Primeiro jogo do ano: Rayo Vallecano x Getafe

Então, começa 2013… Que seja um ótimo ano para todos nós! E para ajudar a torná-lo inesquecível, o nosso primeiro jogo tem grandes chances de ser o melhor do ano! Em nossa última noite por Madrid, fomos até o bairro de Vallecas para enfim conhecer o time e a torcida do Rayo Vallecano!

Esse ano, o time até lançou um livro sobre sua história: “Vallecas y el Rayo Vallecano“.

Infelizmente, o valor do Euro não me permitiu trazer a camisa do time, mas trouxe um cachecol, comprado ali, na porta do Estádio “Vallecas Campo de Futbol”, antigo Teresa Rivero que aliás, fica literalmente em frente à estação “Portazgo”, do Metrô.

Vallecas é um lugar único. É um bairro que já foi cidade, cheio de histórias e tem até brasão. Para completar o cenário, a população local tem seu próprio time e seu próprio Estádio…

Como eu disse, o metro para em frente das bilheterias laterais, porém, não tinha nenhuma aberta, tivemos que ir até a bilheteria central comprar nossos ingressos.

O preço mais barato é 18 Euros, junto da galera do Los Bukaneros, mas estavam “agotadas”…

O jeito foi ir a um lugar nas laterais, que nos custaram 30 Euros, cada, ou seja, é caro torcer em Madrid…

Passeando pelo entorno do estádio pudemos ver a polícia local, não tão a paisana como imaginávamos.

Algumas inteferências nos muros, mostram que Los Bukaneros estão na ativa há 20 anos, desde 1992 (21, agora). O site deles é www.bukaneros.org

Ainda antes de entrar, deu pra tirar uma foto do ônibus do GETAFE, pro Anderson, lá de Curitiba. A qualidade tá ruim porque tava bem escuro…

E enfim, chega o momento de conhecermos pessoalmente esse estádio, seu time e principalmente sua torcida…

A cena chega a ser engraçada. Eu e a Mari parados ali, em frente ao campo, por 5, 6 minutos, até que um cara da administração diz que não podemos ficar ali em pé… Mas o momento era mágico, merecia dedicação. Os Deuses do futebol capricharam em Vallecas!

Incrível como as fotos e os vídeos trazem tão pouco daquela atmosfera. Ok, sei que não sou um fotógrafo de primeira linha, mas mesmo assim. As imagens não traduzirão nunca o que as pessoas construiram em Vallecas.

Ficamos na segunda fileira de cadeiras bem perto do campo, como costumamos fazer, em Santo André. Nos sentíamos em casa e ali, ao nosso lado esquerdo, estava a torcida “Los Bukaneros” com seus cantos, faixas, bandeiras e animação.

E o jogo rolava ali, bem pertinho da gente.

Aliás, o time do Rayo está bom nesta temporada, e em especial nessa noite, eles jogaram muito, com muitas jogadas de linha de fundo, o que fez a gente estar bem perto da ação.

O melhor da ação é o momento do gol… O vídeo está bem realista com o que a gente estava vivendo… Estávamos em êxtase, sem saber pra onde olhar hehehe.

Nessa foto, dá pra ver o momento em que o estádio inteiro levanta seus cachecóis! Como é muito frio (ao menos nessa época), você quase não vê pessoas na arquibancada com a camisa do time, afinal estão com um monte de blusas por cima, mas os cachecóis estão sempre a mão. Essa noite estava uns 4 graus quando saímos para ir pro jogo.

Os cantos da torcida são sempre de apoio ao time criticando racismo, xenofobia e as atitudes da polícia.

Recentemente um jovem ativista de Vallecas, chamado Alfon Fernandes foi preso a caminho de uma manifestação e acabou se tornando o ícone da crítica à ação policial, tendo seu nome cantado pelas ruas e estádios. E quando a torcida manda mensagem, é assim:

Participamos de uma manifestação nas ruas centrais de Madrid e pudemos ver seu nome em várias faixas e nos adesivos que eram distribuídos.

Tirei muitas fotos da torcida, pois sei que não voltarei tão cedo para lá e quero muito guardar essa imagem na mente, principalmente das bandeiras com mastros, ainda permitidas por lá e que geram um espetáculo visual!

Dê uma olhada nas bandeiras em movimento:

Em campo, o time mandava bem e fazia 3×0. E a gente ali, acompanhando tudo…

A emoção era tanta que nem demos muita bola para um capítulo normalmente essencial: As comidas de estádio. Lembro que no bar, vendiam os tradicionais salgadinhos (destaque para semente de girassol que lá é vendida como amendoim), água, refrigerante (não reparei se tinha cerveja), mas flagramos uma galera que levou uma torta!!

Dando uma olhada para outros ângulos do Estádio, aqui, a galera que estava do mesmo lado nosso,mas lááá na outro lado, perto da linha de fundo.

Outro grupo tradicional presente no estádio são os “Pena Rayista Ultramarinos“, que eu não conheço, mas vi várias faixas. Se alguém souber, pode postar comentando…

A animação era tanta que nem vimos o GETAFE diminuir para 3×1.

E mais mensagens contra o capitalismo!

E mais festa…

Ahhhhhhh, 2013, futebol, rock e revolução em nossas mentes…

A torcida do GETAFE não compareceu. É um time de uma cidade próxima de Madrid, mas que não tem muitos torcedores.

O Rayo Vallecano conta ainda com um brasileiro no time, Leo Baptista, que na semana seguinte a este jogo acabou se lesionando.

Já no final do jogo, percebemos que o negócio era mesmo ter ficado lá no meio de Los Bukaneros, porque como em todo estádio, tem horas que a torcida dá uma “descansada” e ali no meio, a galera assistia sentada mais comportada…

Do outro lado, também vinham alguns gritos animados!

Para terminar, que tal cantar a tradicional música imortalizada pelo SKA-P, junto da torcida local?

APOIE O TIME DO SEU BAIRRO!!!

8 Respostas to “Primeiro jogo do ano: Rayo Vallecano x Getafe”

  1. Leonardo disse:

    Caraaaaaalho 😀

    Estive em Vallecas em outubro do ano passado. O Rayo perdeu, mas é incrível como, mesmo com o time jogando mal, a torcida não parava de animar e continuaram fazendo festa uns 5 minutos depois de acabar o jogo.

    Me arrepio pacas lembrando, nunca tinha sido torcedor de um time que não seja o meu aqui do Brasil, mas o Rayito mudou isso. Assisto a todos os jogos de clube pela internet, é o único jeito. Minha esperança de acompanhar mais o Rayo é conseguir um intercâmbio para Madrid durante a faculdade.

    Te recomendo pesquisar um pouco mais sobre os Bukaneros, sua luta contra a desigualdade, o racismo e a rivalidade com a Ultras Sur (ultras neo-nazistas do Real Madrid). Além disso, leia este texto http://espn.estadao.com.br/post/303034_nunca-fomos-os-melhores-nao-seremos-campeoes-so-te-peco-uma-coisa , ele resume bem a história do meu segundo time nos últimos anos.

    Abraços e feliz 2013!
    AL ABORDAJE

  2. Leonardo disse:

    Ah, e vc colocou o link errado da música do Ska-P.

  3. Leonardo disse:

    O que sei sobre a peña Ultramarinos: peñas geralmente são um grupo de amigos que se reúnem em algum bar ou no estádio mesmo para ver aos jogos.
    Os Bukaneros não são uma peña, são uma claque ultra. São um pouco mais “radicais”.

  4. Os protestos são comandados pelos Bukaneros, torcida organizada (na Europa chamados de Ultras) do Rayo Vallecano, que já mostrou força em outras vezes. Na temporada passada, o presidente Raul Martin Presa anunciou que cobraria € 20 a mais nos jogos em casa com Barcelona e Real Madrid, usando como desculpa que seria o “día del club”, uma data escolhida para ser um dia “especial” no calendário dos jogos em casa. Os torcedores, revoltados, protestaram dizendo “Presa, € 20! Sua mãe custa isso!”.

  5. […] é “Escápe”) foi formado em 1994, no bairro de Vallecas (já estivemos por lá, lembre aqui como foi). A banda tem sua obra marcada pelas críticas sociais contra o capitalismo, o fascismo, […]

  6. Paulo Ezequiel disse:

    Alguém sabe onde posso conseguir uma camiseta da melhor banda do mundo de todos os tempos?


Deixe um comentário

*