Desligue o computador e vá ler um livro!

Por uma questão “logí$tica” eu falo muito das divisões de acesso do futebol paulista, mas é sempre bom poder ver iniciativas que registrem esse cenário em outros estados.

E pra quem gosta desse assunto e quer focar no Rio de Janeiro, esta é uma ótima oportunidade: Da lama à grama, do Kleber Monteiro.

Da Lama à Grama

Um retrato atual, próximo e real feito por quem vive e se diverte com a realidade (cada vez mais difícil) da Terceira Divisão do futebol carioca, onde o autor divide suas experiências acompanhando as partidas, desbravando estádio e apresentando personagens.

E se o autor vai pro lançamento do livro com a camisa do Discharge…. aí ficou imperdível mesmo!

Kleber

O livro foi produzido pela Vilarejo Metaeditora, e ganhou uma grande ajuda na sua divulgação: uma cobertura feita pelo pessoal do Museu da Pelada!

Aos interessados em adquirir: contate o próprio autor (do it yourself, mano!) pelo WhatsApp (21) 997915589. O preço do livro é R$ 50 aos quais somar-se-ão os custos de envio.

APOIE QUEM APOIA O TIME DA SUA CIDADE!

O futebol em Tremembé!

Brasão de Tremembé

Tremembé é uma cidade que sempre chamou minha atenção, embora eu não tenha nenhuma grande memória com o futebol local, mesmo sabendo, agora, de sua tradição.

Clube Atlético Tremembé - Tremembé-SP

Estádio Américo Teixeira Pombo - Clube Atlético de Tremembé

Localizada na região Metropolitana do Vale do Paraíba, Tremembé é a casa de quase 40 mil pessoas.

Seu nome é de origem tupi: “Tirime’mbé”, que entre outros significados pode ser compreendido como “Escoar Molemente”, uma ligação com os vários rios e riachos presentes em seu território, com destaque para o Rio Paraíba.

Rio Paraíba

Em 1877, a ferrovia chegou à região e a estação de Tremembé foi inaugurada em 1914, mas, teve vida curta… A linha entre Pindamonhangaba e Taubaté foi desativada em 1951, eliminando a estação de Tremembé, restando à população local a nova estação de Engenheiro Cotrim que ficava fora da cidade. Em 1970, o prefeito tentou derrubar a estação abandonada para construir o paço municipal, porém o povo não deixou e o prédio continuou ali, até hoje.

Estação de trem - Tremembé

Estação de trem - Tremembé

O futebol na cidade tem uma série de times que fizeram (e fazem) a alegria dos tremembeenses, mas dois times representam verdadeiros patrimônios para o futebol. Um deles é o Clube Atlético Tremembé, o “CAT”!

CA Tremembé

Fundado em 18 de julho de 1921, o CA Tremembé brilhou nas disputas municipais e regionais. Esse é um dos primeiros times da história do clube:

Clube Atlético Tremembé 1921

O CA Tremembé fez história ao disputar o Campeonato do Interior de 1942, no grupo da 24ª Região, que teve o EC Taubaté como campeão.

Campeonato do interior 1942

Vale reforçar que em 1942, o Maristela FC, também de Tremembé, participou do Campeonato do Interior. (Distintivo refeito por Victor Nadal):
Maristela FC - Tremembé

Em 1943, o CA Tremembé jogou mais uma vez o Campeonato do Interior, e novamente teve o EC Taubaté como campeão do grupo.

Campeonato do Interior 1943

Em 1944, novamente disputou a 24ª Região, com novas equipes, mas novamente com o EC Taubaté campeão.

Campeonato do Interior 1944

O CA Tremembé também participou do campeonato de 45 e mais uma vez teve o EC Taubaté campeão!

Campeonato do Interior de 1945

Em 1946, o time não disputou o Campeonato do Interior, voltando apenas em 1947, quando disputou o Setor 2 da Zona 1, tendo como campeão a AE Guaratinguetá.

Campeonato do Interior 1947

Pra quem gosta de boas imagens do passado, a Fanpage “Tremembé das antigas”  disponibiliza uma série de fotos da cidade e também do time do CA Tremembé, como essa, justamente de 1947:

CA Tremembé 1947

A mesma fanpage ainda disponibiliza (sem a menção à data) outras fotos lindas, do time.

CA Tremembé

CA Tremembé - Tremembé-SP

CA Tremembé - Tremembé-SP

E uma imagem de 1955, mostra que o futebol sabe ser “gente boa” quando quer 🙂

CA Tremembé - Tremembé-SP

O CA Tremembé mandou e manda seus jogos no Estádio Amèrico Texeira Pombo, a “Arena Atlético Tremembé”!

Estádio Américo Teixeira Pombo - Clube Atlético de Tremembé

Como a pandemia tirou o futebol do dia a dia, o estádio acabou um pouquinho descuidado, mas vale mostrar como eraa faixa antes desse período:

Estádio Américo Teixeira Pombo - Clube Atlético de Tremembé

Estádio Clube Atlético TRemembé

O Estádio fica no meio da cidade, na Rua André Geraldo da Silva e além da entrada mostrada nas fotos acima, também tem esse portão com o distintivo do clube.

Estádio Américo Teixeira Pombo - Clube Atlético de Tremembé

Estádio Américo Teixeira Pombo - Clube Atlético de Tremembé

O pequeno portão dá entrada a um mundo mágico, mas a pandemia parece nos impedir de conhecê-lo internamente…

Estádio Américo Teixeira Pombo - Clube Atlético de Tremembé

Estádio Américo Teixeira Pombo - Clube Atlético de Tremembé

A menos que… A vizinhança dê uma força para conhecer a “Arena Atlético” por dentro de seus muros.

Estádio Américo Teixeira Pombo - Clube Atlético de Tremembé

Sem dúvida que a parte mais charmosa e que parece transparecer muita história é a arquibancada coberta!

Estádio Américo Teixeira Pombo - Clube Atlético de Tremembé

A mensagem na arquibancada é clara: “Aqui é Atlético!

Estádio Américo Teixeira Pombo - Clube Atlético de Tremembé

Várias árvores ao redor das arquibancadas dão uma cara ainda mais legal pro campo e pra arquibancada.

Estádio Américo Teixeira Pombo - Clube Atlético de Tremembé

Estádio Américo Teixeira Pombo - Clube Atlético de Tremembé

Esse é o gol da entrada:

Estádio Américo Teixeira Pombo - Clube Atlético de Tremembé

Ainda existe uma estrutura bem bacana de bar, vestiário e tudo o que precisa para seguir levando o futebol amador!

Estádio Américo Teixeira Pombo - Clube Atlético de Tremembé

Esse é o gol do fundo, com vários eucaliptos dando uma refrescada pro goleiro:

Estádio Américo Teixeira Pombo - Clube Atlético de Tremembé

Tem até uma área para a imprensa:

Estádio Américo Teixeira Pombo - Clube Atlético de Tremembé

E aqui dá pra ver como o estádio é literalmente “colado” às casas da vizinhança:

Estádio Américo Teixeira Pombo - Clube Atlético de Tremembé

Mas… Algumas pessoas do futebol local dizem que o Estádio Américo Texeira Pombo também teria participado do futebol profissional, graças a uma participação especial do segundo time da cidade na 3a divisão de 1957. Trata-se do CREIX!

CREIX - Tremembé

Esse é o distintivo mais difundido, mas as fotos mostram que o distintivo usado pelo time era outro:

CREIX

O Clube Recreativo e Esportivo da Indústria do Xisto foi um clube de vida efêmera na cidade de Tremembé, que nasceu para servir aos operários locais.

CREIX - Tremembé

O time foi fundada em 1956 e disputou a série A3 de 1957.

CREIX Tremembé

Segundo nos contaram, embora o CREIX tivesse um campo de futebol, onde atualmente fica localizado o Fórum de Tremembé, eles teriam disputado algumas partidas da A3 de 57 em cidades vizinhas, como comprova a nota da Gazeta Esportiva que o amigo Ivan Gotardo localizou…

CREIX

E aqui, o amigo e pesquisador do futebol de Taubaté, Moacir (autor do blog https://moataubate.com) me enviou uma matéria sobre o jogo entre o CREIX e a Ferroviária de Pindamonhangaba comprovando que o campo do CA Tremembé foi também a casa do time na série A3 de 1957!

CREIX x Ferroviária de Pindamonhangaba

Então… voltemos a olhar o  Estádio Amèrico Texeira Pombo, agora dando lhe os devidos créditos de ter recebido jogos da série A3!!

Esse foi o time que disputou a A3 em 1957:
CREIX

No ano seguinte, o CREIX voltou a disputar amistosos, como em 13/04/1958, quando venceu o Instituto de Reeducação por 3×0 (informação do incrível site História do Futebol.)

Jogador do Creix

A fanpage “Tremembé das antigas” guarda outras fotos do time do CREIX, sem identificação da data:

CREIX - Tremembé

CREIX Tremembé

Aqui uma foto da viagem do time do CREIX para Piquete:

CREIX Tremembé

Mais uma cidade com bastante história no futebol paulista que segue se mantendo no amadorismo mas que sem dúvida poderia voltar a se arriscar no profissional!

Estádio Américo Teixeira Pombo - Clube Atlético de Tremembé

APOIE O TIME DA SUA CIDADE!!!

A A.A. Ferroviária e o futebol em Pindamonhangaba

Pindamonhangaba

Feriado de 12 de outubro de 2020.

Finalmente a chance de poder registrar um dos estádios mais legais do lado leste do estado de São Paulo: o Estádio Dr. Antonio Pinheiro Junior!

Estádio Dr. Antonio Pinheiro Junior - Pindamonhangaba

Se você não ligou o nome ao local, o Estádio Dr. Antonio Pinheiro Júnior é a casa da Associação Atlética Ferroviária de Pindamonhangaba!

AA Ferroviária de Pindamonhangaba

Antes de falarmos sobre o futebol, vale informar que a cidade de Pindamonhangaba está situada na Região Metropolitana do Vale do Paraíba, às margens do Km 99 da Rodovia Presidente Dutra (passou da hora de propor um novo nome pra essa estrada hein?), há pouco mais de 140 km da capital paulista.

Pindamonhangaba

O nome da cidade vem do tupi e significa “lugar onde se fazem anzóis” e serve de casa para  aproximadamente 170 mil pessoas.

Os registros de ocupação de Pindamonhangaba datam de 1643, mas oficializou-se 10 de julho de 1705 (dia de sua emancipação) como a data oficial da fundação da cidade.

A grande revolução começou em 18 de janeiro de 1877 quando foi inaugurada a Estrada de Ferro São Paulo – Rio de Janeiro, e em julho do mesmo ano, o trecho da estrada entre São Paulo e Cachoeira passou a funcionar.

Ferrovia - Pindamonhangaba

Em 1890, com a Proclamação da República, a estrada de ferro seria encampada pelo governo federal, passando, no ano seguinte, a denominar-se Estrada de Ferro Central do Brasil e logo a cidade ganhou sua própria estação, que permanece por lá…

Estação ferroviária de Pindamonhangaba

A cidade conseguiu aproveitar o ciclo do café no Brasil, transformando a cidade em um grande centro cafeeiro. Mas… com o fim da escravidão, não houve como sustentar a produção e a cultura cafeeira de Pindamonhangaba passa a diminuir até sumir em 1920, trazendo um momento de estagnação econômica. A arquitetura da época permanece por lá…

Pindamonhangaba

Pindamonhangaba

Pindamonhangaba

E foi da ferrovia que, em 12 de abril de 1930, surgiu o único time da cidade a disputar o Campeonato Paulista de Profissionais, com a união dos funcionários das ferrovias Campos do Jordão e Central do Brasil que passaram a jogar futebol nos cantos do terreno da Vila Nair (atual sede do INSS), como uma forma de lazer. Ali seria o primeiro campo da Ferroviária.

Alguns de seus distintivos na história:

AA Ferroviária de Pindamonhangaba

O time estreiou em competições oficiais (ainda que na época não fosse considerado “profissional”) disputando o Campeonato da Divisão do Interior da FPF em 1934, e teve a Ferroviária como campeã do grupo que contava com a AA Aparecidense, o Cachoeira FC, o Commercial FC, também de Pindamonhangaba, o Cruzeiro FC e o Teciguará FC.

Com o título, a Ferroviária obteve o direito de disputar o Campeonato Estadual da FPF, que nada mais era do que um mata mata contra o campeão da FPF, que naquele ano fora o CA Fiorentino (que nada mais era do que o Juventus).

Foram dois jogos, sendo a decisão na Rua Javari:

Campeonato Estadual FPF 1934

Em 1935 foi comprado um terreno ao lado das oficinas da “Estradinha” onde foi construído o novo estádio.

Em 1942, mais uma participação no Campeonato Paulista do Interior e a Ferroviária sagra-se campeã da 9a região!

Campeonato do inteiro - 1942

No mata mata, a Ferroviária acabou desclassificada ao perder por 5×3 pro Taubaté, fora de casa.

Em 1943, não conseguiu classificar-se às eliminatórias, jogando novamente a 9a região ao lado de:

Campeonato do Interior 1943

Em 1943, houve a estreia de 2 outros times de Pindamonhangaba, o Commercial Mombaça FC e o Curupatuba FC:

Commercial de Pindamonhangaba

Em 1944, mais uma vez disputa o Campeonato do Interior, e o título do grupo dessa vez vai pro Cruzeiro:

Campeonato do Interior 1944

Mais uma vez um time de Pindamonhangaba fez sua estreia no campeonato: o São Paulo FC!

São Paulo FC de Pindamonhangaba

Aqui, o time de 1951, que usava o distintivo original, bem próximo do tricolor da capital:

São Paulo FC de Pindamonhangaba de 1951

Em 1945, foi a vez do Frigorífico de Cruzeiro ser campeão da 9a região:

Campeonato do interior 1945

Ainda em 1945, uma retificação dos trilhos da Estrada de Ferro acabou passando exatamente no campo da Ferroviária, o que parecia ser o fim do time… Tanto que em 1946 nem disputou o Campeonato, apenas em 1947, o setor 2 da zona 1:

Campeonato do interior 1947

Destaque para mais um time de Pindamonhangaba que participou dessa edição do Campeonato do Interior: a AE Industrial!

Associação Esportiva Industrial de Pindamonhangaba

O time ainda seria campeão do Campeonato do Interior em 71 e 74.

Campeonato do Interior 1971 - AE Industrial de Pindamonhangaba campeão

Campeonato do Interior 1974

Aqui, o time no amador de 1983 (já usando o novo distintivo):

Associação Esportiva Industrial de Pindamonhangaba

AE Industrial 1983

A própria Central do Brasil ajudou o time a se reerguer e a Associação Atlética Ferroviária seguiu na disputava de torneios, amistosos e campeonatos amadores da cidade em seu campo novo, o atual Estádio, construído por meio de uma campanha popular.

AA Ferroviária de Pindamonhangaba

Ferroviária de Pindamonhangaba

O Estádio Dr. Pinheiro Júnior foi inaugurado oficialmente, em 1948, e alguns anos depois, a A.A. Ferroviária decide disputar o futebol profissional, e a partir de 1953, o time passa a jogar a Série A3 do Campeonato Paulista até 1957.

Esse foi o time que jogou a A3 de 1956:

Feroviária de Pindamonhangaba

Em 1958, o time jogou a série A2, mas fez uma campanha bem irregular, terminando em último no grupo azul. Campeonato Paulista - Série A2 - 1958

Campeonato Paulista - Série A2 -1958

Em 1959, mais uma disputa do segundo nível do futebol profissional paulista, uma campanha um pouco melhor, mas ainda sem se classificar. Pra piorar, houve uma reformulação no estadual, o que provocou o rebaixamento da Ferroviária à série A3 novamente.

Campeonato Paulista - Série A2 - 1959

Campeonato Paulista - Série A2 - 1959

Esse foi o time que jogou a A2 de 1959:

AA Ferroviária 1959

Em 1960, voltou a jogar a A3, e esse foi o time daquele ano:

AA Ferroviária - 1960

Em 1961, faz sua última participação no futebol profissional, pela série A3. Algumas das partidas:

Campeonato Paulista Série A3 - 1961

Campeonato Paulista Série A3 1961

O clube estava enfrentando grandes dificuldades financeiras para se manter, e como o futebol exigia gastos que não estavam sendo recompensados com resultados mais expressivos, a diretoria encerrou as atividades do futebol profissional em 1962.

Pindamonhangaba ainda veria o Corinthians local, fundado em 1930, sagrar-se bicampeão do Campeonato do Interior (agora já sob o nome de “Amador do Estado”) em 1981 e 1982.

Coritnhians de Pindamonhangaba

Aqui, o poster do título de 81:

Corinthians FC de Pindamonhangaba 1981

E aqui, o time de 82:

Corinthians de Pindamonhangaba 1982

Essa é a entrada do seu campo, o “Estádio do Cardosão“:

Estádio do Cardosão - Corinthinas Pindamonhangaba

Pra saber mais sobre o futebol de Pindamonhangaba, não deixe de acessar o incrível trabalho do pessoal do “PindaFuteboldoPassado“.

Entretanto o clube segue de pé, tanto com sua belíssima sede social, quanto com o Estádio Dr. Antonio Pinheiro Junior.

Estádio Dr. Antonio Pinheiro Júnior - Ferroviária de Pindamonhangaba

Ele fica localizado na rua Dra. Isaura e de Tolêdo Silva, 45.

Estádio Dr. Antonio Pinheiro Júnior - Ferroviária de Pindamonhangaba

Estádio Dr. Antonio Pinheiro Júnior - Ferroviária de Pindamonhangaba

Estádio Dr. Antonio Pinheiro Júnior - Ferroviária de Pindamonhangaba

Mais uma bilheteria para a nossa coleção!

Estádio Dr. Antonio Pinheiro Júnior - Ferroviária de Pindamonhangaba

E graças a ajuda do pessoal do clube, em especial o Anderson e o Zé Carlos, foi possível conhecer o estádio por dentro.

Estádio Dr. Antonio Pinheiro Júnior - Ferroviária de Pindamonhangaba

Então, vamos lá?

Olha que bonita essa foto aérea do Portal R3:

AA Ferroviária de Pindamonhangaba

O nome do Estádio é homenagem ao médico Dr. Pinheiro Júnior, o “Dr Tinoco”, que foi um dos entusiastas na campanha pela construção do estádio, além de atender a muitos dos trabalhadores da ferrovia.

 Ferroviária Pindamonhangaba

E nós, em pleno 2020, 90 anos depois da fundação do time… Estamos aí!

 

Estádio Dr. Antonio Pinheiro Júnior - Ferroviária de Pindamonhangaba

O Estádio tem capacidade para cerca de 3 mil torcedores.

Estádio Dr. Antonio Pinheiro Júnior - Ferroviária de Pindamonhangaba

O campo segue muito bem cuidado, afinal o time ainda disputa competições amadoras. O gramado está muito bom!

Estádio Dr. Antonio Pinheiro Júnior - Ferroviária de Pindamonhangaba

Os bancos de reserva levam a gente numa volta ao passado!

Estádio Dr. Antonio Pinheiro Júnior - Ferroviária de Pindamonhangaba

Possui ainda arquibancadas cobertas em toda a lateral do campo:

Estádio Dr. Antonio Pinheiro Júnior - Ferroviária de Pindamonhangaba

Estádio Dr. Antonio Pinheiro Júnior - Ferroviária de Pindamonhangaba

Estádio Dr. Antonio Pinheiro Júnior - Ferroviária de Pindamonhangaba

Pra quem está nesta arquibancada, esse é o gol do lado esquerdo:

Estádio Dr. Antonio Pinheiro Júnior - Ferroviária de Pindamonhangaba

Aqui, o meio campo:

Estádio Dr. Antonio Pinheiro Júnior - Ferroviária de Pindamonhangaba

E esse o gol do lado direito:

Estádio Dr. Antonio Pinheiro Júnior - Ferroviária de Pindamonhangaba

E o que dizer do placar que já registrou tantos gols ?

Estádio Dr. Antonio Pinheiro Júnior - Ferroviária de Pindamonhangaba

Ao fundo, a cidade de Pindamonhangaba não fica parada e começa a se verticalizar.

Estádio Dr. Antonio Pinheiro Júnior - Ferroviária de Pindamonhangaba

Estádio Dr. Antonio Pinheiro Júnior - Ferroviária de Pindamonhangaba

Até um setor para a imprensa existe ali no meio das arquibancadas!

 

Estádio Dr. Antonio Pinheiro Júnior - Ferroviária de Pindamonhangaba

Mais do que uma pintura qualquer na parede, a força desse distintivo faz a gente sonhar com a volta do time e da cidade às competições da Federação…

Estádio Dr. Antonio Pinheiro Júnior - Ferroviária de Pindamonhangaba

Um último olhar antes de nos despedirmos de mais um templo do futebol do interior paulista!

Estádio Dr. Antonio Pinheiro Júnior - Ferroviária de Pindamonhangaba

E lá vamos nós, de volta à estrada… Antes, vale relembrar o time tri-campeão amador!

AA Ferroviária de Pindamonhangaba

Para os dados desse post utilizei basicamente o livro “Os esquecidos – Arquivo de Futebol Paulista” e o “História da 2ª Divisão no Futebol Paulista” do Julio Bovi Diogo e Rodolfo Pedro Stella Jr.

APOIE O TIME DA SUA CIDADE!!!

O futebol em Rafard

Brasão de Rafard

26 de setembro de 2020.

Hora de conversarmos sobre Rafard, a cidade fundada em 1883 pelo bigodudo Júlio Henrique Raffard, de onde surgiu o seu nome.

Júlio Henrique Raffard

Assim como vários municípios brasileiros, a história de Rafard está diretamente ligada à cana de açúcar, graças ao engenho da Usina Sociéte de Sucréries Brésillenes, uma sociedade anônima que pertencia a alguns franceses e empregava quase 1700 pessoas (dos quais cerca de 1200 eram estrangeiros).

Société BrésilienneSucrerie

O povoado passou a ser chamado de “Villa do Henrique Raffard” e logo “Villa Raffard”.

Com a vila ganhando importância, passou a ser um Distrito de Capivari e em 1964 conseguiram a emancipação, tornando-se o atual município de Rafard, onde hoje vivem quase 10 mil pessoas.

A cidade fica na região da Grande Campinas, próxima também de Piracicaba e de acesso tanto via Rodovia Castelo Branco, quanto pelo sistema Anhanguera / Bandeirantes.

Rafard ainda tem grande dependência da Usina Raifard (que agora pertence à Raízen).

Estádio Usina Rafard

Passamos por ali no mesmo dia em que visitamos Salto pra registrar o Estádio da AA Avenida.

Rafard

O açúcar fez a cidade crescer e trouxe a estrada de feroo até Rafard, com a linha que ligava Itaici a Piracicab. O transporte de passageiros acabou em 1976 e os trens de carga continuaram trafegando até meados dos anos 1980. Por volta de 1990, os trilhos, já abandonados, foram retirados pela agora FEPASA.

A estação de Villa Rafard, inaugurada em 1884 para atender à Usina Rafard, ligando também dois ramais ferroviários de usinas locais.

Ainda existe uma lembrança da Estação Sorocabana com um trem da época gloriosa…

Estação Sorocabana Rafard

O futebol local movimentava a cidade e a região com vários times, entre eles, o Elite FC, fundado em 1928:

Elite FC - Rafard

Não encontrei muitas informações sobre o time, apenas algumas fotos, como essa de 1928, do ano de fundação do time:

Elite FC 1928

Aqui, o time de 1937:

Elite FC de Rafard - 1937

Aqui, o de 1942, que disputou a 15ª Região (a Piracicabana) do Campeonato Paulista do interior daquele ano, ao lado de outros 39 times:

Elite FC 1942

Outro time que disputou o Campeonato do Interior de 1942 foi o União Agrícola F.C. (Saltinho) formado nas fazendas do Engenho.

União Agrícola FC (Rafard)

Existia ainda o União Rafardense Futebol Clube.

União Rafardense Futebol Clube

Da união do Elite FC com o União Rafardense FC, em 8 de dezembro de 1943, para o desgosto dos mais radicais, que curtiam a rivalidade do derbi, surgia o Rafard Clube Atlético, o RCA!

Rafard Clube Atlético

O time deu sequência à tradição da cidade e disputou o Campeonato Paulista do Interior, em 1946.

Além do campeonato do interior, o “RCA“, o time teve a ajuda da Usina e se profissionalizou-se em 1954, disputando a Série A3 do Campeonato Paulista em 1954 e 1959. Aliás, esse é o time de 1959:

Rafard 1959

O Raffard Clube Atlético jogaria ainda a Quarta Divisão (a atual “Série B“) do Paulista em 1960, 1961 e 1963.

O Rafard CA  mandava seus jogos no Estádio Usina, que ficava praticamente dentro da Usina Rafard e era inteiro murado, possuia alambrados entre a torcida e o campo, e a partir de 1956, passou a ser iluminado:

Iluminado o Estádio Usina Rafard

Encontrei algumas matérias falando sobre amistosos, como o de Maio de 1956, contra os cariocas do Olaria AC:

Rafard 0x9 Olaria

Outro carioca que “aterrissou” na estaçao ferrroviária da Vila Rafard foi o São Cristóvão:

Rafard x São Cristóvão

Em 1956, mais uma vez participou do Campeonato Interior, pelo Setor 36:

Campeonato Paulista do Interior 1956

O RCA participou ainda de muitos campeonatos municipais (quando ainda pertencia a Capivari), como lembra essa partida de 7 de setembro de 1958, contra o AA Cillo:

Rafard Clube Atlético x AA CIllo

E esse flyer (cujo original pertence ao amigo André Stucchi), convidando a galera pro jogo?

Rafard x São Bernardo

Em 1958, mais uma edição do Campeonato Paulista do Interior, veja alguns dos jogos que consegui encontrar, pela primeira fase:

Campeonato Paulista do interior 1958

Aqui, um jogo contra o Santa Cruz, em 19 de setembro de 1958, pelo amador do estado:

Rafard x Santa Cruz

Aqui, o penúltimo jogo contra o SE Floresta (time da Fazenda Forte):

Rafard x Floresta

O time acabou sagrando-se campeão da Série Carlos Rolim, graças à vitória contra o Santa Alice, em 27 de outubro, de 1958.

Rafard CA campeão

Aqui, ainda em 1958, uma reportagem em homenagem aos 15 anos do Rafard Clube Atlético:

Rafard CA - 15 anos

Rafard CA - 15 anos

O Rafard Clube Atlético jogava de com uma camisa com listras verticais paralelas nas cores do clube, como pode se ver nessa foto celebrando a conquista de mais uma taça!

Rafard celebrando

Por conta da emancipação, o seu maior rival era o Capivariano F.C da cidade de Capivari.

Capivariano FC

Aqui, outra imagem do time, no Estádio da Usina:

Rafard Clube Atlético

Rafard AC

Aqui, o time do Rafard em 1962, foto da Gazeta Esportiva, enviada pelo amigo André Stucchi:

Rafard Clube Atlético

E uma rara imagem do estádio inundado pela enchente em 1970.

Estádio Usina Rafard

Atualmente, a área que recebia o estádio e suas proximidades seguem sob o controle da Usina.

Estádio Usina Rafard

Pra chegar até a área específica do Estádio, basta seguir o muro da Usina.

Estádio Usina Rafard

E se a sua imaginação foi boa, faça com que ela retire dali todo esse restolho de cana, e imagine que bem ali está o mítico estádio da Usina…

Estádio Usina Rafard

Era ali que o Rafard fazia a alegria de toda uma cidade…

Estádio Usina Rafard

E não, vc sequer pode chegar perto…

Estádio Usina Rafard

A Usina segue a todo vapor…

Estádio Usina Rafard

Estádio Usina Rafard

Fiz um pequeno vídeo dela, com a ajuda do amigo Lúcio!

Já há algum tempo ela foi adquirida pela Raízen.

Estádio Usina Rafard

Mas mantém algumas coisas de antigamente como essa pequena capela…

Estádio Usina Rafard

A cidade chegou a construir um novo estádio, municipal dessa vez, mas o futebol já não é mais o mesmo…

Estádio Municipal Rafard

Fica aí o nosso resigtro do que um dia foi o Estádio da Usina, do poderoso Rafard Clube Atlético!

Estádio Usina Rafard

APOIE O TIME DA SUA CIDADE!!!

O futebol profissional em Salto – Parte 2

ESSE POST SE COMPLETA COM O POST 1 SOBRE SALTO, CONFIRA AQUI!

26 de setembro de 2020.

Quase 6 anos depois de termos visitado Salto pela primeira vez, quando conhecemos a cidade e registramos o Estádios da Associação Saltense, além do que restou do clube social do Guarani Saltense, do Estádio Municipal Amadeu Mosca e do campo do XV de Novembro, voltamos à cidade para completar nossa missão.

Salto

A cidade foi fundada por Antônio Vieira Tavares, sobrinho do bandeirante caçador de índios Antônio Raposo Tavares. Em 1698, ele ergueu uma capela em louvor a Nossa Senhora do Monte Serrat, dando origem ao que viria se tornar a cidade de Salto.Em 1936, a capela foi reformada dando origem à Igreja Matriz.

Salto

Atualmente existe um Monumento à Nossa Senhora do Monte Serrat, que permite uma linda vista da cidade.

Salto

Acreditando na promessa de despoluição do rio Tietê, a cidade tem investido no turismo ecológico, com parques e até mesmo uma linda ponte pênsil.

Ponte Pensil - Salto

Essa construção histórica não só foi preservada como atualmente é ocupado pelo Centro Universitário Nossa Senhora do Patrocínio (CEUNSP).

Salto

Nosso objetivo estava próximo, seguindo um pouco a frente contornando a igreja, chegamos num declive: a rua 24 de outubro, que vai até o rio Tietê!

Salto - Rio Tiete

Pra entender o lugar que fomos conhecer, vale olhar essa imagem do Google Maps e ver que se trata realmente de uma ilha em meio ao rio Tietê.

Estádio Luiz Milanez - Ilha Grande - Associação Atlética Avenida

O rio ainda não está limpo, mas já é bem diferente do que os paulistanos estão acostumados.

Estádio Luiz Milanez - Ilha Grande - Associação Atlética Avenida

Do outro lado (de onde ele vem), pode se ver ao fundo o prédio histórico que comentamos do CEUNSP.

Estádio Luiz Milanez - Ilha Grande - Associação Atlética Avenida

E ao passar a ponte, chegamos à Ilha Grande, para enfim conhecer o Estádio Luiz Milanez.

O portão de entrada dá acesso ao estádio já na ilha.

Estádio Luiz Milanez - Ilha Grande - Associação Atlética Avenida

Aqui, a visão logo após o portão:

Ali, os pássaros já começam a habitar o leito do rio, talvez também acreditando em sua futura despoluição.

Estádio Luiz Milanez - Ilha Grande - Associação Atlética Avenida

O Estádio Luiz Milanez é a casa da Associação Atlética Avenida.

A A.A. Avenida foi fundada em 1º de janeiro de 1945, com o nome em homenagem a uma antiga avenida que cruzava toda a cidade, e segundo a placa no campo, esta é a data considerada como a fundação do próprio Estádio Luiz Milanez.

Estádio Luiz Milanez - Ilha Grande - Associação Atlética Avenida

Olha que bacana o jogo de botão que um fã montou pra AA Avenida:

AA Avenida - futebol de botão

Antes do campo, você encontrará a sede social do Avenida.

Estádio Luiz Milanez - Ilha Grande - Associação Atlética Avenida

Estádio Luiz Milanez - Ilha Grande - Associação Atlética Avenida

Estádio Luiz Milanez - Ilha Grande - Associação Atlética Avenida

Mas, vamos enfim conhecer o campo e suas arquibancadas.

O Estádio já teve arquibancadas de alvenaria, mas segundo o pessoal do Avenida, elas foram levadas em uma inundação causada pela cheia do Tietê, em 1983. Aliás, olhando o rio tranquilo como ele estava hoje (em época de extrema seca), é difícil acreditar no potencial destrutivo que ele possui, mas … vale ver as imagens abaixo…

Rio Tiete - Salto

Essa é de 1983, e existem muitas outras no blog: Históra Salto.

Rio Tietê - Salto - enchente 1983

E esse ano, já teve uma inundação que virou notícia:

Mas vamos deixar todo esse aguaçeiro pra lá e dar uma olhada no campo:

Estádio Luiz Milanez - Ilha Grande - Associação Atlética Avenida

Aqui, o gol da equerda, visto da arquibancada:

Estádio Luiz Milanez - Ilha Grande - Associação Atlética Avenida

Aqui, o gol da direita:

Estádio Luiz Milanez - Ilha Grande - Associação Atlética Avenida

Aqui, a arquibancada em madeira, como tanto se via pelo interior de São Paulo:

Estádio Luiz Milanez - Ilha Grande - Associação Atlética Avenida

Estádio Luiz Milanez - Ilha Grande - Associação Atlética Avenida

Estádio Luiz Milanez - Ilha Grande - Associação Atlética Avenida

Aqui, olhando do fundo para a entreada do estádio e da sede social:

Estádio Luiz Milanez - Ilha Grande - Associação Atlética Avenida

E aqui, a vista pelo outro lado:

Estádio Luiz Milanez - Ilha Grande - Associação Atlética Avenida

Ao fundo do gol da esquerda, mais um pequeno lance de arquibancada, cuidada com todo esmero por aqueles que ainda amam o futebol local e a AA Avenida!

Estádio Luiz Milanez - Ilha Grande - Associação Atlética Avenida

Em 15 de maio de 1955, o time fez história ao se tornar o primeiro da cidade a disputar uma partida no Pacaembu contra o time de Cosmópolis (aliás, que time será esse? A Funilense??), e a equipe abaixo meteu logo uma goleada por 7×2:

AA Avenida no Pacaembú

Um registro histórico de um estádio que foi a casa da AA Avenida no Campeonato Paulista da série A3 em 1956, e a Série A2 de 1957 a 59.

Em 1956,jogou com a Portofelicense, o Guarani Saltense e a Ferroviária de Itú, ganhando 2 jogos, perdendo outros 2 e empatando 2, classificando para a fase seguinte, onde enfrentou a AA Saltense, o Elvira (Jacareí), o Aparecida, a Portofelicense e o Palmeiras de São João da Boa Vista, onde ganhou 3, empatou 6 e perdeu uma partida.

Em 1957, essa foi a tabela e a classificação da série A2:

Série A2 - 1957

Série A2 - 1957

Aqui, a campanha da série A2, de 1958:

Série A2 de 1958

Série A2 de 1958

Esse é o time de 1958 (aliás, obrigado ao Valdir Líbero, por me passar essa e outras fotos, que ele pegou do livro História do Esporte Saltense, de autoria do jornalista Valter Lenzi:

AA Avenida - 1958

E em 1959 houve uma melhoria nos resultados, com destaque para duas goleadas seguidas contra a Mogiana (7×3!!!) e contra o Bandeirantes (5×1).

Série A2 - 1959

Série A2 - 1959

O time que fez essa campanha de 1959 é esse:

AA Avenida

Aqui, outra foto histórica do time também do final dos anos 50:

AA Avenida

AA Avenida

Voltando ao presente, as arquibancadas atuais não são as originais, porque segundo o pessoal que estava por lá, a enchente de 1983 levou as arquibancadas de alvenaria.

Estádio Luiz Milanez - Ilha Grande - Associação Atlética Avenida

E fica aqui, meu agradecimento mais uma vez ao Lúcio que foi o companheiro de viagem 🙂

Estádio Luiz Milanez - Ilha Grande - Associação Atlética Avenida

Um último olhar para o campo, sonhando com um improvável, mas nunca impossível retorno do futebol profissional à Ilha Grande…

Estádio Luiz Milanez - Ilha Grande - Associação Atlética Avenida

Estádio Luiz Milanez - Ilha Grande - Associação Atlética Avenida

As notícias recentes pelo menos mostram que existe uma esperança do retorno do futebol profissional a Salto (veja aqui, a notícia completa).

Salto volta ao futebol profissional

Ficamos por aqui. Até o próximo rolê!

Estádio Luiz Milanez - Ilha Grande - Associação Atlética Avenida

APOIE O TIME DA SUA CIDADE!!!

Estádio da Vila Leonor – Campinas

Recentemente assisti a esse vídeo sobre o Estádio Cerecamp e fiquei sabendo (ali por volta do minuto 3 do vídeo) que o Gazeta de Campinas chegou a mandar seus jogos em outros dois estádios da cidade: o Campo do Náutico, na Vila Leonor e o Campo do Souzas.

E, aproveitando a passagem pela cidade, decidi registrar um dos estádios citados, o Campo do Náuticio, localizado até que próximo à Rodovia Anhanguera (pra quem quiser passar e dar uma rápida olhada).

Parque Esportivo Sarkis Salamane - Campo do Náutico -Rua Otoniel Mota, 728 – Jd Leonor - Campinas

O nome oficial do campo é Praça de Esportes Sarkis Salamene, e fica na Vila Leonor.

Parque Esportivo Sarkis Salamane - Campo do Náutico -Rua Otoniel Mota, 728 – Jd Leonor - Campinas

Como o vídeo que me deu a referência era sobre o EC Mogiana, acabei me confundindo na hora de fazer o vídeo e dizendo que eles haviam jogado ali, mas na verdade, quem mandou algumas partidas nesse campo, foi o EC Gazeta de Campinas.

Escudo do EC Gazeta de Campinas

O lugar é muito bonito, parece um refúgio da natureza, tanto que fomos pegos de surpresa com a presença de micos nas árvores ao redor do campo:

Parque Esportivo Sarkis Salamane - Campo do Náutico -Rua Otoniel Mota, 728 – Jd Leonor - Campinas

Olhando do lado da arquibancada, esta é a visão do gol da direita:

Parque Esportivo Sarkis Salamane - Campo do Náutico -Rua Otoniel Mota, 728 – Jd Leonor - Campinas

O meio campo:

Parque Esportivo Sarkis Salamane - Campo do Náutico -Rua Otoniel Mota, 728 – Jd Leonor - Campinas

E o gol da esquerda:

Parque Esportivo Sarkis Salamane - Campo do Náutico -Rua Otoniel Mota, 728 – Jd Leonor - Campinas

Uma olhada lá do lado de baixo, vendo o gol e a arquibancada.

Parque Esportivo Sarkis Salamane - Campo do Náutico -Rua Otoniel Mota, 728 – Jd Leonor - Campinas

É muito loco imaginar que, em se comprovando a tese de que o Gazeta mandou alguns jogos aí, essa arquibancada recebeu a fanática torcida do Gazeta em jogos oficiais da Federação Paulista.

Parque Esportivo Sarkis Salamane - Campo do Náutico -Rua Otoniel Mota, 728 – Jd Leonor - Campinas

Sendo assim, mais um estádio histórico, dessa vez em Campinas!

Parque Esportivo Sarkis Salamane - Campo do Náutico -Rua Otoniel Mota, 728 – Jd Leonor - Campinas

APOIE O TIME DA SUA CIDADE!!!

 

O futebol profissional em Barretos

Em 2016, pude acompanhar um acesso do Santo André, que teve um sabor especial porque aconteceu em uma cidade que fica há mais de 400 km de distância e que também é apaixonada por futebol: Barretos!

Cidade de Barretos

Pra chegar lá e poder curtir um pouco da cidade, saímos bem cedo, tanto que pegamos até neblina no caminho.

Neblina

Mas chegamos com um tempo agradável, que nos permitiu passear um pouco pela cidade, já que o jogo seria a noite. A primeira coisa a aprender foi que as avenidas são identificadas por números ímpares e as ruas por números pares.

Rua 22 em Barretos

Barretos é conhecida por sua ligação com o gado, e pelos rodeios, mas como não concordamos com esse tipo de cultura, que envolve sofrimento e morte animal, olhamos a cidade por um outro ângulo, rendendo-nos à natureza, e à história local, como por exemplo a Estação Ferroviária, que foi importantíssima para a cidade e a região.

Estação Ferroviária de Barretos

Pelo que pudemos conversar com alguns torcedores locais, a cidade tem perdido um pouco do charme, com algumas ações de modernização, como a mudança de alguns equipamentos municipais, a demolição de antigos casarões dando lugar a prédios, verticalizando a cidade a cada dia.

Quem luta para sobreviver em meio a esse caos moderno é o Cine Barretos.

Cine Barretos

Mas, as placa nos lembrava que o que nos levou até a cidade foi mesmo o futebol!

Estádio

Pra escrever sobre a história do futebol profissional em Barretos, contei com a ajuda do site www.futebolbarretos.com.br, do blog Zé Duarte Futebol Antigo e do amigo Manolinho Gonçalves.

O primeiro time profissional a se criar em Barretos foi o Fortaleza Esporte Clube, fundado em 15 de novembro de 1936.

Fortaleza FC

O time alvi-verde, também conhecido como o “Periquito da rua 20” passou vários anos no amador, só estreiando na Série A2 em 1955, no Setor Azul, terminando na última colocação.

Série A2 - 1955

Série A2 - 1955

Esse foi o time do Fortaleza que jogou a A2 de 1955:

Fortaleza FC 1955

Em 1956, terminaria em último lugar desta vez, na Série Cafeeira.

Série A2 1956 - Série Cafeeira

Em 1957, também não conseguiu uma boa campanha…

série A2 1957 - série C

Em 1958, subiu mais algumas posições, mas ainda terminando em uma posição na parte de baixo da tabela…

Série A2 - 1958 - Grupo Amarelo

Em 1959, termina a Série Geraldo Starling Soares na 6a colocação.

Série A2 1959

Jogaria ainda a série A3 em 60. Aqui algumas imagens antigas do time que o pessoal do Blog História do futebol encontrou na Revista Sport Ilustrado.

Fortaleza - Barretos

Fortaleza - Barretos

O Fortaleza EC mandou seus jogos no Estádio Fortaleza, que foi municipalizado em 1977, e em 1994 passou a ser chamado de “Antônio Gomes Martins – Tio Cabeça“, em homenagem ao ex-massagista de Barretos. É lá que o Barretos EC manda seus jogos, atualmente.

Estádio Municipal Antônio Gomes Martins - Barretos

Esse é o tio Cabeça:

Tio Cabeça

Tio Cabeça - fortaleza

Peguei essa foto da entrada do Estádio no Google Maps!

Estádio Municipal Antônio Gomes Martins - Barretos

E essa a gente fez durante uma visita ao estádio antes do jogo de 2016.

Estádio Municipal Antônio Gomes Martins - Barretos

Estádio Municipal Antônio Gomes Martins - Barretos

Estádio Municipal Antônio Gomes Martins - Barretos

Estádio Municipal Antônio Gomes Martins - Barretos

Mas se o Fortaleza EC foi o time mais antigo da cidade a disputar o profissionalismo, é hora de falarmos do Barretos FC, que embora fundado 2 anos depois, disputou os campeonatos da Federação Paulista antes!

Barretos FC

O Barretos Futebol Clube foi fundado em 7 de julho de 1938 e jogou o amador por 9 anos. Aqui, um amistoso contra o Uberaba SC, em 1945:

Barretos FC x Uberaba SC

O Barretos FC só estreiou na série A2 em 1947, fazendo uma campanha bem irregular, assim como seria em 1948 também:

série A2 1947 e 1948 (série Preta)

Em 1949, o time se licenciou, voltando a partir de 1950, ainda com campanhas bastante irregulares, mas ainda assim se transformando na alegria do futebol local!

Série A2

Com esse início complicado, 0 time acabou se licenciando do profissionalismo em 1953 e só voltando à A2, em 1955.

Série A2 - 1955 - Série Azul

Em 1955, houve a estreia do Dérbi de Barretos (6/11 – Fortaleza 1×1 Barretos e em 11/12 – Barretos 3×2 Fortaleza), no profissionalismo aqui, fotos do segundo jogo:

Estádio da Rua 32 - Barretos

Vale lembrar que em 1944, já houvera o dérbi, mas pelo Campeonato do Interior de 1944, no qual o Barretos FC chegou até a semifinal, contra o Guarani que seria campeão. Em 1947, o Barretos voltou a disputou o Campeonato Profissional do Interior terminando em décimo e jogou também o amador.

Em 1956, mais uma campanha mediana na “Série Pecuária“, mas em 1957, além de mais 2 dérbis (28/4 – Barretos 3×1 Fortaleza e 28/7 – Fortaleza 2×3 Barretos), o time terminou na terceira colocação da Série C.

série a2 1956 e 1957

Em 1958, parecia chegar a hora… O Barretos FC sagrou-se campeão do seu grupo, o Amarelo.

Série A2 - 1958 - Grupo Amarelo

Além disso, mais dois dérbis: 8/6 – Barretos FC 4×0 Fortaleza e 19/10 – Fortaleza 0x3 Barretos FC).

Na segunda fase, o Barretos FC caiu no Grupo João Havelange, onde terminou na quarta colocação. O Corinthians de Presidente Prudente além de líder do grupo, seria campeão da A2 de 1958.

A2 - 1958

Em 1959, uma tragédia para a cidade, mesmo sem terminar na parte debaixo da tabela, no Grupo Geraldo Starling Soares, tanto Barretos FC quanto Fortaleza FC acabaram rebaixados para a Série A3.

Série A2 1959

E 1959 acabou marcado como o ano dos últimos dérbis: 31/5 – Barretos 3×1 Fortaleza e 23/8 – Fortaleza 0x3 Barretos.

Barretos FC 1959

O Barretos FC ainda chegou a disputar a A3 em 1960, mas o Fortaleza FC abandonaria as competições profissionais da Federação Paulista.

Nessas competições, mandaram seus jogos no Estádio da Rua 32, em frente ao Recinto Paulo de Lima Correia, onde hoje é a Praça 9 de Julho e o Terminal Municipal de Ônibus Urbanos.

Estádio da Rua 32 - Barretos

Segundo o amigo Manolinho, a Arquibancada Central era de madeira e identica a do Parque São Jorge.

Estádio da Rua 32 - Barretos

E a cidade ainda teria um terceiro time: o Motoristas Futebol Clube, fundado em 6 de março de 1944.

Motoristas FC

Olha que bela flâmula do time:

Motoristas FC

O Motoristas FC disputou a série A2 em 1950, terminando na 10a colocação.

Série A2

Assim, a cidade ganhou 2 dérbis em 1950: 30/7 – Barretos 1×0 Motoristas e 22/10 – Motoristas 3×0.

Aqui algumas imagens do time já na época da volta ao amadorismo:

Motoristas FC - Barretos

Motoristas FC

O Motoristas FC mandava seus jogos no Estádio Dr Adhemar de Barros Filho, ou o “Campo dos Motoristas da Avenida 21“.

Estádio Dr Adhemar de Barros Filho - "Campo dos Motoristas da Avenida 21".

Estádio Dr Adhemar de Barros Filho - "Campo dos Motoristas da Avenida 21".

Mas, infelizmente estes 3 times pertencem ao passado.

O presente do futebol profissional da cidade de Barretos começou a ser escrito em outubro de 1960, quando o Barretos FC e o Fortaleza FC se uniram para formar o Barretos Esporte Clube.

Assim, em 1961, a cidade voltou a ter um time na Série A2 da época e na sua “estréia”, até que o Barretos EC foi bem. (tabela abaixo da Wikipedia):

série A2 1961

Já em 62, o time foi mal e só escapou do rebaixamento num incrível mata-mata, contra o Elvira (de Jacareí), último colocado da Série “José Ermírio de Moraes Filho”, e pra isso foram necessários 4 partidas: Barretos 7 x 1 Elvira (10/2/63), Elvira 2 x 1 Barretos (17/2/63), Barretos 1 x 1 Elvira (23/2/63, em Campinas) e Barretos 1 x 0 Elvira (2/3/63, em Campinas).

Série A2 - 1962

Em 63 e 64, sequer se classificou no seu grupo. Esse é o time de 63 (fonte: Zé Duarte Futebol Antigo):

Barretos EC 1963

Em 1965 foi campeão da Série Carlos Joel Neli e fez a final contra o Bragantino, perdendo as duas partidas (jogadas no Pacaembú), o título e o acesso…

Série A2 - 1965

Em 1966, nova campanha de destaque! O Barretos FC ficou em 2º da Série João Mendonça Falcão, classificando-se para o quadrangular semifinal, terminando em 3º no grupo.

A2 - 1966

A2 - 1966

Barretos EC 1966

Em 1967, após liderar o seu grupo foi eliminado no mata mata pelo Paulista de Jundiaí.

Série A2 - 1967

Já em 1968, liderou seu grupo e classificou-se para a segunda fase (um outro grupo dessa vez com 8 times), terminando em quarto lugar e sendo desclassificado.

Série A2 - 1968

Em 1969, 70, 73 e 75  não passou da fase de grupos. Em 71, 72 e 74 foi desclassificado na segunda fase.

Em 76, mais uma vez liderou seu grupo nos dois turnos da primeira fase, mas acabou em último lugar no quadrangular final (XV de Jaú sagrou-se campeão, Aliança, vice e o Santo André em terceiro).

série a2 1976

Esse era o time daquele ano, e veja que linda a torcida ao fundo:

Barretos EC 1976

Em 77, mais uma vez liderou o gurpo da primeira fase e na fase final acabou na quarta colocação.

série A2 - 1977

Em 78, num regulamento bem esquisito, o Barretos liderou o Grupo A, depois foi mal na 2a e 3a fase e acabou mais um ano na A2.

A2 - 1978

Em 79 e 80 o time não foi bem, parando na fase inicial, em 81 liderou a Série Amarela, mas ocupou a penúltima posição no grupo final, com o time:

Barretos 1981

Em 82, 83, 84, 85, 86 e 87, regulamentos ainda mais confusos acabaram fazendo com que o Barretos se limitasse à campanhas medianas e pra piorar, o time passou a jogar a série A3 a partir de 1988, onde ficou até 1990, quando voltou à A2, esse era o time daquele ano:

Barretos EC 1990

Permaneceu na A2 até 1993, quando caiu novamente para a A3.

Em 1995, o pior momento: o time caiu para a Série B1A (o quarto nível do futebol da época). Em 1998 chegou perto de voltar, ao ser vice campeão do grupo inicial e vice do quadrangular final, mas apenas o Oeste consegiu o acesso.

Série B1 - 1998

Só em 2001, voltou à A3. Inicialmente só subiriam dois times, mas graças às mudanças do calendário, o acesso foi ampliado.

Tabela B1- 2001

Sua volta à A3, em 2002, foi marcada com uma boa campanha, ficando de fora das finais por muito pouco!

Série A3 - 2002

Permaneceu na A3 até 2006, quando uma campanha bem ruim levou mais uma vez para o quarto nível do futebol paulista (agora a Segunda Divisão, ou série B).

A3 - 2006

De volta à segunda divisão, apenas em 2011 o time conseguiu o acesso (já nessa fase das 4 fases em grupos) à A3, mas foram apenas 2 anos e nova queda à série B, pra uma única disputa em 2014 e novo acesso à A3.

Série B - 2014

Em 2015, logo de cara, uma surpresa… Um acesso conquistado à série A2 (graças ao problema do Atibaia).

Série A3 2015

Permaneceu na A2 em 2016 e 2017, quando voltou pra A3, onde permaneceu até esse momento (em 2020, ainda sob risco de rebaixamento à A3).

E foi em 2016, que tivemos a oportunidade de conhecer o Estádio Municipal Antônio Gomes Martins, também conhecido como “Fortaleza” em homenagem ao time da cidade.

Estádio Municipal Antônio Gomes Martins

Confesso que deu um pouco de aperto no coração, imaginar que estávamos ali pra impedir o inédito acesso do Barretos à série A1…

Barretos x Santo André

Estádio Barretos

Aproveitei pra pegar um jornal local e ver se a torcida do Barretos estava esperançosa quanto à virada (o placar em Santo André foi 2×0 pro Ramalhão).

E até pra dar sorte pro Ramalhão, fiz questão de estar dentro de campo, antes do jogo!

Estádio Municipal Antônio Gomes Martins - Barretos

Aproveitei pra pegar meu ingresso e não correr nenhum risco.

Estádio Municipal Antônio Gomes Martins - Barretos

Fui conhecer também ocharmoso portão dos fundos por onde andaríamos.

Estádio Municipal Antônio Gomes Martins - Barretos

E olha aí o portão olhando de dentro pra fora já na hora do jogo….

Estádio Municipal Antônio Gomes Martins - Barretos

A noite estava muito bonita. A torcida local compareceu, pintando de verde, vermelho e amarelo as bancadas do Estádio Municipal Antônio Gomes Martins.

Estádio Municipal Antônio Gomes Martins - Barretos

Estádio Municipal Antônio Gomes Martins - Barretos

Oficialmente, o Estádio tem capacidade para 13 mil torcedores, mas pelo borderô oficial apenas 5 mil torcedores compareceram.

Estádio Municipal Antônio Gomes Martins - Barretos

Quem foi, fez festa!

Estádio Municipal Antônio Gomes Martins - Barretos

Estádio Municipal Antônio Gomes Martins - Barretos

Estádio Municipal Antônio Gomes Martins - Barretos

Mas engana-se quem pensa que o lado azul não compareceu… Era um jogo decisivo, lá estava a Fúria Andreense!

Estádio Municipal Antônio Gomes Martins - Barretos

Estádio Municipal Antônio Gomes Martins - Barretos

E a Esquadrão Andreense:

Estádio Municipal Antônio Gomes Martins - Barretos

Estádio Municipal Antônio Gomes Martins - Barretos

Foi um jogo super truncado com várias defesas milagrosas do nosso goleiro “Zé Carlos”, para o desespero da torcida local.

Estádio Municipal Antônio Gomes Martins - Barretos

Foram 90 minutos de pressão do Barretos e o Santo André se segurando lá atrás… E a gente desesperado na arqubancada visitante.

Estádio Municipal Antônio Gomes Martins - Barretos

Mas o Ramalhão também levou perigo em alguns lances.

Estádio Municipal Antônio Gomes Martins - Barretos

E o Branquinho no escanteio…

Estádio Municipal Antônio Gomes Martins - Barretos

O primeiro tempo terminou e a alegria parecia começar a se multiplicar nas arquibancadas visitantes.

Estádio Municipal Antônio Gomes Martins - Barretos

Estádio Municipal Antônio Gomes Martins - Barretos

Muitas bandeiras do Santo André decoraram a parte do estádio dedicado à nossa torcida.

Estádio Municipal Antônio Gomes Martins - Barretos

Até um “mini bandeirão” apareceu…

Estádio Municipal Antônio Gomes Martins - Barretos

Uma pena que a câmera não pode captar melhor o estádio, já que estava de noite, mas pelo menos ficou um registro de mais esse lugar histórico!

Estádio Municipal Antônio Gomes Martins - Barretos

Estádio Municipal Antônio Gomes Martins - Barretos

Ao final do jogo, festa entre torcida e o time que jogaram juntos todo o campeonato!

Estádio Municipal Antônio Gomes Martins - Barretos

Zé Carlos até deu as luvas de presente a um torcedor (que mais tarde precisou devolvê-las para que o goleiro as usasse na final contra o Mirasssol).

Estádio Municipal Antônio Gomes Martins - Barretos

A torcida local soube respeita a conquista do Santo André e ficou até o fim do jogo.

Estádio Municipal Antônio Gomes Martins - Barretos

Um sentimento único! Conhecer um estádio lindo e cheio de histórias e ao mesmo tempo voltar à primeira divisão!

Estádio Municipal Antônio Gomes Martins - Barretos

Estádio Municipal Antônio Gomes Martins - Barretos

Só tenho a agradecer a todos!

Estádio Municipal Antônio Gomes Martins - Barretos

 

Estádio Municipal Antônio Gomes Martins - Barretos

APOIE O TIME DA SUA CIDADE!!!