Rolê Independência & Bola! Estádio em Santa Rosa de Viterbo (Parte 5 de 21)

A 5a parte do nosso rolê em busca de estádios é sem dúvida um momento especial.

Após registrarmos os estádios de Pirassununga, Descalvado, Santa Rita do Passa Quatro e Tambaú, agora é a vez de falar sobre nossa passagem por Santa Rosa de Viterbo.

Santa Rosa de Viterbo

A região era habitada por tribos de índios caiapós, até se tornar “Capitania Hereditária de São Tomé” e a partir de 1883 começou a receber um maior volume de pessoas, com a chegada da estrada de ferro Mogiana e com a Capela de Rosa de Viterbo, que viria a dar nome à cidade.

Atualmente, sua população está em torno de 26 mil pessoas.

Santa Rosa de Viterbo

Nosso foco nessa visita era conhecer a Fazenda Amália, que surgiu quando Henrique Dumont (pai de Santos Dumont e um dos “reis do café”) comprou suas primeiras terras na região.

Nascia ali um grande complexo agroindustrial, batizado de Fazenda Amália em homenagem à sua esposa. Dizem que pagou barato por estas terras que no seu apogeu chegaram a possuir 96 km de ferrovias por onde passavam 7 locomotivas para escoar sua produção.

Família Dumont

A fazenda Amália se transformaria em uma potência ainda maior, com su compra feita pela família Matarazzo. O conde Francisco Matarazzo Júnior reforçou a produção de cana-de-açúcar e também ampliou seu complexo industrial com uma grande fábrica de papel e ácido cítrico.

Fazenda Amália

Santa Rosa de Viterbo acabou se desenvolvendo graças aos empregos gerados e serviços demandados pela Fazenda Amália.

Na década de 1940, seriam inaugurados o Hospital Santo André (o primeiro da cidade), o cinema Don Juanico (ainda está lá o salão),a Igreja São Francisco e o Estádio de Futebol Ermelino Matarazzo, foco da nossa visita à cidade.

Ah, aqui a foto de uma das estações de trem presentes na fazenda.

Fazenda Amália

O “Grande Império Industrial” da Família Matarazzo duraria quatro década sendo durante muito tempo o maior complexo industrial da América Latina, porém… como já diria o SKA-P... Todo império cairá um dia!

Assim, no início dos anos 1980, o Império dos Matarazzo ruiu nas mão da filha do conde, Maria Pia Matarazzo com dívidas absurdas, levando a usina a ser arrendada. Após 113 anos em funcionamento, a Usina Amália parou diante um impasse no arrendamento entre família Matarazzo e Biagi.

Na nossa visita fomos informados que a parte onde fica o Estádio tornou-se um condomínio particular.

Enfim… É muita história. Vale a pena assistir o vídeo abaixo pra conhecer um pouco ou, ler o vasto material disponibilizado na Internet. Basta usar o Google como partida.

Voltemos então ao foco futebolistico de nossa viagem, o Estádio Ermelino Matarazzo, onde o time da fazenda, a Associação Amália de Desportos Atléticos (AADA) mandava seus jogos.

Estádio Ermelino Matarazzo - Santa Rosa de Viterbo - Associação Amália de Desportos Atléticos (AADA)

A AADA foi “oficialmente” fundada em 1o de janeiro de 1940, embora muitos colaboradores da Fazenda tenham confirmado que desde o início dos anos 30 já existia o time.

Era um jeito de reunir empregados e empregadores da Sociedade Agrícola FazendaAmália, promovendo a prática esportiva, principalmente o futebol.

Time da Associação Amália de Desportos Atléticos - Santa Rosa de Viterbo

O time era subordinado ao Departamento de Serviço Social da empresa.

Time da Associação Amália de Desportos Atléticos - Santa Rosa de Viterbo

Dá uma sensação curiosa ver o distintivo com um “A” em um círculo, parecendo muito um time de anarquistas hehehehe.

Time da Associação Amália de Desportos Atléticos - Santa Rosa de Viterbo

Time da Associação Amália de Desportos Atléticos - Santa Rosa de Viterbo

A AADA participou da quarta divisão em 1966 e da terceira em 1967 e 68.

 Time da Associação Amália de Desportos Atléticos - Santa Rosa de Viterbo

O AADA ainda teve um segundo distintivo, aproximando-se da marca da Fazenda (retirado do Almanaque do Futebol Paulista):

Distintivo AADA

Mas, voltemos a falar do Estádio Dr Ermelino Matarazzo.

Estádio Dr Ermelino Matarazzo - AADA - Santa Rosa de Viterbo

Ele começou como um campo cercado de folhas de zinco e acabou reformado graças aos esforços de Ermelino Matarazzo, um apaixonado pelo futebol, que chegou a ser goleiro da AADA (e depois do Palmeiras e do Botafogo).

Suas arquibancadas eram na verdade a varanda do casarão que ficava ao lado do campo.

Estádio Dr Ermelino Matarazzo - Santa Rosa de Viterbo

Vamos dar uma olhada?

O casarão ao lado abriga (ou abrigava) o Cinema Dom Juanico.

Cinema Dom Juanico

Infelizmente fomos super mal recebidos pelos seguranças locais, que a todo instante repetiam para irmos embora que aquela área era particular e que ninguém nos daria permissão para adentrar ao campo. (perceba que as fotos foram feitas do lado externo).

Estádio AADA Santa Rosa de Viterbo

Pudemos assim fazer algumas fotos do campo por cima do muro:

Estádio Dr Ermelino Matarazzo - AADA - Santa Rosa de Viterbo

Olha o casarão, que coisa linda!

Estádio Dr Ermelino Matarazzo - AADA - Santa Rosa de Viterbo

Antes de disputar a terceira e a quarta divisão, a Associação teve o direito de disputar o Campeonato Amador do Interior, e assim o fez. Em 1957, a AADA venceu o Campeonato do Interior, garantindo uma vaga na Terceira Divisão.

AADA - Estádio Ermelino Matarazzo - Santa Rosa de Viterbo

O tempo passou. O império caiu. O ambiente é inóspito a visitantes. Mas o campo ainda está ali. Este é o gol da direita:

Campo da Associação Amália de Desportes Atléticos - Santa Rosa de Viterbo

Aqui o gol da esquerda:

Campo da Associação Amália de Desportes Atléticos - Santa Rosa de Viterbo

Campo da Associação Amália de Desportes Atléticos - Santa Rosa de Viterbo

Até os bancos de reserva seguem ali!

Campo da Associação Amália de Desportes Atléticos - Santa Rosa de Viterbo

Mas mesmo com o campo ainda existindo, sabemos que é praticamente impossível a volta de um time como a AADA…

Santa Rosa de Viterbo

Santa Rosa de Viterbo

Hora de voltar à estrada e dar sequência à viagem e aos sonhos.

APOIE O TIME DA SUA CIDADE!!!

Deixe um comentário

*