Rolê Independência & Bola! Estádios em São José do Rio Pardo (Parte 8 de 21)

brasão são josé do rio pardo

Bom dia! Aperte os cintos de segurança e vamos lá! A estrada nos leva à oitava parte do nosso rolê.

Depois de fotografar os estádios de Pirassununga, Descalvado, Santa Rita do Passa Quatro, Tambaú, Santa Rosa de Viterbo e Santa Cruz das Palmeiras e Vargem Grande do Sul é hora de falar sobre a cidade de São José do Rio Pardo e seus 2 estádios!

São José do Rio Pardo

A cidade que no passado foi uma região das mais produtivas do café, com dezenas de fazendas faturando com a produção do chamado “ouro verde”,  graças principalmente ao uso da mão de obra escrava no século XIX teve que se reinventar com o passar do tempo.

Primeiro substituindo os escravos (com o fim da escravidão no Brasil) pela mão de obra imigrante (principalmente italiana) e pela própria presença dos imigrantes como proprietários de novas terras. Aqui a cidade em 1910:

São José do Rio Pardo 1910

A religião se mostra presenta na cidade por meio de várias igrejas, conseguimos fotografar a Igreja Matriz de São Roque (estilo romano,segundo a Mari) e inaugurada em 1942. Atualmente abriga os monges da ordem Cistercienses e fica na praça Monsenhor Arnold:

São José do Rio Pardo

Foi em São José do Rio Pardo que Euclides da Cunha escreveu “Os Sertões“, uma das obras mais importantes sobre a história do nosso país: a sangrenta e trágica Guerra dos Canudos. Mate sua saudade sobre a história de Antonio Conselheiro e seu povo autogerido:

A cidade foi servida por ferrovia entre 1884 e 1989, quando os trilhos foram retirados e no local foi construído uma avenida, fizemos uma foto de um local em que provavelmente serviu de estação:

São José do Rio Pardo

Mas, nosso foco futeboleiro era conhecer as casas de dois times da cidade, comecemos pela Associação Atlética Riopardense!

A AA Rioperdense foi fundanda em 1 de janeiro de 1930, e a partir de 1948 passou a disputar as competições oficiais da Federação Paulista jogando a segunda divisão até 1951, quando se licenciou.

AAR

Aqui, o time de 1943:

AA Riopardense 1943

Em 1982, o time voltou ao profissionalismo para uma única disputa da terceira divisão. Desde então, dedica-se ao futebol amador.

Estádio Moacyr de Ávila Ribeiro - Associação Atlética Riopardense - São José do Rio Pardo

Muitas pessoas tratam o estádio apenas de “Estádio da AA Riopardense“.

Mesmo se você buscar pela Internet é difícil achar o nome verdadeiro do Estádio. Até porque como o estádio fica dentro do clube, as coisas se misturam.

Estádio Moacyr de Ávila Ribeiro - Associação Atlética Riopardense - São José do Rio Pardo

Estádio Moacyr de Ávila Ribeiro - Associação Atlética Riopardense - São José do Rio Pardo

Mas, logo dentro do clube, existe uma placa que esclarece os mistérios e mostra o real nome do local: Estádio Moacyr de Ávila Ribeiro.

Estádio Moacyr de Ávila Ribeiro - Associação Atlética Riopardense - São José do Rio Pardo

O pessoal do clube foi bem bacana em permitir que a gente entrasse pra fazer umas fotos!

Estádio Moacyr de Ávila Ribeiro - Associação Atlética Riopardense - São José do Rio Pardo

A essa altura do campeonato estávamos na estrada há várias horas e o calor era absurdo… Então imagina como ficamos ao ver esse visual…

Estádio Moacyr de Ávila Ribeiro - Associação Atlética Riopardense - São José do Rio Pardo

Mas, há que se manter o foco. O nosso desafio era registrar o Estádio, que agora sabíamos, se chamar “Moacyr de Ávila Ribeiro“, e pra chegar lá, era necessário atravessar a quadra!

Estádio Moacyr de Ávila Ribeiro - Associação Atlética Riopardense - São José do Rio Pardo

Atravessou? Então vamos lá! É hora de conhecer mais um campo histórico do futebol de São Paulo!

É impossível olhar para esse visual e não sentir uma mágica volta ao tempo… Olha que lindo essa arquibancada coberta!

Estádio Moacyr de Ávila Ribeiro - Associação Atlética Riopardense - São José do Rio Pardo

Estádio Moacyr de Ávila Ribeiro - Associação Atlética Riopardense - São José do Rio Pardo

E olha como tudo começou…

Estádio da Associação Atlética Riopardense

Naquela época, a entrada do estádio era pela rua Mossoró.

Estádio AA Riopardense

Ao fundo, o crescimento da cidade começa a aparecer, com direito até a arranha-céu…

Estádio Moacyr de Ávila Ribeiro - Associação Atlética Riopardense - São José do Rio Pardo

Aqui o time rival da cidade, o Rio Pardo FC, em 1948, posando no campo da Associação:

Rio Pardo FC 1948

Olha o “arquitetônico” banco de reservas.

Estádio Moacyr de Ávila Ribeiro - Associação Atlética Riopardense - São José do Rio Pardo

O Estádio possui um sistema de iluminação que permite partidas noturnas (coisa que o meu Ramalhão até 2017 estava sem).

Estádio Moacyr de Ávila Ribeiro - Associação Atlética Riopardense - São José do Rio Pardo

Detalhe para o setor das “cadeiras cobertas” no estádio, denominado “Camarote Tricolor”.

Estádio Moacyr de Ávila Ribeiro - Associação Atlética Riopardense - São José do Rio Pardo

Mas o estádio tem também a ala do rock! Olha só essa parte atrás do gol com menções aos Stones, Marcelo D2, Pink Floyd e até uma foto/grafite do Chorão…

Estádio Moacyr de Ávila Ribeiro - Associação Atlética Riopardense - São José do Rio Pardo

Dá vontade de não ir embora né? Mas a cidade é grande o suficiente para ter um segundo time, então é hora de nos despedimos do Estádio Moacyr de Ávila Ribeiro, a Associação Atlética Riopardense!

Estádio Moacyr de Ávila Ribeiro - Associação Atlética Riopardense - São José do Rio Pardo

Assim, andamos um pouco e logo estávamos em frente ao Rio Pardo Futebol Clube!

Estádio Lupércio Torres - Rio Pardo Futebol Clube - São José do Rio Pardo

O Rio Pardo Futebol Clube foi fundando em 2 de abril de 1909 e entrou pra história ao disputar quatro edições do campeonato paulista da segunda divisão (de 1948 a 51).

Distintivo do Rio Pardo Futebol Clube

Aqui o time de 1951:

Rio Pardo FC 1951

Pra quem gosta dessas fotos históricas, tem aí outras imagens de fases diferentes:

Boizinho - Rio Pardo Futebol Clube - São José do Rio Pardo

Estádio Lupércio Torres - Rio Pardo Futebol Clube - São José do Rio Pardo

Mas o Rio Pardo FC também disputou três edições da quarta divisão (1963, 1964 e 1967) e mandavam seus jogos aqui! Na sede do clube:

Estádio Lupércio Torres - Rio Pardo Futebol Clube - São José do Rio Pardo

Mas assim como no caso da Riopardense, as pessoas constumavam se referir a ele como o “Estádio do Rio Pardo FC”, mas… existe um nome! E ele é… Estádio Lupércio Torres.

Estádio Lupércio Torres - Rio Pardo Futebol Clube - São José do Rio Pardo

No lugar em que esta placa está, parece que existia um tipo de pórtico de entrada:

Estádio Lupércio Torres - Rio Pardo Futebol Clube - São José do Rio Pardo

E aí estamos nós!

Estádio Lupércio Torres - Rio Pardo Futebol Clube - São José do Rio Pardo

Estádio Lupércio Torres - Rio Pardo Futebol Clube - São José do Rio Pardo

Um pouco depois há um outro possível pórtico!

Estádio Lupércio Torres - Rio Pardo Futebol Clube - São José do Rio Pardo

O clube é cercado por um muro e em várias partes dele existe o distintivo pintado na parede.

Estádio Lupércio Torres - Rio Pardo Futebol Clube - São José do Rio Pardo

Estádio Lupércio Torres - Rio Pardo Futebol Clube - São José do Rio Pardo

Aqui é a entrada do clube atualmente:

Estádio Lupércio Torres - Rio Pardo Futebol Clube - São José do Rio Pardo

Vamos dar uma olhada na parte interna pra ficar triste?

É… Chegamos tarde…. As necessidades práticas do clube falaram mais alto que a memória histórica (e é claro que essa é uma decisão válida, uma vez que o clube segue vivo).

Estádio Lupércio Torres - Rio Pardo Futebol Clube - São José do Rio Pardo

Pelo que entendi era aqui que ficava o campo:

Estádio Lupércio Torres - Rio Pardo Futebol Clube - São José do Rio Pardo

Estádio Lupércio Torres - Rio Pardo Futebol Clube - São José do Rio Pardo

Curiosamente, veja essa foto do time rival (Associação Atlética Riopardense) no próprio campo do Rio Pardo FC:

AA Riopardense

Bom, deu pra conhecer um pouco do estádio. Valeu a pena!

Estádio Lupércio Torres - Rio Pardo Futebol Clube - São José do Rio Pardo

Assim como vale a pena ler a descrição encontrada no site www.cidadelivredoriopardo.com.br a descrição sobre o dia de um derbi:

“O campo da Associação está repleto. Arquibancadas e gerais são redutos discriminatórios. Dois grandes grupos antagônicos se formam. As torcidas não se misturam. Nas arquibancadas e gerais daquele lado espremem-se os apaixonados da Associação, os “estegomias”. Na metade oposta, nos barrancos e laterais, os “bexigas-pretas”, torcedores do Rio Pardo. Gritos ofensivos cruzam o campo vazio. Mulheres, com roupas de festa, são sopranos e contraltos dos coros gritantes das torcidas, com urras, piquepiques, quadrinhas, “slogans”, hinos dos clubes, insultos, vaias… Guarda-chuvas, sombrinhas e muitos eucaliptos sombreiam o contorno do campo.”

E por aí vai a história, leia lá no http://cidadelivredoriopardo.com.br.

Ah, antes de ir embora ainda deu pra cruzar com o Estádio do time local do Vasco da Gama (limitado ao futebol amador).

Vasco de São José do Rio Pardo

Vasco de São José do Rio Pardo

Vasco de São José do Rio Pardo

O time, embora se limite ao futebol amador, é bastante tradicional!

Vasco de São José do Rio Pardo

No caminho para a nossa próxima parada (a cidade de Cajuru) ainda pudemos pirar com o visual do Rio Pardo (eu nem sabia da existência da barragem lá…).

São José do Rio Pardo

São José do Rio Pardo

São José do Rio Pardo

São José do Rio Pardo

São José do Rio Pardo

Olha que lindo vídeo da barragem:

APOIE O TIME DA SUA CIDADE!!!

Rolê Independência & Bola! Estádio em Vargem Grande do Sul (Parte 7 de 21)

Vargem Grande do Sul

A sétima parte do nosso rolê nos levou à bela cidade de Vargem Grande do Sul, terra do amigo Felipe Oliveira, que trabalha comigo na RINO COM.

Mas se você gostaria de saber como foi que chegamos até aqui, confira os demais posts em que registramos os estádios de Pirassununga, Descalvado, Santa Rita do Passa Quatro, Tambaú, Santa Rosa de Viterbo e Santa Cruz das Palmeiras.

Vargem Grande do Sul

Atualmente, cerca de 42 mil pessoas vivem em Vargem Grande do Sul, mas isso não significa que a população local tenha aberto mão de velhos hábitos como o dominó na rua…

Vargem Grande

E se o medo afugenta as pessoas da rua nas grandes cidades, em Vargem Grande do Sul as pessoas se sentem protegidas por saber que lá no alto da cidade, o tradicional “Cristo Redentor” tá de olho em tudo que acontece.

Vargem Grande

A cidade nasceu de um antigo povoado, surgido às margens da antiga estrada Boiadeira percorrida pelos Bandeirantes no século XVII, em busca das minas de ouro de Goiás.

No fim do século XIX e início do século XX começaram a chegar os imigrantes que iriam formar a sua população.

O nome de Vargem Grande do Sul foi dado ao município em 1944. “Vargem” é o nome português que se dá à várzea dos rios e a cidade é cortada pelos rios Jaguari Mirim, Fartura e Verde.

Vargem Grande

Nosso objetivo nessa visita era registrar o Estádio Municipal Dr. Gabriel Mesquita.

Estádio Municipal Dr Gabriel Mesquita (AA Vargense) - Vargem Grande do Sul

O Estádio foi a casa da Associação Atlética Vargeana.

O time foi fundado em 26 de fevereiro de 1945.

Estádio Municipal Dr Gabriel Mesquita (AA Vargense) - Vargem Grande do Sul

Estádio Municipal Dr Gabriel Mesquita (AA Vargense) - Vargem Grande do Sul

Essa é a entrada do estádio.

Estádio Municipal Dr Gabriel Mesquita (AA Vargense) - Vargem Grande do Sul

Acho muito legal quando os estádios usam o portão pra valorizar o time, normalmente com as iniciais do time. No caso do Estádio Dr. Gabriel Mesquita, acredito que as iniciais sejam referências a “Estádio Municipal”.

Estádio Municipal Dr Gabriel Mesquita (AA Vargense) - Vargem Grande do Sul

O Estádio está muito bem cuidado, mas infelizmente estava fechado… Mesmo assim, a salvadora escada que meu pai emprestou e colocou no porta malas do carro me permitiu fazer algumas fotos de dentro do campo.

Estádio Municipal Dr Gabriel Mesquita (AA Vargense) - Vargem Grande do Sul

Achei uma foto na Internet que mostra mais detalhes desse lado do gol:

Estádio Dr Gabriel Mesquita

Achei esse belo registro do time dos anos 40:

AA Vargeana - Vargem Grande do Sul

Depois de muito disputar os campeonatos amadores, a Vargeana decidiu encarar o profissional e em 1986 disputou sua única edição de um Campeonato Paulista jogando a terceira divisão daquele ano.

Esse é o time que disputou a terceirona de 86 (a foto foi gentilmente enviada pela Emily da Secreteria de Esportes de Vargem Grande do Sul):

AA Vargeana 1986 - Vargem Grande do Sul

Repare que no gol, temos a presença de um jovem que futuramente seria conhecido por outra profissão, falamos de Cléber Abade:

Cléber Abade

Ele parou em 2011, relembre como foi seu último jogo:

Recebemos da Emily uma outra foto, mas infelizmente a resolução está muito baixa:

AA Vargeana

Vamos conhecer o estádio por dentro? (ou melhor por cima…)

O estádio possui uma arquibancada coberta e uma descoberta na lateral do campo.

Estádio Municipal Dr Gabriel Mesquita (AA Vargense) - Vargem Grande do Sul

Aqui o gol da direita (pra quem olha de dentro da arquibancada coberta):

Estádio Municipal Dr Gabriel Mesquita (AA Vargense) - Vargem Grande do Sul

Olha que lindo o banco de reservas (dá pra ver como o gramado está bem cuidado):

Estádio Municipal Dr Gabriel Mesquita (AA Vargense) - Vargem Grande do Sul

Aqui uma visão do campo com a cidade ao fundo.

Estádio Municipal Dr Gabriel Mesquita (AA Vargense) - Vargem Grande do Sul

Estádio Municipal Dr Gabriel Mesquita (AA Vargense) - Vargem Grande do Sul

Esse é o time atual da AA Vargeana, que disputa os campeonatos amadores:

AA Vargeana - Vargem Grande do Sul

Assim, nos despedimos da cidade de Vargem Grande do Sul e voltamos à estrada para a próxima fase!

Caso você tenha interesse em ter uma camisa retrô, o site Só futebol oferece dois modelos das camisas da Vargeana. (clique aqui e confira).

Camisa da Vargeana

APOIE O TIME DA SUA CIDADE!!!

Rolê Independência & Bola! Estádio em Santa Cruz das Palmeiras (Parte 6 de 21)

Brasão de Santa Cruz das Palmeiras

Após registrarmos os estádios de Pirassununga, Descalvado, Santa Rita do Passa Quatro, Tambaú e Santa Rosa de Viterbo chegou a hora de conhecer a cidade de Santa Cruz das Palmeiras.

Santa Cruz das Palmeiras

Lá vivem cerca de 33 mil pessoas.

E sim, a cidade tem esse nome porque a primeira capela erguida na região era cercada de frondosas palmeiras. E não é que elas ainda estão pela cidade?

Santa Cruz das Palmeiras

Essa é a rodoviária, de imponente arquitetura!

Santa Cruz das Palmeiras

A cidade prosperou graças às propriedades agrícolas que aproveitaram a terra roxa da região para o cultivo de cafezais, que chegaram a somar mais de quatro milhões de pés.

Para saber mais sobre a história da cidade, recomendo um romance policial interessante que se passa por lá e foi escrito baseado na vida (e morte) de Manezinho, filho de escravos que viveu por lá (compre aqui por menos de R$ 20):

Nossa visita à cidade se deu pelo desejo de conhecer o tal “Estádio do Coronel“, campo do Esporte Clube Palmeirense.

Esporte Clube Palmeirense

Estádio Coronel Penteado, o "Estádio do Coronel", Esporte Clube Palmeirense - Santa Cruz das Palmeiras

O EC Palmeirense é um dos clubes mais antigos do estado de São Paulo.

Foi fundado 7 de setembro de 1908, após uma partida entre os moradores locais contra o Pirassununguense (que jogou em comemoração ao seu primeiro ano de vida).

Esse é o time da época:

Esporte Clube Palmeirense

O clube é conhecido como “Leão da Coronel“, porque fica localizado na Rua Coronel Penteado e por isso seu estádio é chamado de “Estádio da Coronel“, ou simplesmente o “Campo do Palmeirense“.

Estádio Coronel Penteado, o "Estádio do Coronel", Esporte Clube Palmeirense - Santa Cruz das Palmeiras

Estádio Coronel Penteado, o "Estádio do Coronel", Esporte Clube Palmeirense - Santa Cruz das Palmeiras

Atualmente, embora não dispute as competições oficiais da Federação Paulista, o EC Palmeirense mantém um ótimo patrimônio: seu clube social.

Estádio Coronel Penteado, o "Estádio do Coronel", Esporte Clube Palmeirense - Santa Cruz das Palmeiras

Estádio Coronel Penteado, o "Estádio do Coronel", Esporte Clube Palmeirense - Santa Cruz das Palmeiras

Mas o EC Palmeirense fez história disputando torneios amadores organizados pela Federação Paulista de Futebol nos anos 1940, 1950 e 1960, recebendo também times de diversas cidades para amistosos. Olha o destaque no portão, que lindo!

Estádio Coronel Penteado, o "Estádio do Coronel", Esporte Clube Palmeirense - Santa Cruz das Palmeiras

Que tal um rolê por dentro do campo?

Como deu pra ver, também ia rolar um show no feriado de 7 de setembro (até porque é também o aniversário do clube). Quanto mais festa, mais alegria, menos ódio. Então, boa festa!

Estádio Coronel Penteado, o "Estádio do Coronel", Esporte Clube Palmeirense - Santa Cruz das Palmeiras

Bom, mas o Palmeirense não se contentou com o amadorismo e decidiu se profissionalizar para respirar ares ainda mais competitivos e assim, 1976 estreou pela terceira divisão, perdendo de virada, em casa para o Descalvadense, por 3×1, nesse mesmo chão que hoje, com todo o respeito, pisamos!

Estádio Coronel Penteado, o "Estádio do Coronel", Esporte Clube Palmeirense - Santa Cruz das Palmeiras

Mas a derrota na estreia não desanimou e o EC Palmeirense viria a disputar doze Campeonatos Paulistas, de 1976 a 1989, entre a terceira e a quarta divisões, fazendo a alegria das arquibancadas de seu singelo estádio!

Esse foi o time que disputou a Terceirona em 1989/1990, agradecemos ao Tostão (lá do Palmeirense mesmo) pela disponibilização da foto:

EC Palmeirense - 1989/1990

Aparentemente a foto é desta área do estádio:

Estádio Coronel Penteado, o "Estádio do Coronel", Esporte Clube Palmeirense - Santa Cruz das Palmeiras

Estádio Coronel Penteado, o "Estádio do Coronel", Esporte Clube Palmeirense - Santa Cruz das Palmeiras

Da história vão ficando as memórias e as pessoas, como um dos colaboradores do clube que cuida com o mesmo amor de sempre do campo, e mostra com orgulho sua medalha conquistada na São Silvestre de um passado inesquecível.

Estádio Coronel Penteado, o "Estádio do Coronel", Esporte Clube Palmeirense - Santa Cruz das Palmeiras

A verdade é que olhando assim, dá pra sonhar com uma partida pela série B do Paulista sendo jogada aí no Coronel, não dá?

Estádio Coronel Penteado, o "Estádio do Coronel", Esporte Clube Palmeirense - Santa Cruz das Palmeiras

Aqui o gol da direita…

Estádio Coronel Penteado, o "Estádio do Coronel", Esporte Clube Palmeirense - Santa Cruz das Palmeiras

O meio campo…

Estádio Coronel Penteado, o "Estádio do Coronel", Esporte Clube Palmeirense - Santa Cruz das Palmeiras

E o gol da esquerda…

Estádio Coronel Penteado, o "Estádio do Coronel", Esporte Clube Palmeirense - Santa Cruz das Palmeiras

Em 1978, o “Leão da Coronel” chegou à fase final da quarta divisão, mas acabou perdendo a chance de ser campeão ao ser derrotado pelo.

Estádio Coronel Penteado, o "Estádio do Coronel", Esporte Clube Palmeirense - Santa Cruz das Palmeiras

Estádio Coronel Penteado, o "Estádio do Coronel", Esporte Clube Palmeirense - Santa Cruz das Palmeiras

Nos anos 90, o time volta ao amadorismo, tendo seu estádio voltado aos torneios amadores e amistosos, além do uso pelos sócios do clube.

Estádio Coronel Penteado, o "Estádio do Coronel", Esporte Clube Palmeirense - Santa Cruz das Palmeiras

Mas segue na memória (e n

Estádio Coronel Penteado, o "Estádio do Coronel", Esporte Clube Palmeirense - Santa Cruz das Palmeiras

O campo possui uma série de árvores ao seu redor, dando um clima bem tranquilo.

Estádio Coronel Penteado, o "Estádio do Coronel", Esporte Clube Palmeirense - Santa Cruz das Palmeiras

E as palmeiras também!!

Estádio Coronel Penteado, o "Estádio do Coronel", Esporte Clube Palmeirense - Santa Cruz das Palmeiras

O placar segue 0x0…

Estádio Coronel Penteado, o "Estádio do Coronel", Esporte Clube Palmeirense - Santa Cruz das Palmeiras

As arquibancadas também estão ali na saudade de receber a torcida!

Estádio Coronel Penteado, o "Estádio do Coronel", Esporte Clube Palmeirense - Santa Cruz das Palmeiras

Os vestiários muito bem cuidados.

Estádio Coronel Penteado, o "Estádio do Coronel", Esporte Clube Palmeirense - Santa Cruz das Palmeiras

Bom, mais uma etapa completa e com louvor! O EC Palmeirense mostrou uma incrível estrutura, justificando a nossa visita, por hora… Voltemos à estrada! Pois ainda há muito a conhecer!

 Santa Cruz das Palmeiras

APOIE O TIME DE SUA CIDADE!!!

Rolê Independência & Bola! Estádio em Santa Rosa de Viterbo (Parte 5 de 21)

A 5a parte do nosso rolê em busca de estádios é sem dúvida um momento especial.

Após registrarmos os estádios de Pirassununga, Descalvado, Santa Rita do Passa Quatro e Tambaú, agora é a vez de falar sobre nossa passagem por Santa Rosa de Viterbo.

Santa Rosa de Viterbo

A região era habitada por tribos de índios caiapós, até se tornar “Capitania Hereditária de São Tomé” e a partir de 1883 começou a receber um maior volume de pessoas, com a chegada da estrada de ferro Mogiana e com a Capela de Rosa de Viterbo, que viria a dar nome à cidade.

Atualmente, sua população está em torno de 26 mil pessoas.

Santa Rosa de Viterbo

Nosso foco nessa visita era conhecer a Fazenda Amália, que surgiu quando Henrique Dumont (pai de Santos Dumont e um dos “reis do café”) comprou suas primeiras terras na região.

Nascia ali um grande complexo agroindustrial, batizado de Fazenda Amália em homenagem à sua esposa. Dizem que pagou barato por estas terras que no seu apogeu chegaram a possuir 96 km de ferrovias por onde passavam 7 locomotivas para escoar sua produção.

Família Dumont

A fazenda Amália se transformaria em uma potência ainda maior, com su compra feita pela família Matarazzo. O conde Francisco Matarazzo Júnior reforçou a produção de cana-de-açúcar e também ampliou seu complexo industrial com uma grande fábrica de papel e ácido cítrico.

Fazenda Amália

Santa Rosa de Viterbo acabou se desenvolvendo graças aos empregos gerados e serviços demandados pela Fazenda Amália.

Na década de 1940, seriam inaugurados o Hospital Santo André (o primeiro da cidade), o cinema Don Juanico (ainda está lá o salão),a Igreja São Francisco e o Estádio de Futebol Ermelino Matarazzo, foco da nossa visita à cidade.

Ah, aqui a foto de uma das estações de trem presentes na fazenda.

Fazenda Amália

O “Grande Império Industrial” da Família Matarazzo duraria quatro década sendo durante muito tempo o maior complexo industrial da América Latina, porém… como já diria o SKA-P... Todo império cairá um dia!

Assim, no início dos anos 1980, o Império dos Matarazzo ruiu nas mão da filha do conde, Maria Pia Matarazzo com dívidas absurdas, levando a usina a ser arrendada. Após 113 anos em funcionamento, a Usina Amália parou diante um impasse no arrendamento entre família Matarazzo e Biagi.

Na nossa visita fomos informados que a parte onde fica o Estádio tornou-se um condomínio particular.

Enfim… É muita história. Vale a pena assistir o vídeo abaixo pra conhecer um pouco ou, ler o vasto material disponibilizado na Internet. Basta usar o Google como partida.

Voltemos então ao foco futebolistico de nossa viagem, o Estádio Ermelino Matarazzo, onde o time da fazenda, a Associação Amália de Desportos Atléticos (AADA) mandava seus jogos.

Estádio Ermelino Matarazzo - Santa Rosa de Viterbo - Associação Amália de Desportos Atléticos (AADA)

A AADA foi “oficialmente” fundada em 1o de janeiro de 1940, embora muitos colaboradores da Fazenda tenham confirmado que desde o início dos anos 30 já existia o time.

Era um jeito de reunir empregados e empregadores da Sociedade Agrícola FazendaAmália, promovendo a prática esportiva, principalmente o futebol.

Time da Associação Amália de Desportos Atléticos - Santa Rosa de Viterbo

O time era subordinado ao Departamento de Serviço Social da empresa.

Time da Associação Amália de Desportos Atléticos - Santa Rosa de Viterbo

Dá uma sensação curiosa ver o distintivo com um “A” em um círculo, parecendo muito um time de anarquistas hehehehe.

Time da Associação Amália de Desportos Atléticos - Santa Rosa de Viterbo

Time da Associação Amália de Desportos Atléticos - Santa Rosa de Viterbo

A AADA participou da quarta divisão em 1966 e da terceira em 1967 e 68.

 Time da Associação Amália de Desportos Atléticos - Santa Rosa de Viterbo

O AADA ainda teve um segundo distintivo, aproximando-se da marca da Fazenda (retirado do Almanaque do Futebol Paulista):

Distintivo AADA

Mas, voltemos a falar do Estádio Dr Ermelino Matarazzo.

Estádio Dr Ermelino Matarazzo - AADA - Santa Rosa de Viterbo

Ele começou como um campo cercado de folhas de zinco e acabou reformado graças aos esforços de Ermelino Matarazzo, um apaixonado pelo futebol, que chegou a ser goleiro da AADA (e depois do Palmeiras e do Botafogo).

Suas arquibancadas eram na verdade a varanda do casarão que ficava ao lado do campo.

Estádio Dr Ermelino Matarazzo - Santa Rosa de Viterbo

Vamos dar uma olhada?

O casarão ao lado abriga (ou abrigava) o Cinema Dom Juanico.

Cinema Dom Juanico

Infelizmente fomos super mal recebidos pelos seguranças locais, que a todo instante repetiam para irmos embora que aquela área era particular e que ninguém nos daria permissão para adentrar ao campo. (perceba que as fotos foram feitas do lado externo).

Estádio AADA Santa Rosa de Viterbo

Pudemos assim fazer algumas fotos do campo por cima do muro:

Estádio Dr Ermelino Matarazzo - AADA - Santa Rosa de Viterbo

Olha o casarão, que coisa linda!

Estádio Dr Ermelino Matarazzo - AADA - Santa Rosa de Viterbo

Antes de disputar a terceira e a quarta divisão, a Associação teve o direito de disputar o Campeonato Amador do Interior, e assim o fez. Em 1957, a AADA venceu o Campeonato do Interior, garantindo uma vaga na Terceira Divisão.

AADA - Estádio Ermelino Matarazzo - Santa Rosa de Viterbo

O tempo passou. O império caiu. O ambiente é inóspito a visitantes. Mas o campo ainda está ali. Este é o gol da direita:

Campo da Associação Amália de Desportes Atléticos - Santa Rosa de Viterbo

Aqui o gol da esquerda:

Campo da Associação Amália de Desportes Atléticos - Santa Rosa de Viterbo

Campo da Associação Amália de Desportes Atléticos - Santa Rosa de Viterbo

Até os bancos de reserva seguem ali!

Campo da Associação Amália de Desportes Atléticos - Santa Rosa de Viterbo

Mas mesmo com o campo ainda existindo, sabemos que é praticamente impossível a volta de um time como a AADA…

Santa Rosa de Viterbo

Santa Rosa de Viterbo

Hora de voltar à estrada e dar sequência à viagem e aos sonhos.

APOIE O TIME DA SUA CIDADE!!!

Rolê Independência & Bola! Estádios em Tambaú (Parte 4 de 21)

brasão de Tambaú

Seguindo o nosso rolê em busca de estádios, chegamos à cidade de Tambaú!

Tambaú

Antes de Tambaú, já havíamos passado por Pirassununga, Descalvado e Santa Rita do Passa Quatro para registrar seus estádios.

Mas agora é a vez de falar sobre a cidade cujo nome significa “rio das conchas”.

Tambaú

Tambaú foi fundada em 1886, ainda como um povoado.

Somente em 1898 seria levada à condição de município. Colaboraram para a formação da cidade diversos imigrantes italianos, portugueses, espanhóis e sírio-libaneses, ajudando a desenvolver a indústria da cerâmica na cidade.

A estação de trem de Tambaú foi aberta em 1887 e funcionou até 1959, quando a variante Lagoa-Tambaú ficou pronta. A nova estação foi construída fora da área urbana.

Estação Tambaú

É impossível falar de Tambaú sem falar de um de seus personagens mais curiosos: o padre Donizete.

O padre ficou muito conhecido graças a diversos milagres de curas atribuídos a ele (até um jogador de futebol foi curado, segundo ouvi em um programa do Milton Neves, um domingo desses).

Donizetti era também advogado e ajudava os trabalhadores em processos contra os empresários e políticos que abusavam de seus poderes. Dizem que por essa intromissão, tentaram matá-lo por 2 vezes.

Em 1992, foi aberto o processo de beatificação de Padre Donizetti.

Mas, voltemos às ruas e praças de Tambaú nos dias atuais…

Tambaú

Na cidade, vivem mais de 23 mil pessoas, aproveitando-se de suas arborizadas ruas…

Tambaú

E durante nossa visita, ainda pudemos ver o lindo florescer dos ipês amarelos.

Tambaú

Mas, mais do que natureza, a cidade possui uma outra riqueza…:

futebol em Tambaú

E o futebol fez de Tambaú, a “Avellaneda” brasileira. Explico; é que na cidade convivem 2 times na mesma rua, mais ou menos como no bairro argentino onde Racing e Independiente possuem seus estádios há uma quadra, um do outro. Veja no mapa a proximidade dos dois estádios em Tambaú:

Tambaú

Vamos começar falando do Estádio Carlos de Almeida, a casa do Esporte Clube Operário.

Distintivo do Esporte Clube Operário

Estádio Carlos de Almeida - Esporte Clube Operário - Tambaú

O estádio tem um singelo apelido: “A jaula da Alfredo Guedes“. Alfredo Guedes é o nome da rua em que está não só o campo do Operário como do União, que veremos a seguir.

Esporte Clube Operário - Tambaú

Esporte Clube Operário - Tambaú

A sede do time fica ao lado do Estádio!

Estádio Carlos de Almeida - Esporte Clube Operário - Tambaú

O Esporte Clube Operário foi fundado em 30 de junho de 1921 e entrou pra história disputando a Terceira e a Quarta divisão do Campeonato Paulista, entre 1986 e 1991.

Aqui, o time de 1989:

EC Operário

E lá vamos nós conhecer mais um estádio!

Estádio Carlos de Almeida - Esporte Clube Operário - Tambaú

Esporte Clube Operário - Tambaú

O time é conhecido como o “leão” de Tambaú. E é o leão que recebe os visitantes do estádio (pena que o vidro deu uma estragada na foto …).

Esporte Clube Operário - Tambaú

Dizem que o Operário é o time com maior torcida da cidade, e por isso acabou recebendo o título de “O mais querido”.

Aqui é o time de 1966, quando disputou um amistoso contra a Ponte Preta:

EC Operário de Tambaú 1966

Que tal dar uma olhada no estádio?

O Estádio Carlos de Almeida encontra-se em excelente estado!

Esporte Clube Operário - Tambaú

Gramado bem cuidado, alambrados preparados e… as arquibancadas!

Esporte Clube Operário - Tambaú

Esporte Clube Operário - Tambaú

Tem até um espaço para a rádio local!

Esporte Clube Operário - Tambaú

Esporte Clube Operário - Tambaú

Vale uma olhada especial na arquibancada coberta! Simples, mas dá uma outra cara ao estádio!

Estádio João Meirelles - Esporte Clube União - Tambaú

Estádio João Meirelles - Esporte Clube União - Tambaú

Ao lado dela, uma arquibancada descoberta, que parecia ser apenas o início de um possível sonho de expansão do estádio!

Estádio João Meirelles - Esporte Clube União - Tambaú

Olhando da arquibancada coberta, esse é o lado direito:

Estádio João Meirelles - Esporte Clube União - Tambaú

O centro do campo:

Estádio João Meirelles - Esporte Clube União - Tambaú

E o lado esquerdo!

Estádio João Meirelles - Esporte Clube União - Tambaú

Antes de ir embora, uma foto olhando de traz do gol de entrada:

Estádio João Meirelles - Esporte Clube União - Tambaú

Grata surpresa, hein?

Hora de dizer adeus e atravessar a rua…

Esporte Clube Operário - Tambaú

Do outro lado da rua, temos o não menos importante Estádio João Meirelles.

Estádio João Meirelles - Esporte Clube União - Tambaú

Trata-se da casa do Esporte Clube União.

Vale lembrar que o distintivo do EC União já teve outras versões, como essa:

Estádio João Meirelles - Esporte Clube União - Tambaú

Estádio João Meirelles - Esporte Clube União - Tambaú

Estádio João Meirelles - Esporte Clube União - Tambaú

O Esporte Clube União foi fundado em 25 de setembro de 1910 (faça as contas e verá que eles são 11 anos mais velhos que o Operário).

Estádio João Meirelles - Esporte Clube União - Tambaú

Estádio João Meirelles - Esporte Clube União - Tambaú

Contamos com a ajuda de um amigo local pra visitar o estádio!

Estádio João Meirelles - Esporte Clube União - Tambaú

Até lembra o Augusto, ex jogador que fez história na Caldense e também no futebol local de Tambaú!

União Tambaú

O União teve 13 participações no Campeonato Paulista de Futebol entre a terceira (1976 e depois de 1980 a 88) e a quarta divisão (de 1977 a 1979).

O Estádio João Meirelles estampa em suas paredes as fotos e nomes de alguns de seus craques nesses anos todos. Homenagem mais que válida.

Estádio João Meirelles - Esporte Clube União - Tambaú

Estádio João Meirelles - Esporte Clube União - Tambaú

Aqui, é o time de 69, ainda disputando apenas o amador:

EC União 1969

Mais algumas fotos que encontrei:

União Tambaú

Aliás, que tal uma volta pra conhecer o campo?

A arquibancada coberta imponente é um destaque que chama a atenção no estádio.

Estádio João Meirelles - Esporte Clube União - Tambaú

Estádio João Meirelles - Esporte Clube União - Tambaú

Estádio do União de Tambaú

O clube social fica nessa parte atrás do gol (olha a Mari ali!).

Estádio João Meirelles - Esporte Clube União - Tambaú

Uma coisa engraçada são os grafites desenhados nos muros ao redor do campo! Acaba dando um efeito de que sempre tem alguém torcendo.

Estádio João Meirelles - Esporte Clube União - Tambaú

Estádio João Meirelles - Esporte Clube União - Tambaú

O União é um dos mais antigos times do estado de São Paulo, mas segue fora do profissionalismo, para a tristeza das arquibancadas que seguem ali…

Estádio João Meirelles - Esporte Clube União - Tambaú

Estádio João Meirelles - Esporte Clube União - Tambaú

Pra nós, é um grande orgulho poder conhecer mais um monumento do futebol do interior paulista!

Estádio João Meirelles - Esporte Clube União - Tambaú

Mais uma cidade visitada, mais dois estádios para nossa conta. Pena que foi tão rápido… Mas, é tempo de voltar à estrada!

Tambaú

APOIE O TIME DA SUA CIDADE!!!

Rolê Independência & Bola! Estádios em Santa Rita do Passa Quatro (Parte 3 de 21)

Brasão de Santa Rita do Passa Quatro

Depois de termos conhecido os estádios de Pirassununga e Descalvado, a terceira etapa do nosso rolê nos leva à mágica cidade de Santa Rita do Passa Quatro, onde vivem cerca de 28 mil pessoas.

Santa Rita do Passa quatro

Todo curioso já se perguntou o porquê do “passa quatro” e a resposta vem da natureza: antigamente para se chegar à cidade era necessário se passar quatro vezes por um córrego (que nós nem conseguimos achar em nossa viagem).

Mas…. A cidade está lá! E também suas ruas de paralelepípedos, tão charmosas…

Santa Rita do Passa Quatro

Santa Rita do Passa Quatro

Tem praça com coreto também!

Santa Rita do Passa Quatro

E tem a tradicional Igreja Santa Rita de Cássia.

Santa Rita do Passa Quatro

Casas bonitas com leões de guarda na entrada? Tem lá também!

Santa Rita do Passa Quatro

Se nosso amigo Rafael Furlan, o geógrafo, lesse esse post, ele ficaria contente em ver que notamos uma formação curiosa e que depois pesquisando descobrimos tratar-se do ponto mais alto da cuesta basáltica (uma espécie de montanha que tem um lado “normal” e o outro super íngreme) que cruza o estado de São Paulo.

Mas não fui atento o suficiente para fotografar…. Mas fiz mais fotos da rua, olha:

Santa Rita do Passa Quatro

Bom, mas geografia a parte, estávamos visitando a cidade para conhecer o estádio que serviu de casa da Associação Atlética Santa Ritense nas 16 edições do Campeonato Paulista que disputou entre a terceira e a quinta divisão.

Associação Atlética SantaRitense

Sendo assim, bem vindo ao Estádio José Pereira da Silva, o “Pereirão“!

Estádio José Pereira da Silva - Associação Atlética Santa Ritense - Santa Rita do Passa Quatro

O estádio fica junto do clube social, então em todo lugar se vê o distintivo da Santa Ritense pelas paredes!

Estádio José Pereira da Silva - Associação Atlética Santa Ritense - Santa Rita do Passa Quatro

Estádio José Pereira da Silva - Associação Atlética Santa Ritense - Santa Rita do Passa Quatro

Estádio José Pereira da Silva - Associação Atlética Santa Ritense - Santa Rita do Passa Quatro

E como mostra o distintivo, a Santa Ritense foi fundada em 25 de janeiro de 1927 e de lá pra cá, muita história rolou com esse time. A partir de 1964 o time começou a disputar o profissionalismo, na quarta divisão. Jogaria ainda a 4a divisão em 1965, 1977, 2002, 2003 e 2004 e a quinta em 1999, 2000 e 2001.

Possui uma grande rivalidade local com a Sociedade Esportiva Cinelândia, com quem faz o Derby citadino.

Sociedade Esportiva Cinelândia

Como se vê o estádio José Pereira da Silva, já viu muita história!

Por isso, merece ser registrado, a começar pela tradicional foto na bilheteria.

Estádio José Pereira da Silva - Associação Atlética Santa Ritense - Santa Rita do Passa Quatro

Estádio José Pereira da Silva - Associação Atlética Santa Ritense - Santa Rita do Passa Quatro

Estádio José Pereira da Silva - Associação Atlética Santa Ritense - Santa Rita do Passa Quatro

Que tal uma olhada mais de perto? Sigam me os bons!

Tava até rolando uma pelada na hora em que estivemos por lá!

Estádio José Pereira da Silva - Associação Atlética Santa Ritense - Santa Rita do Passa Quatro

Aí está ela! A arquibancada coberta que já abrigou tantos torcedores do sol e da chuva (será?).

Estádio José Pereira da Silva - Associação Atlética Santa Ritense - Santa Rita do Passa Quatro

A arqui

bancada ainda segue para ambos os lados da cobertura.

Estádio José Pereira da Silva - Associação Atlética Santa Ritense - Santa Rita do Passa Quatro

Bancos de reserva bem colocados a espera dos suplentes!

Estádio José Pereira da Silva - Associação Atlética Santa Ritense - Santa Rita do Passa Quatro

Aí sim! Mais uma memória registrada de uma equipe super tradicional e que tem grandes chances de voltar ao profissionalismo, caso tenha esse desejo!

Estádio José Pereira da Silva - Associação Atlética Santa Ritense - Santa Rita do Passa Quatro

Mas se você quer matar a saudade do time jogando pra valer, seguem dois vídeos pra vc relembrar:

Uma olhada no campo, dos dois lados e do centro:

Estádio José Pereira da Silva - Associação Atlética Santa Ritense - Santa Rita do Passa Quatro

Estádio José Pereira da Silva - Associação Atlética Santa Ritense - Santa Rita do Passa Quatro

Estádio José Pereira da Silva - Associação Atlética Santa Ritense - Santa Rita do Passa Quatro

A arquibancada de cimento promete aguardar o tempo necessário para novamente receber torcedores!

Estádio José Pereira da Silva - Associação Atlética Santa Ritense - Santa Rita do Passa Quatro

Um último olhar pelo lado de fora… E é hora de irmos…

Estádio José Pereira da Silva - Associação Atlética Santa Ritense - Santa Rita do Passa Quatro

Mas… Não podemos ir embora sem falar do segundo time da cidade, que já não existe nem como time amador e nem como sede social.

Trata-se do Córrego Rico Futebol Clube.

Distintivo do Córrego Rico FC

O time foi fundado em 1953, na Usina Santa Rita e em 1965 chegou a disputar a quarta divisão do Campeonato Paulista, mandando seus jogos no Estádio da Usina.

Usina Santa Rita

Bom… Hora de voltar à estrada!

Estádio José Pereira da Silva - Associação Atlética Santa Ritense - Santa Rita do Passa Quatro

APOIE O TIME DA SUA  CIDADE!!!

Rolê Independência & Bola! Estádio em Descalvado (Parte 2 de 21)

Dando sequência ao nosso rolê, após termos registrado os estádios de Pirassununga, chegou a hora de conhecermos a cidade de Descalvado, onde meu avô Antonio Gimenez Penessor nasceu.

Descalvado

Descalvado possui uma população de cerca de 32 mil pessoas. É uma região que tem integrado às atividades agrícolas as indústrias (principalmente aquelas focadas na produção de produtos “Pet”).

A história de Descalvado também tem a ver com a passagem dos bandeirantes que abriam caminho para fazendeiros se estabelecerem para plantar café num primeiro momento. Assim como a maior parte do Brasil, os escravos também foram usados nesses primeiros momentos. Em tempos atuais parece que as pessoas querem esquecer esse fato e acho essencial relembrar sempre que o Brasil teve (ou tem?) o trabalho escravo levantando as bases do país.

Logo, Descalvado recebeu os trilhos da Companhia Paulista de Estradas de Ferro o que colaborou para o desenvolvimento da região (a foto abaixo é do site www.estacoesferroviarias.com.br que reúne fotos históricas de estações de trem).

estacao de trem descalvado

Pra quem lê isso hoje, talvez não entenda, mas costumo dizer que a chegada da estação de trem era como a chegada da Internet. Ela abria possibilidades, trazia produtos, permitia interação entre pessoas etc.

Provavelmente, foi o trem quem trouxe as primeiras bolas de futebol para a cidade.

E daí, surge nosso interesse: conhecer o Estádio Felisberto Bortoletto casa do CERD (Clube Esportivo e Recreativo Descalvadense).

Distintivo do CERD (Clube Esporivo e Recreativo Descalvadense)

O time foi fundado em 03 de dezembro de 1940 e começou jogando as competições amadoras. Esse é o time dos anos 60:

CER Descalvadense 1964

Em 1975, o time passou a disputar as competições profissionais da Federação Paulista de Futebol.

Foram 6 passagens pelo campeonato da 3ª Divisão (1975, 1976, 1981, 1982, 1985 e 1986).

E o grande momento do CERD foi o título da terceira divisão em 1986, deixando pra traz várias equipes tradicionais, com o time abaixo:

CER Descalvadense campeão 1986

Porém, o título acabou se transformando em problema, uma vez que por falta de um estádio com capacidade mínima exigida pela Federação Paulista de Futebol, acabou tirando o Descalvadense da A-2 de 1987 e dessa forma fez com que desistisse para sempre do profissionalismo.

Estádio Felisberto Bortoletto (CERD) - Descalvado

Mas, enfim… Senhoras e senhores, bem vindos ao Felisberto Bortoletto!

Estádio Felisberto Bortoletto (CERD) - Descalvado

É sempre emocionante poder se ver em um lugar que marcou a história no futebol de tantas pessoas que vivem em Descalvado…

Estádio Felisberto Bortoletto (CERD) - Descalvado

Estádio Felisberto Bortoletto (CERD) - Descalvado

Tempo para nossa tradicional foto na bilheteria que 30 ano atrás recebia filas e mais filas para ver a final da terceirona!

Estádio Felisberto Bortoletto (CERD) - Descalvado

Estádio Felisberto Bortoletto (CERD) - Descalvado

Atualmente, o CERD possui um fantástico clube social recreativo!

Estádio Felisberto Bortoletto (CERD) - Descalvado

O distintivo está espalhado pelo clube…

Estádio Felisberto Bortoletto (CERD) - Descalvado

Mas manteve lá, o campo de futebol que assistiu a tantas glórias e conquistas!

Estádio Felisberto Bortoletto (CERD) - Descalvado

Que tal uma olhada lá dentro?

Pois é…. Dessa vez quase não dá pra ver o campo direito, com tantos aparelhos sendo preparados para o show do Raimundos!

Estádio Felisberto Bortoletto (CERD) - Descalvado

Estádio Felisberto Bortoletto (CERD) - Descalvado

Estádio Felisberto Bortoletto (CERD) - Descalvado

Quer dar uma volta pelo campo? Gire com a Mari!

O gramado está muito bonito!

Estádio Felisberto Bortoletto (CERD) - Descalvado

Fico me perguntando há quanto tempo aquelas árvores estejam ali… Acompanhando o andamento de cada momento do clube…

Estádio Felisberto Bortoletto (CERD) - Descalvado

Estádio Felisberto Bortoletto (CERD) - Descalvado

Quantas histórias e lembranças devem estar guardados em cada degrau, cada lugar dessa arquibancada…

Estádio Felisberto Bortoletto (CERD) - Descalvado

Quem sabe um dia acordaremos com a notícia da volta do CERD ao profissionalismo?

Estádio Felisberto Bortoletto (CERD) - Descalvado

Por hora, dá tempo de um último olhar, antes de seguirmos viagem…

Estádio Felisberto Bortoletto (CERD) - Descalvado

APOIE O TIME DA SUA CIDADE!!!