Em busca do Estádio Perdido em Curitiba

Esse post é em homenagem ao amigo e leitor Janderley Carneiro, que foi quem primeiro me sugeriu sobre a visita ao Eco Estádio Janguito Malucelli, localizado na bela cidade de Curitiba.

Logo de cara, fomos recepcionados por um integrante da comissão técnica (que por coincidência já havia trabalhado no Santo André).

Ele nos explicou que o Corinthians Paranaense (pois é, existe mesmo um Corinthians no Paraná, mesmo a contragosto da própria torcida local) estava treinando e que por isso deveríamos esperar um pouco.

“Um pouco” esperado e pudemos andar pelo estádio e fotografar a vontade.

Vale explicar que este time era o tradicional Malutrom, que depois chamou-se J. Malucelli e desde 2009 Corinthians Paranaense.

Mas, o objetivo deste post é falar deste estádio, tão diferente dos demais, então vamos lá.

Como já deve ter dado para perceber, a principal diferença do estádio é sua preocupação ambiental, tema ainda tido como “bobagem” pela maioria das pessoas, mas levado a sério pelo pessoal que estava tão acostumado com a cidade crescendo a cada dia.

Alguns detalhes que valem ser explicitados.

A escadaria das arquibancadas, por exemplo, é toda de madeira de reflorestamento.

E as cadeiras estão dispostas em meio ao gramado, e não ao tradicional cimentão.

Além de ecologicamente correto (e provavelmente mais barato) o estádio ficou com um visual muito bacana!

Enquanto o time rala em campo, mesmo que num treinamento, dava até pra gente se distrair e analisar a flora local…

O estádio ainda tem uma capacidade limitada, e em jogos contra os grandes de Curitiba recebeu pouco mais de 2 mil pessoas, entretanto, em tempos de mega investimentos pensados pelo governo para a Copa do Mundo, esta ideia ecológica poderia estar mais presente.

Apoie o time da sua cidade!

Antes que o time de outra cidade venha e renomeie seu time!

5 Respostas to “Em busca do Estádio Perdido em Curitiba”

  1. O Janguitão (Eco) é muito maneiro mesmo… É bacana ir ver um jogo mediano lá, o local é muito aprazível e gostoso de acompanhar uma partida, principalmente numa trade amena de verão, com um ventinho vindo dos lados da BR-277…
    Valewwww,

    Anderson, CTBA
    C&M

  2. Richard Melo disse:

    Eu odeio essas renomeações e mudanças de sede por puro interesse financeiro. Acho que isso acaba com a paixão do futebol. Qdo divulgaram que o Guará viria pra Paulínia, fiquei torcendo pra ser só boato, mentira. Foi meia mentira, não veio pra Paulínia, mas foi pra Americana, terra do tradicional Rio Branco. Nesse caso ele não foi renomeado, mas está sendo pisado aos poucos por esse Americana Ltda. O digníssimo prefeito de Americana, Diego De Nadai teve dinheiro pra comprar o time, compra ingresso adoidado pra distribuir pra população, tentando encher o estádio, e não tem grana pra consertar a rodovia entre Amer. e Paulínia, desde janeiro com uma cratera enorme. Tá feia a coisa ultimamente.

  3. Aru disse:

    E o time voltará a ser J. Malucelli, pois a parceria com o Corinthians foi encerrada.

  4. Janderley Carneiro disse:

    Que bacana, Mau!

    Você me falou que ia e foi mesmo, fico muito feliz pela tua visita e por que o time voltou a se chamar J. Malucelli. O Malutrom, cujo nome é a fusão de dois grupos, o Malucelli e o Trombini, foi campeão da Série C do Brasileiro de 2000, na famigerada Copa João Havelange e foi eliminado pelo Cruzeiro na fase seguinte, mas ganhou o direito de disputar a Série B de 2001, mas retirou-se dela, pois na época a competição era muito deficitária. Naquela ocasião, mandava os jogos no Estádio do Pinhão, em São José dos Pinhais.

    Abraços


Deixe um comentário

*