As Mil Camisas de volta a Bebedouro

Olha a gente aí de novo! 11 anos depois de nossa primeira visita à cidade (veja aqui e confira como foi o rolê) estamos de volta a Bebedouro, após passar por Guariba e Monte Alto em um rolê que cortou o noroeste paulista em busca de estádios!

Já conhecíamos a cidade, mas dessa vez pudemos aproveitar um pouco mais os detalhes, visitar o Sebo da Cultura e simplesmente relaxar passeando pelo centro…

Dei uma passada na praça onde está o Monumento aos construtores de Bebedouro, onde pude conversar um pouco sobre a Inter com o pessoal da velha guarda que se reúne ali.

A estação ferroviária já se encontra desativada há um bom tempo, mas pelo menos transformou-se em uma área de cultura.

Assim como as demais cidades do Noroeste paulista, Bebedouro tem sua história ligada à expansão da Cultura do café e à chegada da Ferrovia.

Como nossa última visita a Bebedouro foi quase que exclusivamente dedicada ao Estádio Sócrates Stamato, dessa vez arrumei um jeito de ir até o antigo “Estádio da Rua Valim“, depois chamado de Estádio Arnoldo Bulle, que em 2021 completa seu centenário!

O Estádio Arnoldo Bulle foi a primeira casa da Associação Atlética Internacional. (Distintivos do site escudos Gino):

A AA Internacional foi fundada em 11 de junho de 1906 (o que faz com que muitos a considerem o time mais antigo do interior de São Paulo) e se filiou à Associação Paulista de Esportes Atléticos (APEA) em 1909.

O Estádio Arnoldo Bulle foi criado em 1921, na época como o “Estádio da Rua Valim” ou ainda como “O Estádio da Internacional“. Aqui, uma foto rara (do site Campeões do futebol) do estádio nos seus tempos de “século XX”:

A página Bebedouro Arts comparou a imagem do antigo estádio com a atual área que faz parte do centro esportivo da UNIFAFIBE, faculdade referência na região:

Com a construção do estádio, logo a Inter deixou de se dedicar apenas a amistosos e a partir de 1924 começou a disputar as competições amadoras até 1947, quando adentrou ao profissionalismo. Aqui, o grupo da 1a região do Campeonato do Interior de 1930 (foto do livro “Os esquecidos”):

A Inter jogaria ainda o Campeonato do Interior de 1942 , 43, 44, 45, 46 quando chegou à fase Inter-regional e em 47 quando foi campeão do seu setor.

Nesse período enfrentou outros times de Bebedouro: o Botafogo FC, o EC Paulista, o EC São Paulo – Goiás, o Santa Cruz FC, o Vasco da Gama entre outros. O distintivo abaixo é do Escudos Gino:

Em 1948, passou a disputar o Campeonato Paulista profissional na segunda divisão, relembre (graças ao livro História da 2a Divisão no Futebol Paulista, de Júlio Bovi Diogo e Rodolfo Pedro Stella Jr) a campanha da Inter no primeiro campeonato:

Foram 36 temporadas disputadas aí, com destaque para a campanha de 1956, quando a AA Internacional sagrou-se campeã da Série Pecuária, sendo eliminada apenas na segunda fase. O presidente deste ano era o senhor Arnoldo Bulle, que daria nome ao estádio.

Em 1960, acabou disputando a 3a divisão, onde sagrou-se campeão da Série Paulo Machado de Carvalho e retornou à segunda divisão em 1961.

O site do Milton Neves “Que fim levou?” apresenta uma foto do atleta Willian Gamboni em 1973:

Em 1982, a AA Internacional esteve perto de chegar à elite mas perdeu a decisão do grupo vermelho para o CA Taquaritinga, na melhor de 3 jogos: 1×1 em casa, 2×2 em Taquaritinga e derrota de 4×2, em campo neutro (Ribeirão Preto, no Estádio Santa Cruz). Foto do facebook da Inter:

A Inter mandaria seus jogos no Arnoldo Bulle até 1990, mas mesmo 31 anos depois, passeando pelo entorno, ainda é possível encontrar vestígios dos seus tempos de glória.

O pessoal da UNIFAFIBE foi muito gente boa ao nos receberem e mostrarem o quanto conheciam da história do lugar!

Essa é a imagem do meio campo, em 2021:

O gol do lado direito:

E o do lado esquerdo (ali ao fundo um incrível ginásio esportivo da faculdade):

E existe um detalhe importantíssimo nesse estádio: foi o primeiro estádio do interior a receber sistema de iluminação (permanece lá até hoje):

Ali na lateral, a arquibancada que ainda resiste ao tempo e que tantas glórias acompahou, entre elas o amistoso contra o Penarol, do Uruguai.

Do outro lado pode se ver parte importante da estrutura da UNIFAFIPE.

Se for pro gol, me chama que eu vou! Fiquei muito feliz de poder registrar

Claro que não resistimos e demos um pulinho no Estádio Sócrates Stamato…

Como gostaríamos de comprar um ingresso e assistir um jogo da Inter….

Que baita estádio… Capacidade para mais de 15 mil torcedores.

O estádio foi inaugurado em 9 de fevereiro de 1956 no jogo Internacional 2×1 XV de Jaú.

O Estádio conta com uma pequena área das arquibancadas cobertas bastante charmosa.

E olha aí o novo reforço da Inter!!!

Atualmente a Inter está disputando a Segunda Divisão do Campeonato Paulista que equivale à quarta divisão estadual (no momento em que escrevo esse post a Inter vence o América de Rio Preto por 4×0!!!).

A torcida local apoia bastante o time, dentro e fora de casa (já assistimos a Inter como visitantes contra o São Carlos e contra o São Vicente).

Antes de ir embora, vale citar um rolê que fizemos lá, no “Guerreiro offline” uma lanchonete que mistura lanches e petiscos deliciosos com a cultura de jogos de tabuleiro!

E se até o sol termina seu ciclo, nos despedimos de Bebedouro para quem sabe um dia retornar para assistir uma partida da Inter…

APOIE O TIME DA SUA CIDADE!!!

]]>

Bezinha 2015 – São Carlos x Inter de Bebedouro

DSC00119

24 de maio de 2015, é dia do nosso primeiro jogo do ano, da segunda divisão do Campeonato Paulista, a querida “Bezinha”.

Decidimos rumar para São Carlos, pois até então nunca havíamos assistido um jogo no Estádio Municipal Professor Luis Augusto de Oliveira.

No caminho, que tal admirar um pouco uma réplica do DeLorean, do De Volta Pro Futuro?

De Lorean - De volta para o futuro

Essa belezinha está exposta no Graal próximo de São Carlos. Vale a pena a visita!

De Lorean - De volta para o futuro

Até o painel é idêntico!

De Lorean - De volta para o futuro

Hora de decidir… São Paulo ou São Carlos?

São Carlos Uma vez na cidade, é hora de achar o Estádio!

São Carlos

São Carlos

A cidade de São Carlos é mais uma dessas jóias escondidas pelo interior paulista. Uma arquitetura ainda bastante preservada, em meio ao visível desenvolvimento urbano, econômico e sócio cultural pelo qual as pessoas vem passando.

São Carlos

São Carlos

São Carlos

São Carlos

Esperamos que o povo de São Carlos saiba equilibrar o crescimento à preservação da história da cidade, para que as futuras gerações possam admirar toda a beleza das casas e prédios antigos, e principalmente da estação de trem.

Foi bacana ver que parte da cultura segue valorizada… Na mesma esquina do Estádio, encontramos vários violeiros preparando-se para mais um encontro.

violeiros - São Carlos

E na frente do estádio… O delicioso “Churros do Chaves”…

Churros do Chaves

Mas enfim, chegamos ao “Luisão”, estádio onde o São Carlos manda seus jogos.

Estádio Municipal Professor Luis Augusto de Oliveira - São Carlos

Mais uma bilheteria para nossa coleção!

São Carlos FC

E mais um ingresso, afinal, não basta fotografar, tem que apoiar nem que seja simbolicamente por meio da compra do ingresso.

Ingresso

Então, lá vamos nós à casa do São Carlos!

Estádio Municipal Luís Augusto de Oliveira - São Carlos

Ao adentrar no estádio, logo de cara uma surpresa positivo, uma bela cantina com várias opções de guloseimas. Nota alta no quesito “Culinária de Estádio”.

Estádio Municipal Professor Luis Augusto de Oliveira - São Carlos

Outro ponto positivo é a conservação do patrimônio.

Estádio do São Carlos F.C.

Estádio São Carlos FC O Estádio está muito bem cuidado e mantém um espírito saudosista, ao equilibrar uma linda área coberta junto de um anel de arquibancadas que envolve o campo.

Estádio Municipal Professor Luis Augusto de Oliveira - São Carlos

Estádio Municipal Professor Luis Augusto de Oliveira - São Carlos

O gramado também está muito bonito, colaborando pra um futebol de alta qualidade.

Belo Gramado

Enfim, vamos às apresentações desta partida:

O time do São Carlos está focado em voltar para a série A3, e ao redor do estádio é possível encontrar algumas manifestações da torcida sobre isso.

Estádio São Carlos FC

E por favor, torcedor… Nada de objetos no campo!

Estádio Municipal Professor Luis Augusto de Oliveira - São Carlos

Falando em torcida, segundo alguns torcedores locais, o público do jogo ficou abaixo do esperado, principalmente se levar em conta que o time atravessa um bom momento e jogaria contra um rival da região, o Inter de Bebedouro.

São Carlos x Inter de Bebedouro

São Carlos x Inter de Bebedouro

Aliás, os visitantes, o pessoal do “Lobo” fez bonito e compareceu ao jogo trazendo várias faixas, colaborando para o clima do jogo.

Torcida Explosão do Lobo - Inter de Bebedouro

Torcida Sangue do Lobo

Torcida Explosão do Lobo - Inter de Bebedouro

Bem ao lado deles estava a galera local da Sancaloucos, já tradicional torcida do interior paulista, sempre presente nos jogos do time de São Carlos.

Sancaloucos

Sancaloucos - São Carlos

Sancaloucos - São Carlos

Sancaloucos - São Carlos

Sancaloucos - São Carlos

Como eles são bastante amigos do pessoal da Fúria aqui de Santo André, nos sentimos praticamente em casa.  Aliás, parabéns à torcida, que não parou de cantar um minuto sequer.

Sancaloucos - São Carlos

Sancaloucos - São Carlos

Quer ouvir um pouco? Ouve aí:

Pra quem gosta de futebol e sabe das dificuldades pra se torcer para um time que disputa a 4a divisão do futebol paulista, é louvável a dedicação do pessoal da Sancaloucos.

Sancaloucos - São Carlos

Não é a toa que eles tem conseguido cada vez mais respeito entre as demais organizadas do interior.

Sancaloucos - São Carlos

Mas vale destacar também a presença do “torcedor comum”, que acompanha e apoia o time da sua cidade.  Foi possível ver famílias, amigos, casais e até quem estivesse sozinho acompanhando o São Carlos.

Estádio do São Carlos F.C.

Mas, falando um pouco do jogo, embora o sol estivesse dando o ar da graça, o jogo teve um primeiro tempo morno.

São Carlos FC

O time local chegou a fazer um gol, que foi anulado, mas também chegou a sofrer pressão em alguns contra ataques da equipe de Bebedouro, para desespero do treinador…

São Carlos FC Durante o intervalo, destaque para as camisas oficiais do time, sendo vendidas pelo Marketing do São Carlos, ao preço de R$ 60 (quem se interessar, favor contatar o clube pelo telefone ou até pelo site: www.saocarlosfc.com.br).

Camisa do São Carlos

Assim, o segundo tempo começou com a torcida apoiando, mas ao mesmo tempo exigindo que o time local tomasse as rédeas da  partida.

São Carlos FC

E deu resultado. Em um escanteio cobrado bem na nossa frente, o São Carlos abriu o placar com uma cabeçada de Gregorie.

Escanteio

     Gol do São Carlos FC  Gol do São Carlos FC

Festa na torcida de São Carlos! E festa em campo!

Gol do São Carlos FC

Com o gol, o jogo ficou mais corrido e mais aberto, e mesmo não tendo realizado uma de suas melhores partidas, o time do São Carlos ainda conseguiu ampliar e definir o placar em 2×0.

São Carlos x Inter de Bebedouro

São Carlos x Inter de Bebedouro   São Carlos x Inter de Bebedouro

Méritos para um time que, pelo menos aparentemente, tem feito a lição de casa: divulgado seus jogos, incentivado o torcedor a acompanhar o time no estádio e oferecido uma estrutura no mínimo bacana para quem tem comparecido.

São Carlos FC O jogo foi chegando ao fim e era hora da torcida local comemorar, enquanto nós pegávamos a estrada mais uma vez com a sensação de missão cumprida!

Mari

Mau

Pra terminar bem o fim de semana… Só com uma jaca, né Mari? Não faz sentido, mas sempre quis terminar um post com uma jaca.

Jaca

APOIE  O TIME DA SUA CIDADE!!!

Mau e Mari

Salvar Salvar]]>

Inter de Bebedouro 3×1 Primavera de Indaiatuba

Um feriado emendado na agenda e uma vitória do Santo André, na sexta feira contra o São Caetano me motivaram a pegar o carro e cair na estrada no sábado para ir até Bebedouro assistir ao jogo da Inter local contra o Primavera de Indaiatuba.

E aja estrada, amigo…
Saí de Santo André às 8h da manhã, parei em Campinas para almoçar com a família da Mari e às 15h, ou seja quando o jogo estava começando, eu ainda estava há mais de 60 km da cidade…

E se a distância parecia não ter fim, acredite, os pedágios atrapalham muito mais… Foram vários!

Mas, enfim, cheguei à belíssima cidade de Bebedouro!

E mais do que correndo me dirigi ao Estádio Sócrates Stamato, que já mantinha as portas fechadas para o meu desespero…

O Estádio Municipal é um belo lugar, com muita história para contar! Sua capacidade é de 15.300 lugares.

Como não é a primeira vez que chegamos atrasados num jogo, procurei manter o controle e fazer o que faço sempre. Procurar o responsável pelo estádio em algum portão secundário.

E lá estavam eles (os dois são gente finíssima, o da esquerda é o seu Nossor e o da direita o Cabral).

Afoito, perguntei como se entrava no estádio, e logo vi o portão aberto atrás deles. Nem bem esperei a resposta e saí correndo. Pobre Mau… Assista ao vídeo para entender meu sofrimento…

Bom, já que não tinha o que fazer, aproveitei a oportunidade para fazer umas fotos do Estádio, mais uma joia do futebol do interior paulista:

A “Toca do Lobo Vermelho” está muito bem cuidada.
É um daqueles estádios antigos, mas muito bem preservado e com várias intervenções nas paredes que dão um toque todo especial a cancha!

Há uma pequena parte coberta (o sol é forte na região) e um anel com cerca de 25 degraus, em volta de todo o campo.

Ok! Confesso que fiquei mal com a perda do jogo, porque na manhã seguinte já teríamos um outro compromisso e não compareceríamos ao jogo…
Foram momentos de decepção que me ensinam a sempre rever as datas (entenda, não é que tenhamos planejado errado, o caso é que a Federação alterou a data em cima da hora).

Uma última olhada no gramado e nas bancadas…

Uma última passada em volta do Estádio…

E vamos embora!

Mas antes, fomos tomar um sorvetinho no tradicional “Chiquinho”, onde pude conversar com alguns torcedores locais e ver que existe muita admiração pela Inter.

No caminho percebemos que a cidade mantém uma arquitetura diferenciada.

Passamos também por uma faculdade com um belo campo, que desconfiamos seja o ex campo da Inter, o Estádio Arnaldo Bulle, alguém confirma?

Abaixo, a prova de que nem mesmo a gráfica que fez os ingressos teve tempo para corrigir a alteração da data do jogo:

Essa e outras fotos do jogo podem ser encontrada no site da torcida: www.sanguedolobo.com .

Ficamos devendo acompanhar um jogo do Lobo, em Bebedouro, mas agora precisamos esperar saldar as dívidas feitas em combústivel e pedágios…

Até lá, nos vemos pelos estádios…

APOIE O TIME DA SUA CIDADE!!!

São Vicente 1×1 Inter de Bebedouro

Ainda em pleno feriadão, depois de um rolê pelas cachoeiras da Serra da Mantiqueira, fomos até a baixada para acompanhar a sequência da Série B do Paulistão.
Antes do jogo, um breve rolê passando por 2 estádios de Santos, o Ulrico Mursa:

E a Vila Belmiro, cada dia mais bonita e com mais cara de cancha argentina. Destaque para a bela loja e para o museu que existe junto do estádio!

Mas o rolê do dia era na cidade vizinha, a primeira cidade do Brasil, São Vicente!

O jogo, no Estádio Mansueto Pierotti era contra a Inter de Bebedouro e depois de tantos dias de seca, a chuva que caia pela manhã ameaçava estragar a festa e espantar os convidados…

Para a nossa surpresa, além do grande número de carros parados próximos ao Estádio Mansueto Pierotti, havia até fila para a entrada!

E a chuva começava a apertar…

Para quem acha que a gente não paga, taí mais R$10 gastos em ingressos! É a nossa parte para a manutenção do futebol!

Eu ainda não conhecia o Estádio Mansueto Pierotti, reinaugurado em 2002:

Chegamos a tempo de ver os times entrar em campo e cantar o hino nacional, uma obrigação que me incomoda. Pra mim, deveria se cantar o hino da cidade.

 E lá estávamos nós, mais uma vez…

Esperávamos a chuva dar uma trégua, embaixo da marquise do Estádio, nos lamentando pela chegada da frente fria justo naquele momento…

Dentro do próprio Estádio Mansueto Pierotti estão os troféus do time, expostos aos torcedores.

O gramado estava um pouco judiado, nem parecia que estávamos em uma época de seca.
Mas, como já disse outras vezes, infelizmente as divisões de acesso não tem ajuda alguma para conseguir manter o bom estado dos campos, o negócio é jogar!

O pior é que naquele momento, a chuva que caía prejudicava ainda mais a grama…

Mas falando em chuva, ela não espantou ninguém, só fez com que aparecessem dezenas de guarda chuvas dando um aspecto único às arquibancadas do Estádio Mansueto Pierotti.

E o time do São Vicente nem de guarda chuva precisou. Entrou quente no jogo, exigindo atenção da defesa adversária atenção redobrada.

Mas nem com toda a atenção e esforço a zaga da Inter conseguiu impedir o primeiro gol do time local.
Após um bate e rebate, Marquinhos fez o gol do São Vicente e foi pra galera!
Festa nas arquibancadas do Estádio Mansueto Pierotti!!!

Festa dos guarda-chuvas também!!!

Lá do outro lado, um pequeno grupo vermelho se fez triste. Fui lá conferir se realmente eram torcedores do Inter.

A rapaziada compareceu em São Vicente enfrentando a distância e a chuva e ainda se deram bem… O time da Inter de Bebedouro empatou o jogo ainda no primeiro tempo…

O gol desanimou o time do São Vicente, que não conseguiu marcar o segundo gol.

Pra complicar o time do litoral a chuva acabou prejudicando o campo e atrapalhando a criação de novas jogadas.

A torcida incentivou o time o quanto deu, mas sentiu o peso do empate…

A rapaziada da Fúria Alvinegra também tentou empolgar o time, mas o time não reagiu…

E foi assim que o bom público assistiu o empate entre os dois times, por 1×1.

Muita gente reclamou do juiz, que teria “amarrado” o jogo…

De nada adiantaram os conselhos dos torcedores que ficam atrás do gol (tão legal quanto à Javari!).

Sem dúvida, foi um ótimo programa, mesmo tendo molhado as únicas blusas de frio que tinhamos levado…

Empatar em casa nunca é bom, principalmente nessa fase, sendo assim, o time do interior saiu bastante satisfeito com o ponto ganho e vai com moral pro jogo de quarta feira contra o Primavera, em Bebedouro.

A torcida do São Vicente fica na expectativa do time aprontar alguma contra o Velo Clube, lá em Rio Claro, num jogo duríssimo!

O Estádio Mansueto ficará no aguardo para a partida final do primeiro turno, contra o Primavera, com suas bandeiras e principalmente, com sua gente

Gente que usa orgulhosa a camisa do time, lembrando a importância da cidade para o nosso país.

Agradecemos aos amigos que conhecemos no jogo e esperamos rever a galera em breve!

Dali, ainda passamos pela tradicional “Ponte Pêncil”, até chegarmos ao nosso último destino…

A cidade de Itanhaém, nossa casa!

APOIE O TIME DA SUA CIDADE!!!

]]>