Quando o Santos foi a Paraguaçu Paulista…

Mais uma história que escrevo graças à lembrança e ao acervo do amigo Amarildo, que poucos meses atrás ajudou o EC Paraguaçuense a trazer para casa o Troféu da série A2, conquistado em 1993 (veja aqui como foi essa história).

O desafio dessa vez foi lançado a ele graças a uma lembrança de uma história contada pelo meu tio Zé (conhecido como “Alemão” em seus tempos de Ferroviária de Assis). Olha ele aí com a gente assistindo um jogo do CA Assisense em 2011 (lembre aqui como foi esse rolê):

O tio Zé contava (ele já faleceu, infelizmente) que em meados dos anos 60, o time do ABC – Atlético Brasil Clube de Paraguaçu Paulista desafiar o poderoso time do Santos FC para um amistoso, e que foi montada uma verdadeira seleção da região e que ele havia participado do elenco.

Distintivos do ABC. Fonte: blog do Gino

Longe de mim querer desconfiar da história dele, mas… como historiador em formação, eu queria encontrar algum documento ou mesmo uma fonte para me relembrar essa história, e aí lembrei do amigo Amarildo (que também já trombamos em um jogo em Assis, em 2014. Veja aqui como foi):

E com o Amarildo, missão dada é missão cumprida! No mesmo dia que eu comentei com ele, chegaram fotos do jornal “A SEMANA“, da época do jogo, que comprova a história, com a data de 31/5/1964:

O jornal “A SEMANA” (que foi fundado em 1953 e existe até os dias de hoje) deixa claro que o time contou mesmo com atletas de outras equipes da região, em uma época em que cidades como Assis, Rancharia, Presidente Prudente e mesmo Paraguaçu Paulista contava com muitos jogadores de qualidade.

Ganhar daquele Santos não era nem cogitado pela equipe local, mesmo o Santos jogando sem Pelé, assim o placar de 4×1 para a equipe praiana foi até festejado pelo time local!

O ABC chegou a faze 1×1 para a festa nas arquibancadas, que, segundo o jornal local, contava com público de diversas cidades e até do Paraná.

Segundo o jornal “A SEMANA”, a equipe local jogou com Jardim, Baco, Gavião e Jaime; Nide e Dráuzio; Bolão (Betinho), Tarzino, Bene, Osvaldo e Colavite. O técnico era Tonico. Ainda falta saber se entre os jogadores que não jogaram, estava ou não o Alemão… o Tio Zé!

Essa história acabou indo parar nas páginas do livro “No meu tempo… Em Paraguaçu Paulista”, obra de Anizio Canola.

Tem até a foto do time que disputou aquela partida:

Mas a história que o tio Zé contava não termina aí. Ele diz que depois desse jogo houve um convite a ele e outros atletas para um teste no Santos FC, mas quem disse que o seo Tonico (pai dele, e consequentemente, meu avô) deixou…

APOIE O TIME DA SUA CIDADE!!!

Live do CA Taquaritinga!

Pra quem acha que os clubes do interior paulista estão parados, o diretor de Marketing do CAT (Clube Atlético Taquaritinga) acabou de informar que, mesmo em meio a todas as dificuldades de se tocar um time de futebol em meio a essa Pandemia, eles seguem tentando se aproximar o torcedor.

E como amanhã, quarta-feira, dia 17 de março, o CAT completa 79 anos, eles vão fazer uma live pra celebrar e também para lançar o programa Sócio Torcedor.

Parabéns pela iniciativa, e tomara que a torcida abraçe a ideia!

Para assistir:
Quarta-feira, dia 17, às 18h30
Transmissão pelas páginas oficiais do CAT
Facebook: https://www.facebook.com/CATaquaritinga1942
YouTube: https://www.youtube.com/channel/UCnpnaFnACYoDz6uGjxbVVtg

APOIE O TIME DA SUA CIDADE!!!

Postado em interior sp on 16 de março de 2021 – 16:40 | Comentários (0)
Tagged , |

O SC Atibaia ganha livro!!!

O SC Atibaia completou 15 anos em dezembro passado, mas acaba de ganhar o melhor dos presentes: um livro apresentando a extensa pesquisa feita pelo nosso amigo, jornalista e um dos caras que mais gosta do futebol em todas as suas categorias: Mario Gonçalves.

O livro cobre toda a trajetória do clube dentro e fora do campo até a temporada 2020, contemplando suas participações em competições da Federação Paulista de Futebol, além de entrevistas e fotos inéditas de cada temporada de jogadores, técnicos, jornalistas e pessoas que participaram da história.

Para os interessados, existe uma campanha de crowdfunding, com a duração de 60 dias, com várias modalidades de recompensa para os colaboradores, com o objetivo de viabilizar a obra literária.

Para participar e adquirir seu livro (ou dar uma força patrocinando os custos da obra), é fácil, basta acessar: https://www.kickante.com.br/campanhas/livro-sport-club-atibaia-jogos-historias .

APOIE O TIME (E O LIVRO DO TIME) DA SUA CIDADE!!!

As Mil Camisas em Assunção (Paraguai)

Assunção - Paraguai

Seguindo em quarentena, tenho passado algum tempo revendo arquivos antigos e encontrei uma pasta com as fotos de 2015, quando o Visitantes, banda que faz um rock / punk pra homenagear e registrar o time, a cidade e a torcida do EC Santo André, fez sua primeira turnê internacional.

Visitantes - Punk

A linda foto acima é do show no coletivo “La Cultura del Barrio“, em Buenos Aires, feita pela amiga, fotógrafa Mariana Pardo. Pra saber mais sobre o coletivo, vale assistir o vídeo que o Gui fez lá:

E voltando da Argentina, a passagem mais barata que encontramos nos obrigava a ficar 7 horas no Aeroporto de Assunção.

Assunção - Paraguai

Assim, nem bem descemos do avião e começamos a pensar em como escapar e dar um rolê pela cidade, pra não termos que ficar “encarcerados” naquela sala, onde logo, já não havia mais nenhum passageiro além de nós.

Aeroporto Assunção

Não foi preciso muito esforço. Enquanto eu acabava de fazer um xixi, um senhor me abordou e perguntou se a gente não gostaria de conhecer a cidade. Logo, estávamos do lado de fora do aeroporto!

Assunção - Paraguai

O desafio agora era enfiar 6 punx futeboleiros (eu, Mari, Jão, Núbia, Gui e Edú!!!) dentro de um carro em que coubéssemos todos para rodar pelas ruas de Assunção!

Assunção - Paraguai

Assunção é a capital do Paraguai e lá vivem cerca de 550 mil pessoas, mas se considerarmos a população da “Grande Assunção” estamos falando da maior aglomeração urbana do páis com mais de 2 milhões e meio de pessoas.

Assunção - Paraguai

Eu ainda preciso voltar pra Assunção porque confesso que não deu pra entender a cidade… Talvez influenciado pelas demais capitais latinas, minha expectativa era diferente.

Assunção - Paraguai

Assunção - Paraguai

Olha que legal esse grafite:

Assunção - Paraguai

E umas pixações interessantes também…

Assunção - Paraguai

Pixação - Punks - Assunção - Paraguai

Passamos pela Catedral Metropolitana de Nossa Senhora da Assunção, ela fica em frente a Plaza Independência, bem no centro da cidade.

Assunção - Paraguai

E olha os ônibus locais, que diferentes…

Assunção - Paraguai

A cidade ainda é pouco verticalizada, talvez seja isso que tenha causado certa estranheza e outra coisa que eu percebi e que li sobre a cidade, é que boa parte da cidade foi demolida e reconstruída para ter uma planta urbana quadriculada.

Assunção - Paraguai

As ruas lembram muito as cidades do interior de São Paulo, olha até a cadeira pra sentar na calçada, tem!

Assunção - Paraguai

Além disso, era um domingo e não sei se isso influenciou nas ruas estarem mais vazias que de comum, ou se sempre é assim…

Assunção - Paraguai

Só pra encerrar esse papo sobre a cidade e o país em si, vale ressaltar o momento pesado da história paraguaia que foi a Guerra da Tríplice Aliança, quando Assunção foi destruída, mais de 70% da população foi morta e depois ocupada por tropas brasileiras e aliadas e que daria uma looooonga conversa.

A reconstrução da cidade contou com a chegada de muitos imigrantes que ajudaram a tornar a cidade novamente próspera, como antes da guerra. Mas ainda há construções que mantiveram a arquitetura mais antiga, dando um charme bem bacana.

Assunção - Paraguai

Asunción” é a capital e maior cidade do Paraguai, e fica à margem esquerda do rio Paraguai, como vimos lá de cima.

Paraguai visto de cima

E claro que fomos até o porto do Rio Paraguai, mas ainda não entendi se o local que a gente foi é o “porto oficial” mesmo, já que não lembro de ter visto a Avenida Costanera.

Assunção - Paraguai

Olha o Jão e a Núbia aí!

Assunção - Paraguai

Confesso que minha referência de porto é o de Santos, então acabei achando um pouco menor do que eu tinha em mente.

Assunção - Paraguai

Assunção - Paraguai

E seja lá o que a Mari estava comendo ali na beira do rio…

Assunção - Paraguai

E aí, a turma toda!

Rio Assunção - Assunção - Paraguai

Pra quem torce pro Santo André, esse ponto não pegou bem na cidade…

Bar San Cayetano

Sentimos falta de um mercado de rua bacana, só encontramos algumas indígenas vendendo artesanatos nas calçadas.

Assunção - Paraguai

E sim, tem um comércio bacana também. Perceba que ali no lado direito tem um daqueles quadros de palhaço que tem toda uma história de terror … kkkk

Comércio - Assunção - Paraguai

Falando um pouco do futebol local, o nosso rolê começou passando pela sede da Conmebol, a Confederação Sul-Americana de Futebol.

Assunção - Paraguai

Assunção - Paraguai

Assunção - Paraguai

Mas o primeiro lugar que eu tinha em mente era conhecer o Defensores del Chaco, o estádio onde o Santo André enfrentou o Cerro Portenho pela Copa Libertadores de 2005.

Estádio Defensores del Chaco - Assunção - Paraguai

Algumas imagens para relembrar aquele jogo em que a equipe local venceu o Ramalhão por 1×0.

Cerro Portenho x Santo André - Copa Libertadores 2005

Cerro Portenho x Santo André - Copa Libertadores 2005

O Estádio começou a ser construído em 1917, e a ideia é que chamasse Estádio de La Liga.

Estádio Defensores del Chaco - Assunção - Paraguai

Mais uma bilheteria (no caso, uma boleteria!) para a nossa coleção!

Estádio Defensores del Chaco - Assunção - Paraguai

Aliás, vale lembrar que ele não pertence ao Cerro Porteno, mas à Associação Paraguaia de Futebol.

Estádio Defensores del Chaco - Assunção - Paraguai

Em 1956, foi rebatizado para Estadio de Puerto Sajonia (já que fica lozalizado no bairro Sajonia).

Estádio Defensores del Chaco - Assunção - Paraguai

Em 1974, mais uma mudança de nome, dessa vez para o atual “Estádio Defensores del Chaco” como uma forma de não esquecer os que lutaram na Guerra do Chaco (entre o Paraguai e Bolívia).

Estádio Defensores del Chaco - Assunção - Paraguai

Esse é o Jão!

Estádio Defensores del Chaco - Assunção - Paraguai

Não conseguimos entrar no Estádio, mas deu pra registrar o lado externo das arquibancadas.

Estádio Defensores del Chaco - Assunção - Paraguai

Estádio Defensores del Chaco - Assunção - Paraguai

Mas no jornal La Nacion existe uma bonita imagem interna da arquibancada:

Estádio Defensores del Chaco - Assunção - Paraguai

O principal patocinador do estádio é a Tigo, que estampa sua marca em diversos locais.

Estádio Manuel Ferreira - Assunção - Paraguai

Sua atual capacidade é de 50 mil torcedores e segue abrigando os jogos da Seleção Paraguaia de Futebol e também os jogos internacionais das equipes locais na Copa Libertadores da América e Copa Sul-Americana.

Estádio Defensores del Chaco - Assunção - Paraguai

Hora de seguir o rolê por Assunção…

Estádio Defensores del Chaco - Assunção - Paraguai

A bola da vez agora é o Estádio Manuel Ferreira.

Estádio Manuel Ferreira - Olímpia - Assunção - Paraguai

Estádio Manuel Ferreira - Assunção - Paraguai

O Estádio é a casa do Club Olímpia:

Club Olimpia

Estádio Manuel Ferreira - Club Olímpia - Assunção - Paraguai

Única equipe paraguaia campeã do mundo!

Estádio Manuel Ferreira - Assunção - Paraguai

O estádio foi inaugurado em maio de 1964, em um amistoso contra o Santos (com Pelé no time) e que terminou empatado em 2 a 2. E aqui estamos nós, em mais um solo sagrado para o futebol.

Estádio Manuel Ferreira - Assunção - Paraguai

Vamos dar uma olhada geral com o vídeo incrível kkk

A estrutura lembra um pouco a do Inamar, em Diadema, quem já esteve lá, pode confirmar…

Estádio Manuel Ferreira - Assunção - Paraguai

Estádio Manuel Ferreira - Assunção - Paraguai

Tem capacidade para 20.000 torcedores e é usado pelo Club Olímpia nos jogos do Campeonato Paraguaio e alguns pela Taça Libertadores da América.

Estádio Manuel Ferreira - Assunção - Paraguai

Estádio Manuel Ferreira - Club Olímpia - Assunção - Paraguai

Estádio Manuel Ferreira - Assunção - Paraguai

Aí o amigo Edu Parlamento!

Estádio Manuel Ferreira - Assunção - Paraguai

Estádio Manuel Ferreira - Club Olímpia - Assunção - Paraguai

A arquibancada atrás do gol é linda, pode ser ler “El Decano”, em relação ao expressivo número de títulos que conquistou!

Estádio Manuel Ferreira - Assunção - Paraguai

Estádio Manuel Ferreira - Club Olímpia - Assunção - Paraguai

Seria lindo acompanhar um jogo dessas arquibncadas!

Estádio Manuel Ferreira - Club Olímpia - Assunção - Paraguai

Assim, mais um estádio registrado em Assunção!

Estádio Manuel Ferreira - Club Olímpia - Assunção - Paraguai

Pra terminar, apenas gostaria de citar que a cidade de Assunção ainda possui um outro estádio importante, o Estádio General Pablo Rojas, que é onde o Cerro Porteno manda seus jogos.

Estádio General Pablo Rojas

Estádio General Pablo Rojas também é conhecido como La Olla e tem capacidade para 45 mil torcedores, tendo sido inaugurado em 1970, e passado por reformas nos 51 anos de vida.

Hora de voltar ao aeroporto e aos céus da América Latina…

céu latino americano

APOIE O TIME DA SUA CIDADE!!

Livro e camisa retrô sobre o Andarahy AC

Camisa Andarhy

Pessoal, pra quem gosta do futebol das divisões de acesso, e principalmente sobre a história desses times, vem aí um livro incrível contando a história do Andarahy A. C. e com a possibilidade de se adquirir também a camisa retrô do time.

Andarahy AC

O autor já é figurinha carimbada aqui no blog: Kleber Monteiro, que recentemente lançou o “Da Lama à Grama”, sobre a terceira divisão do futebol carioca (relembre aqui o post que escrevemos sobre o livro.

Kleber Monteiro

Em razão dos problemas economicos que o país atravessa, o Kléber já está realizando a pré compra das camisas, pois elas só serão feitas sob encomenda.

Não é necessário pagamento adiantado. O interessado escolhe quando recebê-la, no momento da entrega ou quando o livro sair (segundo semestre de 2021).

Pedidos e maiores informações através do WhatsApp: (21) 997915589 com o próprio Kleber Monteiro.

APOIE O TIME DA SUA CIDADE!!!

Postado em camisa de futebol, futebol carioca, Livro futebol on 22 de fevereiro de 2021 – 16:18 | Comentários (0)
Tagged , , |

As Mil Camisas em Franco da Rocha e o EC Flamengo

Brasão de Franco da Rocha

12 de Fevereiro de 2021, em outros tempos estaríamos nos preparando para algum role aproveitando o carnaval, mas, o Coronavírus nos tirou grana e segurança pra fazer isso…

Acabamos indo passar o fim de semana em Cosmópolis e pra não passar em branco, demos uma parada em Franco da Rocha pra entender um pouco da história do futebol profissional da cidade!

Franco da Rocha

Franco da Rocha também está na situada “Região Metropolitana de São Paulo” que tem sido nosso foco nesses tempos de Corona… Aliás, espero visitar as cidades vizinhas, nos próximos meses.

Região de Franco da Rocha

A história da região começa em 1627, com a doação das terras conhecidas como “Campos do Juquey” pelo rei de Portugal a Amador Bueno da Ribeira para a produção agrícola, tornando-a nos séculos seguintes uma parada para os bandeirantes a caminho de Minas Gerais, como ilustra a pintura de Benedito Calixto abaixo:

Tropeitos - Benedito Calixto

O final do século XIX trouxe ao lugarejo a Estrada de Ferro São Paulo Railway, em fevereiro de 1888, nascia a Estação do Juquery (foto do site Estações Ferroviarias), que seria importantíssima para a primeira atividade industrial da região: a extração de pedras.

Estação de Juquery

Porém, ainda no século XIX um fato mudaria a história da região para sempre: a instalação do polêmico Hospital Psiquiátrico do Juquery (nome da região até então). Já falamos disso no post sobre Mairiporã, lembra?

Em 1896, o Doutor Francisco Franco da Rocha foi designado pelo Governo para administrar o Hospital. Daí viria o nome da cidade.

Doutor Francisco Franco da Rocha

O século XX viu a ocupação crescer em torno desses primeiros elementos. Foram construídas a Igreja Matriz de Nossa Senhora da Conceição, bem como escolas e outras melhorias na urbanização que ajudaram a vila a ser elevada a distrito de Mairiporã, em 1934, adotando como nome Franco da Rocha, homenageando o Doutor recém falecido.

Em 1944, Franco da Rocha tornou-se uma cidade autônoma, separando-se da então “Juquery” (que viria a se tornar Mairiporã), com seus desafios, como a constante luta contra as inundações…

Franco da Rocha

E as belezas do Parque do Juquery

Parque estadual do juquery

E assim chegamos à cidade aos dias de hoje!

 Franco da Rocha

Mesmo antes de ganhar sua autonomia como município, a cidade viu no futebol, um exemplo do amor a Franco da Rocha, e assim começaram a surgir os times na cidade.

O primeiro deles, quando a região ainda tinha uma ligação muito forte com o nome “Juquery”, surgiu a Associação Atlética Juquery (distintivo toscamente fotografado do incrível livro “Os esquecidos”).

Associação Atlética Juquery

O time foi o primeiro da cidade a disputar o Campeonato Amador do Interior em 1943, na 26a região, que teve o Corinthians FC (de Santo André) como campeão do grupo.

Campeonato Amador 1943

Em 1944, novamente na 26a região, que teve o São Caetano EC como campeão do grupo:

Campeonato Amador do Estado - 1944

No campeonato de 1945,aparece um novo time representando a cidade no Campeonato Amador: a AA Franco da Rocha.

AA Franco da Rocha

Amador do Interio 1945

Poucos anos antes, em 24 de julho de 1942, nascia outro time na cidade: o Clube Atlético Expedicionários.

Clube Atlético Expedicionários

E em 1946 foi sua vez de estreiar no Campeonato Amador do Interior, ocupando o lugar deixado pela Associação Atlética Juqueri, dessa vez jogando na 3a zona da 4a região, que teve o São João FC (Jundiaí) como campeão.

Campeonato Amador 1946

Em 1947, apenas o CA Expedicionários representou a cidade no Campeonato Amador, no Setor 6 da Zona 2.

Campeonato Amador do Interior 1947

Em 1948, surge outro time a representar a cidade: o Esporte Clube Flamengo, carinhosamente chamado de Flamenguinho, que nasceu de um pessoal que costumava se juntar pra jogar futebol sob o nome de Vilas Unidas, que unia moradores da Vila Ramos e do bairro Pouso Alegre.

Um dos diretores, o Sr. Gino Morelato conseguiu a área para um novo campo em regime de comodato, junto ao Hospital Juquery. Os próprios pacientes do hospital ajudaram a limpar a área que ficaria conhecido como “Peladão”.

É nesse momento que o “Vilas Unidas” se divide em dois grupos. O pessoal da Vila Ramos, liderado pelo Sr.Gino Morelato, em 12 de Junho de 1948, adotou o novo campo e fundou o Esporte Clube Flamengo (distintivo mais uma vez veio do excelente site Escudos Gino):

Distintivo do EC Flamengo de Franco da Rocha

O outro grupo, liderado pelo Sr. Antonio Faria, decidiu fundar um clube no outro bairro e assim, em 3 de janeiro de 1953, surgiu o Esporte Club Corinthians de Pouso Alegre.

SC Corinthians de Franco da Rocha

Os três times começaram disputando partidas amistosas, mas logo passaram a representar a cidade no Campeonato Amador do Interior. É muito difícil conseguir todas as edições dessa competição, mas encontrei duas edições interessantes, a de 1956:

Campeonato Amador 1956

E a de 1958:

Campeonato Amador 1958

O pessoal do Jogos Perdidos chegou a acompanhar uma partida amistosa entre o Flamenguinho e o CA Expedicionários, clique aqui e veja como foi!

Por hora, babe em duas fotos que eles fizeram:

Clube Atlético Expedicionários

CA Expedicionários x EC Flamengo - Franco da Rocha

Em 1960 foi campeão do setor 13 do Campeonato Amador do Estado (foto da Fanpage do EC Flamengo):

EC Flamengo de Franco da Rocha

Embora tenha demorado um pouco mais pra passar a jogar as competições oficiais, o EC Flamengo foi o que chegou mais longe, mas teve que lutar não só contra os adversários em campo como também com as chuvas, já que seu campo fica às margens do rio Juqueri:

Estádio EC Flamengo

Com tamanha valentia, não é a toa que seu mascote é o Popeye!

Mascote do Flamenguinho de Franco da Rocha

Se você quer saber mais do passado do time, olha cada foto linda disponível na Fanpage do EC Flamengo:

EC Flamengo de Franco da Rocha

Em 1959, o EC Flamengo sagrou-se campeão municipal invicto:

EC Flamengo de Franco da Rocha

Aqui, o goleiro do EC Flamengo em pleno campo!

EC Flamengo de Franco da Rocha

Mais algumas formações do time nos anos 50 e 60:

EC Flamengo de Franco da Rocha

EC Flamengo de Franco da Rocha

EC Flamengo de Franco da Rocha

E estas imagens de lances do jogo, simplesmente maravilhosas…

EC Flamengo de Franco da Rocha

A cerca de madeira separa a torcida do campo:

EC Flamengo de Franco da Rocha

E até a imprensa já tinha sua área, que aparentemente é no mesmo lugar do bar atual.

EC Flamengo de Franco da Rocha

EC Flamengo de Franco da Rocha

O time chegou a fazer um amistoso com o Jabaquara, de Santos vecendo por 2×0, como mostra o Jornal “A Tribuna”, em 1966:

Amistoso Jabaquara x Flamengo

Aliás, ainda em 1966, o Flamenguinho participou do Campeonato Paulista da Terceira Divisão (o quarto nível do futebol paulista daquele ano) graças ao apoio do presidente Nilson Morelato, que chegou a bancar do próprio bolso a profissionalização do time.

EC Flamengo de Franco da Rocha

Olha o que teve de time nessa edição:

Terceira Divisão 1966

O time jogou também a Terceira Divisão de 67 e depois dessa disputa abandonou o futebol profissional.

Terceira Divisão - 1967

Em 1971, o Flamenguinho ainda montou um time feminino sendo pioneiro na região.

Depois, passou longos anos paralisado reformando a área do campo, aterrando-a alguns metros para evitar que futuras enchentes acabassem com o patrimônio do clube.

E assim, lá fomos nós conhecer o seu Estádio, a “Praça de Esportes Gino Morelato“.

Estádio Gino Morelato - EC Flamengo - Franco da Rocha

Olha que entrada mais charmosa!

Mais um estádio cheio de história, que faço questão de registrar!

Estádio Gino Morelato - EC Flamengo - Franco da Rocha

Logo na entrada a sede da secretaria do time. Eles até tem uma outra sede social, mas que está alugada no momento.

Estádio Gino Morelato - EC Flamengo - Franco da Rocha

O gramado está em ótimas condições e é só olhar a foto pra entender o motivo… Muita dedicação das pessoas envolvidas no clube atualmente.

Estádio Gino Morelato - EC Flamengo - Franco da Rocha

Vamos dar uma olhada na parte interna do estádio e admirar um pouco mais a casa do EC Flamengo de Franco da Rocha!

Atualmente não há nenhuma estrutura de arquibancadas, afinal, como dissemos antes, o espaço foi todo reformado e o campo era a primeira prioridade, e ficou show!

Estádio Gino Morelato - EC Flamengo - Franco da Rocha

Mas na lateral do campo, existe uma estrutura de bar e vestiários bem bacana e um lugar de onde se pode acompanhar os jogos.

Estádio Gino Morelato - EC Flamengo - Franco da Rocha

O bar segue funcionando até pra gerar algum suporte financeiro pro time (Se vc mora em Franco da Rocha, vale a pena prestigiar!).

Estádio Gino Morelato - EC Flamengo - Franco da Rocha

Estádio Gino Morelato - EC Flamengo - Franco da Rocha

O distintivo do Flamenguinho está lá, estampado as paredes da estrutura do clube.

Estádio Gino Morelato - EC Flamengo - Franco da Rocha

Ao lado dessa estrutura, fica o rio Juqueri.

Estádio Gino Morelato - EC Flamengo - Franco da Rocha

Voltando nossas atenções ao campo, esse é o gol do lado esquerdo:

Estádio Gino Morelato - EC Flamengo - Franco da Rocha

Aqui, o meio campo:

Estádio Gino Morelato - EC Flamengo - Franco da Rocha

E aqui, o gol do lado direito:

Estádio Gino Morelato - EC Flamengo - Franco da Rocha

E olha que lindo os bancos de reservas e a área para o mesário:

Estádio Gino Morelato - EC Flamengo - Franco da Rocha

Estádio Gino Morelato - EC Flamengo - Franco da Rocha

E se o que vale é gol… Taí o gol, de pertinho!

Estádio Gino Morelato - EC Flamengo - Franco da Rocha

Estádio Gino Morelato - EC Flamengo - Franco da Rocha

Deixa até eu me eternizar aqui na frente de um gol que já foi defendido (e atacado) no Campeonato Paulista da Terceira Divisão!

Estádio Gino Morelato - EC Flamengo - Franco da Rocha

O “momento ecologia” fica por conta do Quero Quero deitado em pleno campo.

Estádio Gino Morelato - EC Flamengo - Franco da Rocha

Hora de ir embora do Estádio, conhecido como “Praça de Esportes Gino Morelato“, onde tanta coisa aconteceu, e literalmente tanta água já passou…

Estádio Gino Morelato - EC Flamengo - Franco da Rocha

Vale reforçar que o time segue na ativa, aqui uma das formações atuais do time:

Estádio Gino Morelato - EC Flamengo - Franco da Rocha

E caso alguém queira uma réplica da camisa, o site Só Futebol tem uma em sua loja virtual:

Camisa do EC Flamengo - Franco da Rocha

Assim, agradecemos aos que acompanham o blog, principalmente aos poucos que devem ter conseguido ler até o fim, já que o post ficou bem longo… Mas era necessário jogar um mínimo de luz na história de uma cidade que tem muito amor ao futebol!

Estádio Gino Morelato - EC Flamengo - Franco da Rocha

APOIE O TIME DA SUA CIDADE!!!

O futebol em Suzano

Brasão de Suzano

O Campeonato Paulista 2021 está pra começar e mais uma vez, questões administrativas (da Prefeitura), o EC Santo André vai ter de mandar seus jogos fora do Estádio Municipal Bruno José Daniel.

Estádio Municipal Bruno José Daniel

Em 2019, mandou o clássico contra o São Caetano pela Copa Paulista em Suzano, no Estádio Municipal Francisco Marques Figueira, popularmente conhecido por Suzanão e aproveitei o rolê pra registrar mais uma vez o estádio!

Estádio Municipal Francisco Marques Figueira - Suzano

Mais uma vez, porque já estivemos lá, há alguns anos acompanhando um jogo do ECUS contra o Barretos pela série B do Campeonato Paulista, veja aqui como foi.

Estádio Suzano

Suzano fica na Região Metropolitana de São Paulo, no “Alto Tietê”:

Mapa do alto Tiete

Sua história começou quando o padre jesuíta Francisco Baruel, no século XVII chegou à região para apaziguar as guerras entre os índios Pés Largos e os Guaianases (representados na gravura abaixo), por meio da catequização (!).

Gravura dos índios Guaianazes

Logo se formou um povoado: Nossa Senhora da Piedade de Taiaçupeba.

Séculos depois chega a Estrada de Ferro e a estação local originalmente chamada de Guaió ajudou a aumentar o fluxo de pessoas pela região. (foto do Portal do Tietê que registra a história da cidade). Aliás, o nome “Suzano” foi homenagem ao engenheiro Joaquim Augusto Suzano Brandão, que trabalhou nas obras da estação.

Estação Suzano

Na sequência do século XX, chegam à cidade os primeiros imigrantes japoneses e depois italianos. Com seu crescimento, em 8 de dezembro de 1948, Suzano atingiu a condição de município, emancipando-se de Mogi das Cruzes.

O futebol sempre foi importante na cidade, prova disso são os times que disputaram os campeonatos profissionais da Federação Paulista.

Começamos falando do Suzano FC, fundado em 1 de outubro de 1933.

Suzano Fc

O Suzano FC jogava nas terras de Carlos Rodrigues de Faria, Armênio Simões e Manoel Moreira de Azevedo, hoje a praça dos Expedicionários.

Praça dos Expedicionários

Praça dos expedicionários - Suzano

O time passou boa parte da vida nas disputas amadoras e rivalizando com times da região como o União Mogi e o Vila Santista, de Mogi das Cruzes, o Corinthians e o Poaense (o distintivo abaixo), de Poá, entre outros.

AA Poaense

Com o tempo, o Suzano FC conseguiu um terreno, onde atualmente está o atual Ginásio Municipal de Esportes Paulo Portela, e lá construiu sua sede, tornando -se referência na cidade e na região fazendo Suzano ficar conhecida por conta do futebol.

Logo, o time passou a disputar o Campeonato de Futebol Amador do Estado, e mais uma vez fez historia ao ser por 3 vezes campeão da segunda fase, onde jogava com os times de outras regiões.

Em 1981, o Suzano FC tornou-se o primeiro de Suxzano a disputar uma competição profissional da Federação Paulista: a Terceira Divisão (equivalente à série A3) de 1981.

Suzano FC 1981

Logo em seu primeiro ano, conquistou o direito de disputar a série A2 de 1982, jogando o Grupo Preto.

Campeonato Paulista - Série A2 - 1982

Em 1983, mais uma vez disputou a segunda divisão (a série A2 da época) no Grupo Preto.

Campeonato Paulista - Série A2 - 1983

Aqui uma imagem do jogador Elias Dourado, no time, em 1983:

Suzano FC 1981

O Suzano FC voltou à série A3 de 1984 e 85.

Esse foi o time de 1984:

Suzano FC - 1984

Outro time que faz história em Suzano foi o Clube Atlético Paulista, fundado no bairro das Palmeiras, em 25 de janeiro de 1969 por trabalhadores rurais.

Clube Atlético Paulista (Suzano)Um empresário que tinha uma fábrica de nome “Paulista” decidiu dar um apoio, e ainda resolveuo nome do time, que passou a disputar a Liga Municipal de Futebol de Suzano, levando seu primeiro título em 1974.

O alvi verde de Suzano ainda ganharia respeito jogando contra grandes times do futebol amador dos anos 70 e 80, entre eles, ganhando o tradicional “Desafio ao Galo”.

Com tamanho sucesso, a diretoria decidiu profissionalizar o CA Paulista em 1982, e pra isso construiu seu próprio estádio em uma área cedida pela prefeitura.

Ali, enfrentou times importantes do futebol paulista, chegando a fase final da Terceira de 82, em sua primeira participação, onde ficou até 1987.

Aqui, seus resultados na primeira fase da Terceira Divisão de 1985:

Terceira Divisão 1985

Terceira Divisão 1985

A segunda fase, embora apresentasse os melhores colocados da primeira fase, tirou o CA PAulista da sequência do campeonato.

Terceira Divisão de 1985 fase 2

Em 1988, o Suzano FC disputou a, então chamada Terceira Divisão (que na verdade equivalia ao quarto nível do futebol paulista).

No ano seguinte, a prefeitura decidiu oficializar o apoio ao time e em 1989, o time se funde ao Suzano FC e muda de nome para União Suzano Atlético Clube, já disputando com esse nome a terceira divisão daquele ano.

União Suzano Atlético Clube

O União Suzano Atlético Clube se transforma num verdadeiro centro de esportes municipal atuando no vôlei e no basquete, além do futebol.

O time adotou como mascote o javali!

Mascote USAC

Em 1992 conquistou a taça dos invictos pela terceira divisão (a Série A3 da época). Olha, que linda essa camisa que está na Fanpage do time:

União Suzano Atlético Clube

O namoro com a prefeitura durou apenas até meados dos anos 90, e a separação levou o time, em 1996 para a sexta divisão de profissionais (a série B2).

No ano 2000, o mundo não acabou, mas foi quase, uma péssima campanha levou o USAC para a série B3, sendo rebaixado no grupo B do Campeonato Paulista de Futebol de 2000 – Série B2.

Campeonato Paulista de Futebol de 2000 - Série B2

O USAC joga a série B3 de 2001, mas se licencia da Federação Paulista no ano seguinte ficando de fora das competições até 2006, quando regressa à Segunda Divisão (a série B do Campeonato Paulista, que equivale ao quarto nível estadual), até uma nova parada em 2016, quando licenciado da Federação Paulista, participou da 1ª Taça Paulista, organizada pela Liga de Futebol Paulista.

USAC 2016 - Taça Paulista

Em 2019, a equipe retornou à Segunda Divisão (Série B do Campeonato Paulista), onde se encontra até hoje (2021), sendo que em 2020, obteve a maior goleada da sua história (9×0 contra o Atlético Mogi). Veja aqui como foi.

USAC 2020

Em paralelo à parte dessa história, precisamos falar do time da cidade, o Esporte Clube União Suzano, popularmente conhecido como ECUS.

Esporte Clube União Suzano

O time foi fundado em 25 de outubro de 1993, na época em que as relações da prefeitura não iam bem com o USAC (curioso que os fundadores dos dois times foram os mesmos).

Logo o ECUS estava disputando competições de futebol e também vôlei, basquete, atletismo entre outros, adotando o leão como mascote, e como são do bairro do Jardim Colorado, surge o “Leão do Colorado“.

Mascote ECUS

Após 5 anos nas disputas amadoras, em 1998 o time profissionbaliza-se e disputa o Campeonato Paulista da Série B1B (quinto nível do futebol paulista daquele ano), fazendo um bom campeonato no seu primeiro ano, como mostram os números do RSSS Brasil.

Campeonato Paulista - Série B1B 1998

O ECUS terminaria em sétimo lugar do grupo B:

Série B1B - 1998

Com dois clubes da cidade no mesmo grupo, surge pela primeira vez o derbi, denominado de clássico dos gêmeos”.

Em 1999, melhora sua colocação, terminando em sexto, mas não se classificando para as etapas finais.

Capeonto Paulista Série B1B 1999 - Grupo B

A partir do ano 2000 a divisão passa a se chamar “Série B2”, mas o ECUS não conseguiu melhorar seus resultados, terminando em décimo-primeiro lugar.

CAMPEONATO PAULISTA - SÉRIE B2 - 2000

Em 2001, mesma colocação:

Série B2 - 2001

Finalmente, em 2002, uma campanha digna de respeito: o título de campeão da Série B2, com a campanha abaixo (fonte: RSSS Brasil):

Série B2 - 2002

1a fase - série B2 - 2002

No mata mata, o time foi guerreiro e soube ultrapassar todos os adversários para sagrar-se campeão!

ECUS - Fase Final 2002

ECUS - Campeão Paulista Série B2 -2002

Assim, o ECUS passa a disputar a Série B1 do Campeonato Paulista, em 2003, onde logo em seu primeiro ano, quase conquista seu segundo acesso consecutivo!

Série B1 - 2003

Série B1 - 2003

Na segunda fase, o Grêmio Mauaense sobressaiu, mas o ECUS não fez feio, terminando na 4a colocação. Infelizmente, somente os dois primeiros subiram para a A3.

Campeonato Paulista Série B1 -2003

Campeonato Paulista Série B1 -2003

Em 2004, finalmente chega o acesso à série A3 (o terceiro nível do Campeonato Paulista), com uma bela campanha! Campeonato Paulista Série B1 - 2004

Campeonato Paulista Série B1 - 2004

Na fase final, a campanha não levou o título, mas pelo menos garantiu o acesso à série A3 de 2005 junto do Monte Azul (que foi o campeão, a Frroviária e o Grêmio Barueri).

Campeonato Paulista - Série B1 -2004

Campeonato Paulista - Série B1 -2004

Infelizmente, fez péssima campanha na Série A3, sendo rebaixado de volta ao quarto (e agora último) nível do Campeonato Paulista: a Série B, onde permaneceu com campanhas medianas e fracas até 2015, quando se licenciou do profissionalismo e ficou até os dias atuais (2021) fora do profissionalismo.

Em 2017, com os dois times licenciados, um jornal chegou a noticiar uma fusão entre os dois times que daria origem ao Sport Club Suzano, mas isso nunca chegou a sair do papel.

Pra terminar de ilustrar este post, voltemos ao que nos levou até Suzano: o Estádio Municipal Francisco Marques Figueira!

Estádio Municipal Francisco Marques Figueira - Suzano

Como disse, estáamos ali para ver um jogo do EC Santo André e por isso, tive por companhia, meus amigos de sempre de arquibancada!

Estádio Municipal Francisco Marques Figueira - Suzano

Estádio Municipal Francisco Marques Figueira - Suzano

Popularmente conhecido como Suzanão,o estádio pertence à prefeitura e tem capacidade para quase 5 mil torcedores, com arquibancadas nas duas laterais do campo.

Estádio Municipal Francisco Marques Figueira - Suzano

Aqui, uma olhada no gol da direita:

Estádio Municipal Francisco Marques Figueira - Suzano

Aqui, o gol da esquerda:

Estádio Municipal Francisco Marques Figueira - Suzano

O estádio foi inaugurado em 2 de abril de 1982, numa partida entre o Suzano FC e a Portuguesa de Desportos, e os visitantes ganharam por 5×1, e agora, lá estávamos nós, quase 40 anos depois pra curtir o estádio local!

Estádio Municipal Francisco Marques Figueira - Suzano

Nesse dia, rolou um minuto de silêncio em homenagem ao atleta Agenor, que havia falecido naquela semana.

O Estádio estava muito bonito, todas as arquibancadas pintadas de azul e vermelho.

Estádio Municipal Francisco Marques Figueira - Suzano

Estádio Municipal Francisco Marques Figueira - Suzano

Aqui um vídeo que mostra mais do estádio:

Existe até uma pequena parte coberta da arquibancada:

 

Estádio Municipal Francisco Marques Figueira - Suzano

As arquibancadas estavam bem vazias porque era um jogo no meio da tarde em plena quarta feira…

Estádio Municipal Francisco Marques Figueira - Suzano

Ali ao fundo, o tradicional placar manual!

Estádio Municipal Francisco Marques Figueira - Suzano

E é assim, entre amigos, e em meio a Copa Paulista, que vivenciamos um pouco desse lugar histórico para o futebol. Na esperança de que logo suas arquibancadas estejam cheias para a festa do povo de Suzano!

 

Estádio Municipal Francisco Marques Figueira - Suzano

APOIE O TIME DA SUA CIDADE!!