174- Camisa do América-MG

A  174camisa de futebol do blog vem de Minas Gerais (de onde já mostramos a camisa da Caldense, do Vulcão e do Tupi).

Ela pertence ao América F.C., da capital mineira.

Distintivo do América

Embora venha da capital, eu comprei a camisa numa lojinha na cidade de Mariana, há alguns anos atrás, quando fomos de busão desbravar as cidades históricas de MG.

O mascote do América é o coelho:

Mascote do America_MG

Leia Mais »

Em busca do Estádio perdido em Assis e Salto Grande

DSC00131

No fim de semana de 16 de agosto, estivemos em Assis para ver o VOCEM e o Assisense (vejam aqui como foi). Mas além dos jogos, também aproveitamos a oportunidade para dar uma volta pela cidade e rever alguns estádios que já marcaram presença no www.asmilcamisas.com.br.

DSC00185

Um deles é o Estádio Dr. Adhemar de Barros, onde a Associação Atlética Ferroviária de Assis (AAFA) fundada por funcionários da antiga Estrada de Ferro Sorocabana em 1927, mandava seus jogos.

DSC00156

DSC00157

O Estádio segue seus dias entre o abandono do poder público e o uso pelos que ainda amam o futebol. Infelizmente é quase nula a chance de um retorno do time da Ferroviária ao profissionalismo…DSC00159

 

Mas a emoção e a história seguem no mesmo lugar. Nos gols, na arquibancada que aos poucos perde sua cobertura e sua pintura…

DSC00160

Falando da Ferroviária, também conhecida como a “Veterana”, o time atuou de 1949 até 1952, até ser rebaixada graças à criação de uma lei que exigia que as cidades tivessem um mínimo de 50.000 habitantes. Retornou à Segunda Divisão (atual A2) em 1958 e permaneceu até o ano seguinte. A partir de 1960, disputou a terceira divisão, até 1976, quando encerrou suas atividades.

DSC00161

Seu estádio na Rua Brasil, por isso o apelido de “Vermelhinha da Rua Brasil” tem capacidade para 1.000 pessoas. E ele foi nascendo aos poucos; primeiro o campo, depois as arquibancadas, os vestiários, e por fim a iluminação. Foi nele que o time mandou seus jogos na sua fase profissional.

Os gols seguem lá… A espera dos chutes…

DSC00162

DSC00163

E a Mari até arriscou alguns…

DSC00164

E eu, com meu eterno espírito de goleiro, o defendi!

DSC00166

Para aqueles que gostam de colecionar camisas de futebol, a do VOCEM estava a venda (não sei até quando fica) no Supermercado amigão, por R$ 69,00.

DSC00169

Ah, antes de sairmos de Assis ainda demos uma passada no estádio do DERAC local:

DSC00170

Pra quem teve preguiça de acessar o post sobre o jogo que fomos ver entre VOCEM e Pirassununguense, seguem algumas fotos do “Tonicão”:

DSC00207

DSC00209

Antes de irmos pra Assis, demos uma parada em um posto de gasolina em Santa Cruz do Rio Pardo. Olha que legal o visual do posto (sim é um posto, não é uma estação de trem).

DSC00077

E se estamos pelo oeste paulista, a cultura do trem tem que estar viva a todo momento…. Eles resgataram uma bela locomotiva que percorreu no passado os trilhos entre SP e interior.

DSC00083

Tinha até uma foto da Santacruzense, em frente ao trem, na década de 40…

E enfim, voltando para Santo André, passamos por Salto Grande!

DSC00229

A cidade está às margens do rio Paranapanema e rola até um visual praiano, muito bacana!

DSC00240

DSC00241

Mas não fomos até lá para nadar, mas para conhecer o Estádio Municipal dos Expedicionários.

DSC00231

DSC00230

É aqui que o Clube Náutico Salto Grande mandava seus jogos.

DSC00237

O time foi fundado em 1964, e participou da terceira divisão de 1986. Até hoje o “C.N.” de Clube Náutico está em seus portões.

DSC00232

O campo segue bem cuidado, ainda que meio desnivelado, a grama está verdinha…

DSC00233

DSC00242

DSC00243

Foi nesse estádio que o time venceu times como o Piraju, Palmital e Chavantense… Nessas arquibancadas, hoje vazias, já houve festa da torcida local…

DSC00244

DSC00245

Sei que não é fácil manter um time de futebol, mas ainda sonho em ver um time em cada cidade deste país… Defendendo as cores e a cultura local, tendo seu estádio como ponto chave, e até turístico…

DSC00236

DSC00238

Hora de guardar os sonhos e ir embora…

DSC00239

APOIE O TIME DA SUA CIDADE!!!

Em busca do Estádio perdido em Tatuí

DSC00035

Seguindo nossa missão de buscar estádios perdidos por este mundo, lutando contra a ideia de que o futebol pareça morrer a cada dia, chegamos a bela cidade de Tatuí…

Fomos em busca do estádio onde o XI de Agosto mandou seus jogos quando disputou o Campeonato Paulista de Futebol, mas aproveitamos para registrar o Estadio do São Martinho, time fundado pelos operários da Fábrica Têxtil São Martinho, no final da década de 1930.

DSC00029

E pra nossa surpresa, o Estádio Dr. Júnior do Amaral Lincoln na osó está muito bem estruturado como mantém-se como sede do Sao Martinho nas disputas amadoras organizadas pela Federação Paulista.

DSC00030

Leia Mais »

Assis 2014, mais uma vez pelo futebol do interior…

DSC00139

E aí estamos nós, mais uma vez descendo na “estação Assis” para acompanhar o futebol há 500km da capital, onde ainda se podem ver as históricas casas de madeira construídas pelos ferroviários no século passado.

DSC00142

Os trilhos ainda estão pela cidade e para “forasteiros” como eu e a Mari, acordar as 5hs da manhã para ouvir o trem da manutenção passar por lá é um programão!

Leia Mais »

Mais diversão com a Copa 2014 – A visita do TANGO 14 ao ABC

“O tempo te ensina a valorizar mais a amizade, porque isso não se vende e tampouco se pode comprar”.

DSC00011

Foi com letras como essa que o TANGO 14, banda de “rock de rua” de Buenos Aires, decidiu cruzar a América do Sul em uma kombi e vir até o ABC, pra mostrar seu som e curtir um pouco do clima da Copa do Mundo.

Esse é a música que contém a citação acima:

Conhecemos o pessoal do TANGO 14 há alguns anos, em uma de nossas passagens pela Argentina, se não me engano, em 2009:

tango

Quem diria que anos depois, estaríamos juntos aqui no ABC, conversando sobre a vida, o futebol, política e dia a dia… E claro, curtindo o som dos caras, graças ao esforço do pessoal da banda 88Não!!!

A mistura de viagem e turnê foi feita de maneira totalmente independente, sem patrocínio nenhum, só contando com a força da amizade entre pessoas que preferiram desprezar os preconceitos entre brasileiros e argentinos tão incentivado pela mídia e por um bando de idiotas.

DSC00055

Aqui no ABC, quem recebeu o pessoal e ofereceu a própria sede para que eles ficassem hospedados foi a rapaziada da Torcida Fúria Andreense:

DSC00002

O pessoal da Fúria Andreense foi muito responsa e conseguiu lugar para todos dormirem e ainda dividiram experiências, cervejas, histórias, comilança…

DSC00008

As aventuras desses 9 argentinos pelas estradas do Brasil foram muitas. Pra se ter uma ideia, eles saíram de Buenos Aires em 2 veículos, porém, chegando em Porto Alegre, um deles teve um problema com o motor e teve que ficar no conserto, a solução foi alugar uma kombi e fazer o percurso RS-SP nela. Ali no fundo dá pra ver a famosa kombi heehehe:

kombi

Com isso, eles acabaram chegando um dia depois do esperado e tendo que cancelar o primeiro show deles, que seria na Zona Norte de SP, numa sexta feira.

tango em sp

Enquanto isso, seguíamos “monitorando” a viagem via celular, Internet, Whatsapp e as vezes passávamos algumas horas sem contato, imaginando onde eles haviam se perdido hehehe.

Enfim, no sábado, depois de alguma espera, finalmente o TANGO 14 fez sua estreia em terras brasileiras…

Guillerme foi à loucura….

gui tanguero

Eles puderam tocar quase todas as músicas de seu primeiro disco para um público que misturava punks, rockeiros e torcedores, como já de costume em seus shows!

tango 14 sonia maria

O show contou ainda com a participação de bandas como 88Não, Chagas e até uma palhinha do Tercera Classe minha banda nos anos 90.

tango no sonia

Mais do que um show, a presença do TANGO 14 no Sônia Maria, um lugar histórico para o Punk Rock do ABC foi um momento de união entre amigos!

tango 14 no abc

Já era madrugada quando deixamos o pessoal na sede da Fúria Andreense, onde o pessoal da torcida ainda  os aguardava para conversar…

tango

No dia seguinte, foi a vez de tocarem em São Paulo, no Centro de Cultura Marginal e mais uma vez, show e clima inesquecíveis!

DSC00031

Pudemos participar de um momento incrível unindo TANGO 14 e 88Não! tocando um som do 2 minutos:

O role foi muito bacana por lá e novamente misturou punx e torcedores…

tango 14 sp

tango14 em sp

Como a banda é formada por gente que depende de seus trabalhos para viver o dia de amanhã, o Tango 14 teve que voltar cedo pra Buenos Aires, só o baterista Adrian pode ficar e deu sorte à seleção Argentina, no jogo da semifinal!
adrian ramalhao
Despedimo-nos desse post mandando um forte abraço aos hermanos Tommy, Adrian, Neco, Fernandinho, Juanjo, Nicolas, Cuki (el capo de FerroCarril) e aos irmãos Ariel e Cesar Escalante.
É isso aí… Apoie o time da sua cidade, mas antes de mais nada, apoie seus amigos das arqubancadas e das ruas, sejam elas ou não da sua cidade…

Buscando um lado bom para a Copa…

Como disse no post anterior, fico indignado com as sacanagens relacionadas à Copa do Mundo. Além disso, escrevo esse texto atrasado. Os 7×1 já passaram por cima da euforia da torcida brasileiro aniquilando a até então fervorosa paixão pela seleção. Mas, não posso negar o quanto me agradou a possibilidade de vivenciar essa “salada multicultural” proporcionada pela Copa.

Por isso, decidi dividir com vocês, mais algumas aventuras que vivi graças à Copa.

Pode parecer bobo, mas a começar pelo simples, mas alternativo outdoor que aproximou Guarulhos e sua população da seleção do Irã.

DSC00019

E por que estou comentando sobre um outdoor de Guarulhos se vivo em Santo André? É que no feriado de Corpus Christi tivemos a oportunidade de ir até Maceió pra curtir algumas das mais belas praias do mundo!

E se Guarulhos já estava no clima, dentro do Aeroporto pudemos vivenciar um pouco mais dessa mistura e assistimos em meio a muitos chilenos a eliminação da Espanha, ainda na primeira fase.

DSC00029

O Aeroporto de Guarulhos criou um espaço só para se assistir aos jogos. Aí, já viu né… Virou point de encontro de torcedores do mundo todo.

DSC00025

DSC00027

Desse jeito, o tempo passou rápido e em pouco mais de 2 horas de vôo, já estávamos baixando em terras alagoanas, no Aeroporto Zumbi dos Palmares!

DSC00037

Se esse fosse um blog dedicado ao turismo e às praias, gastaria um bom tempo falando sobre as praias de Maceió. São lindas e mesmo no inverno, pegamos temperaturas acima dos 30 graus.

Essa era a vista do nosso hotel, da praia do Pajuçara:

DSC00053

Mas, para colaborar com a divulgação das belezas naturais do nosso país, vou destacar algumas praias, a começar pela bela São Miguel dos Milagres, pra mim, um dos lugares mais loucos que já vi… Olha a cor da água…

DSC00096

E aí estou,com a camisa que ganhei dos amigos Juventinos Veganos!

DSC00101

Outra praia que merece destaque é Paripuera. Além dos tradicionais passeios até às piscinas naturais, também tem um belo encontro entre mar e rio (as chamadas barras).

DSC00220

Uma última dica (não que não existam muitas outras, mas só pra resumir o rolê praieiro) é a incrível Praia do Gunga. Você pode chegar de carro ou atravessando um pequeno rio de barco (sai da barra de São Miguel).

DSC00067

A praia é cercada de coqueiros e recebe visitantes de vários locais.

DSC00070

DSC00071

A população local de lagartos escondida nas casinhas de barro é incrível!

DSC00084

E a água, uma delícia!

DSC00121

DSC00134

Dá pra passar o dia inteiro no mar ou na água doce que também desemboca ali, do outro lado desse mar de guarda sol.DSC00149

Bom, chega de mergulhos e praias lindas, vamos falar um pouco do lado boleiro da cidade. Lembrando que já falamos bastante do futebol local, graças ‘a visita que fizemos anos atrás, quando no nosso último dia perdemos a câmera. Você pode relembrar esse rolê lendo o post que fizemos sobre ele, na verdade foram dois, então se você clicar aqui, vai ver um pouco mais, ou ainda pode ler os posts sobre as camisas do CRB e do CSA.

DSC00063

A primeira coisa para se falar sobre o futebol em Maceió é que a cidade não foi sede da Copa, mas pode sentir o gostinho da competição graças à seleção de Gana, que se hospedou na cidade.

DSC00258

A torcida local abraçou o time e tinha até bandeira da seleção passeando pela orla.

Difícil era chegar perto do hotel… Nada menos que o BOPE estava de plantão…

DSC00040

Por sorte, alguns integrantes da comissão técnica sairam pra um role e deu pra trocar umas ideias…

DSC00023

Mas, se a Copa tentou dar uma força ao futebol local, a realidade dos clubes de Maceió não está em sua melhor fase.

Infelizmente, mais uma vez acompanhamos um processo que me parte o coração: a morte de um estádio, e dessa vez, a vítima foi o Estádio Severiano Ribeiro, ali na Pajuçara mesmo, onde o CRB treinava e chegou a mandar alguns jogos.

DSC00089

Quando estivemos ali, anos atrás, pudemos até assistir uma partida do CRB, mas dessa vez, infelizmente o Estádio já não pertencia mais ao clube, mas sim a uma rede de supermercados que construirá ali mais uma obra prima do capitalismo. E venderá muito mais do que a antiga “Boutique do CRB”…

DSC00087

Pra piorar, o estádio parecia estar todo fechado e quando pensávamos em nos limitar a registrar o entorno do estádio, encontramos um portão aberto…

DSC00088

Ao adentrar em mais um templo do futebol, a surpresa… Onde está o estádio?

DSC00090

Opa, ali a placa que confirma, não estou no lugar errado, estou mesmo no lugar que foi o Estádio…

A arquibancada que tantas emoções recebeu já se prepara para seu triste fim, provavelmente demolida…

DSC00092

Do lado oposto, a arquibancada descoberta começa a ser coberta pelo mato…

DSC00093

DSC00097

  O gol, símbolo mor do nosso futebol, já não resiste. Caiu.

DSC00094

O mato, em áreas que costumavam ser o gramado, em alguns lugares chega a ter quase 30cm de altura ….

DSC00095

Claro, não se pode negar as questões econômicas, que guiam não só o futebol. Por conta das dívidas e as dificuldades financeiras, o CRB teve que se desfazer do estádio. Mas também não dá pra negar a tristeza no Brasil que se auto proclama o “País do futebol” ter um estádio derrubado para dar lugar a um supermercado…

DSC00099

DSC00102

Por outro lado, ao hospedar a seleção de Gana, a cidade de Maceió viu o Estádio Rei Pelé em alta.

DSC00259

Pena que no dia em que passamos por lá, os treinos estavam fechado para o público.

DSC00260

Só o que pudemos fazer foi passear pelo entorno do estádio, admirando sua beleza!

DSC00263

DSC00264

DSC00265

DSC00266

DSC00267

DSC00268

DSC00269

DSC00270

APOIE O TIME DA SUA CIDADE!!!

E começou a Copa do Mundo 2014!!!

DSC00031

Pois é… Vivemos um momento mágico para o futebol. A toda poderosa FIFA desembarcou no Brasil e vivemos de perto a Copa o mundo de seleções. Um evento que poderia ser a alegria de muitos, mas que infelizmente tornou-se privilégio de poucos, e pra variar, dos mais ricos.

Sem contar os desvios de verbas para as obras, em sua maioria superfaturadas e que tornaram-se prioridade frente a tantas necessidades que esse país ainda possui, como moradia, educação e saúde, entre tantas outras…

copa pra quem

Pra piorar, ao menos em meu ver, a seleção brasileira não tem a mesma ligação que outras seleções e seus países.

Tudo isso tirou de mim, a paixão que um fã do futebol poderia ter pela Copa do Mundo. E sem essa paixão, o que resta? Pra mim, restou a curiosidade de conhecer algumas das pessoas que viajaram para o Brasil para acompanhar o evento.

E lá fomos nós (eu e a Mari) pra São Paulo, pra tentar encontrar torcedores croatas, no dia do jogo do Brasil. E demos sorte, nem bem paramos o carro, próximo à Av. Paulista e encontramos um primeiro grupo de torcedores em frente um hotel.

DSC00013

No nosso inglês latino, aproveitamos a oportunidade pra bater um papo com o pessoal. Particularmente minha curiosidade se deve ao meu avô, que nasceu na Croácia e nunca soube falar muito da cultura do país por ter vindo muito novo ao Brasil.

DSC00014

Pra quem acha que só havia público masculino, ta aí o lado feminino croata!

DSC00015

Do hotel, fomos para a Av Paulista e acabamos encontrando outros torcedores, como essa turma da Colômbia!

DSC00012

E não eram só eles, haviam muitos colombianos passeando pela região!

DSC00032

Mas, o dia era mesmo dos Croatas! Estavam por toda a parte!

DSC00034

DSC00033

E se tinha alguém com medo de possíveis encontros violentos, entre grupos de diferentes países, o que nós vimos pela Av. Paulista não foi nada disso. O pessoal estava ali numa boa, trocando ideia e se divertindo.

10376322_698670786857052_5641593190373653080_n

10389706_698671196857011_1387664723035177161_n

Claro, que temos que lembrar que a maior parte dos que vieram pro Brasil, são pessoas que tem uma condição econômica suficiente, não sei até que ponto refletem a realidade da sociedade croata, mas… A impressão que ficou foi muito boa.

DSC00021

Aqui dá pra ter uma ideia de como estava o clima:

Nunca se viu tantas camisas quadriculadas andando por São Paulo…

DSC00020

DSC00019

E dá-lhe festa!!!

Esse bar era outro ponto de concentração, bastante animado e lá fomos nós trocar ideia com os caras!

DSC00018

Andando um pouco mais, olha quem encontramos: os Mexicanos!

DSC00010

DSC00007

Hora de voltar para casa, mas olha quem atravessa em nossa frente…

DSC00008

Pois é… A Copa chegou… Causou muitos problemas, gerou oportunidade e espaço para levarmos às ruas nossa indignação. Por outro lado, trouxe ao Brasil uma movimentação estrangeira que eu nunca havia presenciado e que pode ajudar a desenvolver nossa visão global, como peça de um todo, principalmente em relação à América Latina.

DSC00002

Pra terminar, já que estávamos por ali, fomos encontrar o time da Croácia …

DSC00038