Grêmio para que pudesse agilizar sua inscrição junto à Federação.

Nesse momento histórico da fundação do Grêmio Mauaense surge mais um cara que merece ser homenageado por este post: o Marrom (de vermelho na foto abaixo)!

Marrom

Fizemos essa foto com ele na época em que os já falecidos Bellotti e Wilson Cricca, juntamente do Ale Bachega (o primeiro da esquerda, ao lado do Marrom) e eu (com a camisa do Santo André) passamos a entrevistar os jogadores do Santo André em busca de histórias!

Ele esteve presente desde o momento do convite para disputar o profisional e participou da montagem do primeiro time (quase que na totalidade com jogadores da várzea). O primeiro desafio foi representar a cidade de Mauá na Copa João Ramalho de 1981, de onde saíram com o vice campeonato.

A estreia do time oficial foi em um amistoso em 31 de janeiro de 1982, numa derrota de 3×0 para o Suzano Futebol Clube (atual União Suzano Atlético Clube).

USAC

Ainda não existia o Estádio Municipal, então a casa do Grêmio Mauaense foi  o antigo campo do EC Cerâmica, e pra quem quer saber como era (já que atualmente o Poupatempo Mauá em seu lugar) e Daniel Alcarria nos enviou algumas fotos:

Campo do Cerâmica - Mauá

O Campo do Cerâmica serviu de casa para vários times amadores da cidade. Essa foto é do Clube Esportivo União na final de 1981, Marrom, o último a direita, viria a fazer história no futebol local.

Campo do Cerâmica - Mauá

O Estádio era conhecido por ter dimensões pequenas (precisou de uma mini reforma para receber a 3a divisão). Aqui, a final do Campeonato da Liga de 1980, com os jogadores do GE Jardim Anchieta comemorando o gol do título.

Campo do Cerâmica - Mauá

Dá pra ver que o campo ficava bem encostado na rua, mas mesmo assim, havia espaço para uma arquibancada na lateral, que vivia cheia… Olha aí a Seleção de Mauá campeã da Copa João Ramalho de 1983.

Campo do Cerâmica - Mauá

Olha que linda defesa foi fotografada nesse modesto, mas inesquecível estádio!

Campo do Cerâmica - Mauá

Assim, o Grêmio Mauaense disputou a série A3 de 1982 a 1984 no Estádio do EC Cerâmica.

Em 82, fez uma boa campanha, principalmente no 1º turno, quando foi “vice campeão” (o campeão foi a Funilense de Cosmópolis, não conhece o time, clique aqui e saiba mais!).

Campeonato Paulista série A3 - 1982

Campeonato Paulista série A3 - 1982

Campeonato Paulista série A3 - 1982

O formato do Campeonato era super confuso, agradeço ao Rodolfo Stella pela ajuda na compreensão!

2o turno se'rie A3 - 1982

Quadrangular 2o turno - série A3 1982

Aí o time daquela época:

Grêmio Mauaense

Em 1983 disputou mais uma vez a A3 e dessa vez uma fórmula bem louca com 4 turnos envolvendo os mesmos times… Marrom foi técnico e jogador neste ano, e ainda pode ajudar o time trazendo alguns atletas do Santo André pra reforçar o time.

Grêmio Mauaense série A3 1983

O time que jogou foi esse:

Grêmio Esportivo Mauaense

E de 84, existem lindos registros que nos foram passados pelo Daniel Alcarria, do jogo Mauaense x Capivariano 1984. Em 84, o Marrom disputou como atleta a série A3, mas ao final do campeonato passou a supervisionar o futebol no Mauaense e por algumas vezes sendo o treinador.

Campo do Cerâmica - Mauá

Campo do Cerâmica - Mauá

Campo do Cerâmica - Mauá

Essa foto também é daquela época, mas sem conseguir identificar de qual jogo…

Campo do Cerâmica - Mauá

Batemos um papo com o Marrom sobre esse momento inicial do Grêmio e ele citou um momento especial: o jogo de estreia do Estádio Municipal “Pedro Benedetti“, em 8 de dezembro de 1984.

Estádio Municipal de Mauá

O Grêmio Mauaense fez uma partidaça contra o São Paulo Futebol Clube, e ainda que o placar tenha terminado 2×1 pra o tricolor paulista, o Grêmio deixou claro que seria um time duro de bater, em Mauá. Esse jogo detém o recorde de público do Estádio: mais de 15 mil torcedores.

Grêmio Mauaense 1x2 São Paulo FC

Grêmio Mauaense 1x2 São Paulo FC

É lindo ver o Estádio Pedro Benedetti lotado!

Estádio Alberto Benedetti - Mauá

O Estádio Municipal Pedro Benedetti possui capacidade para 10.590 torcedo e seu nome homenageia o futebolista Pedro Benedetti que jogou no Independente Futebol Clube, Associação Atlética Industrial, Cerâmica Futebol Clube, entre outros times de Mauá.

Estádio Municipal Pedro Benedetti - Mauá

Olha a imagem do projeto que o Daniel Alcarria enviou pra gente:

Estádio Municipal Pedro Benedetti - Mauá

E a inauguração do Estádio parece ter dado sorte… Em 1985, chegou o grande momento do time. Após uma primeira fase com apenas uma derrota, o time classificou-se para as finais.

Campeonato Paulista série A3 - 1985

A segunda fase foi um quadrangular com o Paulista de Suzano, Jabaquara de Santos e o Jacareí, e o mais uma vez o time sofreu apenas uma derrota contra o Jabaquara, em Santos!

2a fase campeonato paulista série a3 - 1985

Veio então um triangular envolvendo a Esportiva de São João da Boa Vista e o Serra Negra EC, e o Mauaense passou invicto!

Triangular semifinal série A3 1985

O grande momento chegou: a final do campeonato contra a equipe do Mirassol e uma vitória em Mauá e um empate em Mirassol garantiram o título e o acesso à série A2.

Final Campeonato Paulista série A3 1985

Olha aí o time campeão:

Gremio Mauaense Campeão do Campeonato Paulista série A3 1985

Assim, em 1986 disputou a série A2 e embora tenha ido muito bem na primeira fase, acabou em último do seu grupo da segunda fase…

Campeonato Paulista série A2 - 1986

Campeonato Paulista série A2 - 1986

Já em 1987, o time não passou da primeira fase, terminando em oitavo lugar…

Campeonato Paulista série A2 - 197

Assim, o time voltou à série A3, campeonato que disputou de 1988 a 1991. Em 1987, conquistou o título da Copa Diário do Grande ABC.

Em 1992, o time se licenciou, retornando em 1993 na Quarta Divisão (a atual série B / Segunda Divisão). Esse é o time de 1993:

Grêmio Mauaense 1993

Aqui o time de 1994:

Grêmio Mauaense 1994

Em 1996, o Grêmio Mauaense foi Vice Campeão Paulista da Antiga Série B1.

Série B1 1996

Outro time dos anos 90:

Grêmio Mauaense

Em 2003, o Mauaense conquistou seu último título, da B1.

Gremio Mauaense campeao da serie b1 2003

E assim, desde 2008, o Mauaense disputa a 4ª Divisão, mais conhecida como Paulista da Série B. E pra quem pensou “O Marrom deve ter ficado feliz com o Grêmio Mauaense ter seguido na ativa”, olha ele aí na comissão do time de 2016:

Grêmio Mauaense 2016

As arquibancadas nunca mais tiveram sua lotação como nos primeiros anos, mas… a torcida segue viva!

Estádio Pedro Benedetti - Mauá

Torcida Barões de Mauá - Estádio Pedro Benedetti - Mauá

Aqui, o time de 2019:

Grêmio Mauaense 2019

Mas, o futebol é mesmo uma caixinha de surpresas e quando menos se esperava, eis que surge um novo time em Mauá para disputar o profissional e assim, utilizar o Estádio Municipal Pedro Benedetti, trata-se do Mauá FC.

Mauá FC

O Mauá Futebol Clube foi fundado em 23 de outubro de 2017 e estreiou na Segunda Divisão do Campeonato Paulista (a série B) em 2018. Aliás estivemos presente em um jogo deles contra a AA Itararé, pra conhecer de perto o novo time do ABC (veja aqui como foi).

Maua FC x AA Itararé

Logo no seu primeiro campeonato, conseguiu se classificar para a segunda fase, ficando entre os 16 melhores clubes do estado na divisão disputada e ainda ganhou os dois clássicos contra o Grêmio Mauaense. Será que nasce um novo rival?

Atualmente, quem está por lá cuidando do futebol é…. O Marrom!

Pra fechar, vale lembrar que a Liga Mauaense de Futebol Amador seguiu evoluindo e se tornou a maior do estado de São Paulo com mais de 320 times filiados, 900 partidas por ano com um público total de aproximadamente 50 mil torcedores por ano, é mole?

Mauá é hoje uma baita cidade, e uma das mais apaixonadas por futebol do Brasil. Além disso tem melhorado dia após dia. É muito mais do que você imagina…

AS mil camisas mauá

APOIE O TIME DA SUA CIDADE!!!

Deixe um comentário

*