Estádios do Oeste Paulista: 3- Penápolis

A próxima parada estava perto de Lins! Andamos poucos minutos e logo conhecemos a bonita cidade de Penápolis.

Ainda é possível encontrar muitas obras de arquitetura que lembram o passado da cidade.

Nosso destino era o campo onda o C.A. Penapolense manda seus jogos, o Estádio Municipal Tenente Carriço, o Tenentão, que fica localizado num endereço fácil de lembrar:

Não tinha ninguém ali na frente pra tirar uma foto de nós dois, então… fizemos duas fotos, afinal, uma lembrança em frente o Tenentão é algo que ninguém quer perder!

A cidade de Penápolis e em especial o entorno do estádio é bastante tranquilo, ainda mais num feriado…

Reparou na placa em frente o Estádio? Ela eterniza a entrada do estádio em 1956, e o time vencedor do Campeonato Paulista da 2a divisão em 1974.

Mas, deixemos de enrolação e entremos em mais um templo do futebol!

Já do lado de dentro é possível ver o sonho que se tornou realidade e com certeza superou a expectativa de muita gente. O C.A. Penapolense fez bonito na série A1-2013!

E vamos pro gol!

Se o time surpreendeu pelos resultados, o Estádio Tenente Carriço também surpreende pela organização e cuidados.

As arquibancadas e o gramado muito bem cuidados mostra que a cidade levou a sério a ida para a primeira divisão.

O Estádio Municipal Tenente Carriço tem capacidade para 15.000 pessoas.

Olha que coisa simples de se fazer, mas que ajuda a dar uma cara bacana pro campo!

O orgulho do time está pintado em todos os lugares possíveis!

O estádio foi inaugurado em 1928, em um jogo entre o time da casa e o Palmeiras.

Olha a parte destinada à torcida visitante:

Esperamos que a torcida mantenha seu apoio nas próximas competições, lembrando que ainda este ano, o time disputa a série D do Brasileiro (aliás, está no mesmo grupo do meu Santo André).

Ali ao fundo, um prédio quebra a beleza do horizonte e lembra que o crescimento da cidade é inevitável.

Para o amigo Anderson, de Curitiba, que curte ônibus dos times, eu consegui uma foto da Van do time, serve?

Parabéns pelo belo estádio!

Pra nós, era hora de pegar a saída e dar sequência à viagem, com próxima parada em Birigui!

APOIE O TIME DA SUA CIDADE!!

13 Respostas to “Estádios do Oeste Paulista: 3- Penápolis”

  1. Roberto Rocha disse:

    Porque o nome Tenente Carriço, quem ele foi ? Espero que não tenha sido nenhum torturador da década de 60/70.

    Linda matéria !

  2. Alan de Andrade Soares disse:

    Por sinal o mascote deles lembra e muito o do São Bernardo rs
    Infelizmente é uma “regra” para os times pequenos venderem todos os jogadores logo após fazer uma grande campanha, espero que o Penapolense não seja mais 1 a afundar com isso

  3. […] de Penápolis (veja aqui como foi) e rumamos à Birigui, uma cidade muito bacana, desenvolvida e que tem na indústria do calçado sua […]

  4. Luiz Afranio disse:

    Tenente Carriço foi o doador do Terreno para a Construção do Estádio. O mesmo era Fazendeiro e não Militar, e doou o terreno com a condição que o Estádio tivesse pra sempre o seu nome.

  5. wilson disse:

    Tenho umas 2 fotos do ônibus posso lhe enviar, parabéns pela reportagem…. Abraço.

  6. bruna disse:

    Essa foto do Km de penapolis, tenho uma parecida…sque tirei hoje. Show de bola. Classica!

  7. Laercio disse:

    Em tempo, cabe explicar que o Tenente Carriço não era um militar de carreira.

    Assim como os coronéis, figuras de nosso recente passado, várias patentes eram distribuídas aos mais abastados, principalmente aos fazendeiros, como forma de distinção por fazerem parte da Guarda Nacional.

    A Guarda Nacional foi criada em 1831 e foi descontinuada a partir de 1892 e desaparecendo de forma definitiva em 1922. Era de caráter civil e surgiu como forma de manter a segurança pública durante o período do Brasil Império, havendo a transição da hegemonia das forças leais à coroa portuguesa para uma força policial que resguardasse os interesses da recente nação brasileira.

    Então, o título se deve apenas ao passado. De fato, andando pelo interior paulista, comumente se encontrarão monumentos e homenagens (nomes de ruas e avenidas, por exemplo) a grandes fazendeiros com patentes militares.


Deixe um comentário

*