O futebol em Paranapanema

Paranapanema

Que tempos estranhos esses em que uma forma de vida tão pequena consegue modificar tanto a realidade do planeta…

Foi um ano com muito menos viagens e jogos, mas… tomando todos os cuidados possíveis e imagináveis, marcamos o fim de ano com um rolê rápido e muito mais simples do que imaginávamos há um ano atrás.

Visitamos estádios de 4 cidades: Capão Bonito, São Miguel Arcanjo, Avaré e Paranapanema. Comecemos por essa pequena cidade de nome comprido: Paranapanema.

Paranapanema

A cidade é conhecida como “a Princesa do Vale” e está há 256 km de São Paulo sendo a casa de pouco mais de 20 mil pessoas.

Logo na entrada da cidade, uma estátua relembra uma das armas contra a difusão do coronavirus: a máscara!

Paranapanema - SP

A cidade é pequena, mas muito charmosa e cheia de cuidados que surpreendem.

Um exemplo é o Museu da Dona Guita, que guarda objetos, máquinas e lembranças relacionadas aos primeiros habitantes de Paranapanema, além de uma série de fotos antigas. O lugar é muito bonito e fica na rua Manoel Domingues Leite a uma quadra da Praça da Matriz.

 Museu Municipal – Casa Dona Guita - Paranapanema

A cidade é toda muito arborizada, e tem umas escolas lindas!

EMEF José Gonçalves Mendes - Paranapanema

O centro é fácil de achar, tem até uma placa indicando que você chegou até lá…

Centro - Paranapanema

Olha aí como é o clima de uma das principais avenidas da cidade:

Paranapanema

Não podia faltar a igreja matriz da cidade.

Paranapanema - SP

Além disso, ela é banhada pela represa Jurumirim, a maior represa do Estado de São Paulo. Tem até uma praia de água doce: a ilha do Sol, situada a 7 km da sede do município, às margens da Represa Jurumirim. Veja mais sobre a cidade em seu site oficial (é só clicar aqui…).

Ilha do Sol - Paranapanema

A cidade nunca teve grande história no futebol, mas em 31/12/1999, no distrito de Holambra II foi fundado o Clube Atlético Montenegro, a “Águia do Vale“.

Clube Atlético Montenegro - Paranapanema

Pela primeira, vez o município de Paranapanema teve uma equipe profissional na cidade, mas… Não foi dessa vez que a cidade pode receber um jogo profissional, pois o Estádio Municipal Professor Pedro Sanches não apresentou as condições necessárias para sediar as partidas do time.

Assim, a equipe alvinegra teve que buscar um outro local para mandar seus jogos na série B3 de 2001 (o equivalente ao sexto nível do futebol paulista) e o local escolhido foi o Estádio Dr. Paulo de Araújo Novaes, que pertence ao São Paulo FC de Avaré, e como estávamos perto da cidade fomos até lá, mas mais uma vez não consegui registrar a parte interna do Estádio… (já havíamos tentado registrá-lo em 2013 e em 2019).

Estádio Dr. Paulo de Araújo Novaes - São Paulo FC de Avaré

Assim, o time jogou a série B3 em 2001, e terminou a primeira fase do campeonato em 3o lugar, no grupo B, garantindo sua classificação para a fase final e também o acesso à série B2, veja na tabela da wikipedia sobre esse campeonato:
Série B3- 2001 - grupo B
Embora tenha sido eliminado nas quartas de final, o time acabou terminando em 4o lugar, e o Corinthians B seria o campeão.
Campeonato Paulista série B3 -2001
Com o acesso garantido, em 2002 o time fez sua estreia na Série B2 (o equivalente ao 5o nível do futebol paulista), mas por problemas administrativos acabou abandonando o torneio no fim do 1° turno, fazendo sua despedida contra o time da AD Guarujá, que venceu o esquadrão de Paranapanema por 2 x 1.
Depois dessa derrota, o time nunca mais retornou ao futebol profissional e acabou sumindo até mesmo de qualquer disputa amadora.
E não é que encontrei a imagem da camisa do time? O done delas é o amigo Frederico Carvalho Capacitor.
Camisa do CA Montenegro
Camisa do CA Montenegro
Mas… e quanto aos estádios de Paranapanema? Seguem por lá… E olha que não são poucos. Até estranhei ver uma placa que dizia “Estádios” (com “s” mesmo).
Começamos registrando o Estádio Municipal Edivaldo Rodrigues de Arruda (sim, mais um estádio com o sobrenome da Mari…por isso a primeira foto é dela!):

Estádio Municipal Edivaldo Rodrigues de Arruda - Paranapanema

Pra você que quer usar a foto sem ninguém, aí está:

Estádio Municipal Edivaldo Rodrigues de Arruda - Paranapanema

Ele fica logo na entrada da cidade, mas pelo visto, já foi deixado de lado há algum tempo. Estava lá… aberto…

Estádio Municipal Edivaldo Rodrigues de Arruda - Paranapanema

Se está aberto… Vamos conhecer o que um dia foi o Estádio Municipal Edivaldo Rodrigues de Arruda.

Estádio Municipal Edivaldo Rodrigues de Arruda - Paranapanema

Já na bilheteria uma certa esquizofrenia… uma suástica mal desenhada ao lado de um A de Anarquia…

 Estádio Municipal Edivaldo Rodrigues de Arruda - Paranapanema

Lá dentro… Uma triste visão…

É… O campo virou pasto…

 Estádio Municipal Edivaldo Rodrigues de Arruda - Paranapanema

Restos de obras amontoados no que um dia foi a lateral do campo.

 Estádio Municipal Edivaldo Rodrigues de Arruda - Paranapanema

O sistema de iluminação também segue por ali, como uma recordação de tempos passados.

 Estádio Municipal Edivaldo Rodrigues de Arruda - Paranapanema

Ali, onde ficava um dos gols, com a cidade ao fundo.

 Estádio Municipal Edivaldo Rodrigues de Arruda - Paranapanema

O que sobrou dos vestiários:

 Estádio Municipal Edivaldo Rodrigues de Arruda - Paranapanema

 Estádio Municipal Edivaldo Rodrigues de Arruda - Paranapanema

A arquibancada ainda segue por lá.

 Estádio Municipal Edivaldo Rodrigues de Arruda - Paranapanema

Agora, com os cupinzeiros, além do gado, também se pode ver muitos pássaros pelo campo.

 Estádio Municipal Edivaldo Rodrigues de Arruda - Paranapanema

Mesmo não tendo recebido nenhum jogo oficial pelas competições da Federação Paulista, o Estádio fez a alegria da população local.

 Estádio Municipal Edivaldo Rodrigues de Arruda - Paranapanema

E ainda faz a alegria desses aí, que estão se deliciando com uma grama verdinha!

 Estádio Municipal Edivaldo Rodrigues de Arruda - Paranapanema

Aqui, um olhar de traz do que eram os vestiários.

 Estádio Municipal Edivaldo Rodrigues de Arruda - Paranapanema

Mas… Como eu disse, a cidade manteve o futebol vivo com outros estádios. Aqui na foto do próprio site da Prefeitura vc pode ver que não faltam campos!

Estádios - Paranapanema

E assim, chegamos ao atual Estádio Municipal de Paranapiacaba, o Estádio Dr. Paulo de Araújo que deveria ter recebido os jogos do CA Montenegro.

Estádio Municipal Profº Pedro Sanchez - Paranapanema

Aqui, pra quem quer uma foto do estádio sem a minha incomoda presença:

Estádio Municipal Profº Pedro Sanchez - Paranapanema

Infelizmente esse estava fechado 🙁

Mas deu pra fazer umas fotos da parte interna e conferir as belas e verdejantes arquibancadas locais!

Estádio Municipal Profº Pedro Sanchez - Paranapanema

Uma pena o Estádio não estar apto na época pra receber os jogos do profissional, porque atualmente ele parece muito acertadinho.

Estádio Municipal Profº Pedro Sanchez - Paranapanema

E assim, nos despedimos de mais uma aventura “interior afora”. Valeu, Paranapanema!

Estádio Municipal Profº Pedro Sanchez - Paranapanema

APOIE O TIME DA SUA CIDADE!!!

Grêmio Atibaiense e a celebração do seu 86º aniversário!

Distintivo do Gremio Atibaiense

Distintivo GE Atibaiense

Já estivemos algumas vezes em Atibaia, mas nos limitamos a visitar e registrar o Estádio Salvador Russani, até pelo surgimento e desenvolvimento do Sport Club Atibaia.

SC Atibaia

Mas, o Grêmio Esportivo Atibaiense é um time com uma história que merece e precisa ser lembrada e reforçada.

O time foi fundado em 21 de novembro de 1934 por funcionários da Companhia Têxtil Brasileira, ainda sob o nome de Associação Atlética Cetebê. (O distintivo veio do site História do Futebol):

AA Cetebe - Atibaia

Além de fazer história no futebol amador da região e no Campeonato do Interior, jogando o setor 10 da zona 2, o time decide disputar as competições profisionais da Federação Paulista, na 4a divisão, a partir de 1963. A partir de 1964, o Cetebê mudou seu nome para Grêmio Esportivo Atibaiense. Jogou ainda as edições de 1964, 65 e 67.

Grêmio Esportivo Atibaiense

Jogou também 4 edições da Série A3, em 1981, 82, 86 e 87. Aqui, a relação dos jogos de 1981:

Campeonato Paulista Série A3 - 1981

Voltou à 4a divisão em 1988, jogando mais 4 edições até 1991, quando fez sua última participação no futebol profissional.

Uma das histórias mais bacanas do time é que ele foi o último time de Muricy Ramalho como atleta e sua primeira experiência como treinador:

Muricy Ramalho - Grêmio Atibaiense

Com o fim do futebol profissional, desenvolveu o seu clube social transformando-se em uma grande potência local.

Mas, o futebol nunca foi esquecido. E eis que por meio de uma parceria, o clube surpreendeu a todos e celebrou o seu aniversário realizando um Festival de futebol com equipes sub-11, sub-15, feminina e veteranos.

Troféus - Estádio Luis Passador - Atibaia

O festival foi realizado no tradicionalíssimo Estádio Luiz Passador, o que representou a “desculpa ideal” para dar um novo rolê por Atibaia!

Estádio Luis Passador - Grêmio Esportivo Atibaiense

O Estádio foi construído no mesmo ano em que o clube nasceu: 1934 e seu nome é uma homenagem a um entusiasta do futebol que trabalhava na Companhia Têxtil Brasileira.

Estádio Luís PAssador - Grêmio Esportivo Atibaiense

Mais uma bilheteria para a nossa coleção!

Estádio Luís PAssador - Grêmio Esportivo Atibaiense

O estádio ocupa uma área enorme, com muita possibilidade de se expadir, caso um dia isso seja necessário!

Estádio Luis Passador - Atibaia

Estádio Luis Passador - Atibaia

O convite para o evento foi feito pelo amigo Mário que ainda jogou o festival na partida dos veteranos!

Mário - Atibaia

O estádio possui uma arquibancada para cerca de 1.500 torcedores, como se pode ver nas fotos abaixo:

Estádio Luis Passador - Atibaia - Grêmio Esportivo Atibaiense

Estádio Luis Passador - Atibaia

Aqui, olhando o estádio das arquibancadas, o meio campo:

Estádio Luis Passador - Atibaia

Aqui, o gol da esquerda:

Estádio Luis Passador - Atibaia

Ali, os bancos de reserva:

Estádio Luis Passador - Atibaia

Vamos ouvir o Mário explicar a ideia do evento:

Pra nós, sempre uma honra pisar em solo futeboleiro sagrado!

Estádio Luis Passador - Atibaia

Olha aí o pessoal do EC Votoran de Botucatu, adversário histórico da época do amador:

EC Votoran - Botucatu

EC Votoran - Botucatu

EC Votoran - Botucatu

O time visitante saiu vitorioso no sub 15.

EC Votoran - Botucatu

Foi emocionante acompanhar também o time dos veteranos do Grêmio Esportivo Atibaiense:

Grêmio Esportivo Atibaiense

Alguém até levou uma foto de 25 anos atrás onde eles estavam reunidos jogando pelo mesmo Grêmio Atibaiense:

Grêmio Esportivo Atibaiense

Vale lembrar que a cidade ainda teve o time do Boavista FC, fundado em 1961 e que participou da Quarta Divisão do Campeonato Paulista em 1962 e 1963.

Boa Vista FC - Atibaia

Outro time que também jogou o futebol profissional do Campeonato Paulista foi o São João FC (distintivo disponibilizado no site História do futebol):

São João FC - Atibaia

O São João FC foi fundado em 2 de fevereiro de 1930, em homenagem ao padroeiro da cidade e disputou o Campeonato Paulista do Interior e a Quarta Divisão do Campeonato Paulista em 1963 e 65.

São João FC - década de 60

Demos um pulo na sede do clube, onde antes ficava também o Estádio do time. Vale lembrar que desde 1971, o clube mudou seu nome para São João Tenis Clube:

São João FC de Atibaia

Infelizmente pela quarentena, a gente não pode entrar no clube pra fazer umas fotos de onde ficava o Estádio, mas encostamos no portão lateral pra Mari fazer umas fotos do atual campo de futebol que atende os sócios.

São João FC - Atibaia

E aí está o atual campo de futebol:

São João Tenis Clube - Atibaia

O clube é uma beleza! Mas o futebol profissional está definitivamente esquecido…

São João Tenis Clube - Atibaia

São João Tenis Clube - Atibaia

É isso aí… Futebol, história e amigos…

Futebol Atibaia

APOIE O TIME DA SUA CIDADE!!

 

Paraguaçuense e o resgate de seu troféu

Distintivo do EC Paraguaçuense

De tempos em tempos o futebol do interior paulista nos surpreende, com times inesperados e campanhas surpreendentes. Alguns desses times são muito queridos pela mídia e representam grandes cidades, o que acaba sendo uma grande festa. Mas, as vezes essas conquistas vão além e desafiam qualquer previsão.

E isso foi o que aconteceu em 1993, com a conquista da “Divisão Intermediária” ( o equivalente à série A2 da época), pelo EC Paraguaçuense.

EC Paraguaçuense 1993

Já estivemos em Paraguaçu registrando seu estádio (confira aqui como foi) e também escrevemos um pouco sobre a camisa e a história do time.

Naquele ano, chegaram ao quadrangular final União Agrícola Barbarense, Comercial, Francana e o próprio Paraguaçuense.

A partida que decidiu o campeonato foi disputada em Paraguaçu Paulista, no Estádio Carlos Affini entre o time local e o Barbarense, que conquistaria o título e o acesso à primeira divisão com um simples empate.

O jogo termina com uma festa gigantesca para a pequena cidade do oeste paulista: EC Paraguaçuense 4×1 UA Barbarense. O time menos “badalado” conquistava a Intermediária Paulista!!! Confira o vídeo resgatado pelo torcedor e pesquisador Amarildo:

Porém o Paraguaçuense nunca recebeu esse troféu, porque na época, a capacidade dos estádios validavam as conquistas e acessos dos times.

O Estádio Carlos Affini fora recentemente ampliado para 10 mil lugares, exatamente para poder disputar a Intermediária, já que até 1992 sua capacidade era para apenas 2.600 torcedores.

Esepecula-se que a Federação não acreditava numa nova ampliação para a disputa da principal divisão do campeonato paulista, e em paralelo, duas equipes de prestígio pleiteavam a vaga: Francana e Comercial, ambas com estádios em condições de disputas maiores.

A Federação foi adiando a entrega do Troféu, e mesmo quando o Paraguaçuense oficializaou a nova ampliação, desta vez para os atuais 15 mil lugares, o troféu praticamente acabou esquecido por conta da reformulação apresentada para o futebol paulista.

Estádio Municipal Carlos Affini - EC Paraguaçuense

Nasciam as séries A1, A2 e A3, e uma inexplicável reorganizção dos times, obrigou o EC Paraguaçuense a disputar a série A2 e não a série A1, pela qual conquistou o direito, em campo.

O EC Paraguaçuense não tinha forças para bater de frente com a decisão da Federação Paulista e seguiu jogando a série A2 até 2002 quando acabou rebaixado para a série A3. Em 2007, decide abandonar o futebol profissional.

Mas… e o troféu? Porque no site da Federação Paulista, consta a lista dos campeões da “série A2” e o EC Paraguaçuense como o legítimo campeão de 1993…

É aí que surge a nova diretoria do EC Paraguaçuense, representada pelo presidente Petrus Ricardo para enfim requerir e conquistar o merecido troféu.

Depois de 27 anos de espera aí está o troféu de Campeão Paulista da Intermediária (Série A2), registrado pelo torcedor e historiador do clube Amarildo:

Amarildo - torcedor do Paraguaçuense

Aqui, a equipe de repórteres da Rádio Marconi, da época que cobriam os jogos: Adauto Marinho, Bacca, Chico Carlos, Pedrinho Militino e o próprio Amarildo!

EC Paraguaçuense campeão A2 - 1993

Aliás, o amigo Amarildo acabou representando a força da torcida ao colaborar com seus arquivos pessoais que reforçam e documentam a conquista.

Amarildo - Paraguaçuense

Amarildo - EC Paraguaçunse

A TV TEM (afiliada local da Rede Globo) até foi ao Estádio pra fazer uma matéria sobre a chegada do troféu!

EC Paraguaçuense campeão A2 - 1993

Festa mais que merecida, e com direito a vários protagonistas dessa história! Aqui, com Arlindo Mazzi, “Pilão”, ex-zagueiro do EC Paraguacuense nos anos 90.

Troféu EC Paraguaçuense campeão da série A2 1993

Aqui, o troféu com Nivaldo Francisco da Silva, o presidente que conquistou o título, em 1993 e o atual presidente Petrus Ricardo, que conseguiu buscar o troféu.

Troféu EC Paraguaçuense campeão da série A2 1993

Esse é o motorista  Tonanha, que transportava o time nos treinos, jogos por todo interior, e que é muito querido por todos:

Troféu EC Paraguaçuense campeão da série A2 1993

Na foto abaixo, o Amarildo reuniu Nivaldo Francisco da Silva (o presidente de 1993), Elzinha Pacheco (Secretaria de Educação Esportes e Cultura), Gilberto (ex jogador anos 90), e Júlio Cesar (atual secretário do EC Paraguacuense):

Troféu EC Paraguaçuense campeão da série A2 1993

Aqui: Chico Carlos (repórter da época), Pilão (jogador anos 90), Carlão (diretor nos anos 90), Bacca (repórter da época), Manga (goleiro reserva da época do título de 1993), Chaleira (goleiro nos anos 80), Dinho (dirigente da época), e Adauto Marinho (repórter da rádio Marconi da época de 1993).

Troféu EC Paraguaçuense campeão da série A2 1993

Que a conquista possa representar um novo momento e quem sabe incentivar a volta do Paraguaçuense ao futebol profissional!

APOIE O TIME DA SUA CIDADE!!!

CINEFOOT #11: Online e gratuito

Pessoal, começa hoje a noite (20/11) a 11ª ediçao do CINEFOOT – O Festival de cinema de futebol da América Latina.

CineFoot

Mesmo com a pandemia, houve um número recorde de participantes (76 filmes), e com uma forte carga social, reconhecendo a importância de várias personalidades negras. Até por isso, a estreia é hoje, no Dia da Consciência Negra (marcada no Brasil por um assassinato racista cometido na noite de ontem pela equipe de seguranças do Carrefour, em Porto Alegre.

Para conhecer a programação completa do festival, basta acessar o link da programação (é só clicar aqui).

APOIE O FILME DA SUA CIDADE!!!

Postado em Filme futebol on 20 de novembro de 2020 – 20:11 | Comentários (0)
Tagged |

O Estádio do Souzas FC (Campinas)

Recentemente assisti a esse vídeo sobre o Estádio Cerecamp e fiquei sabendo (ali por volta do minuto 3 do vídeo) que o EC Gazeta de Campinas chegou a mandar seus jogos em outros dois estádios da cidade: o Campo do Náutico, no Jardim Leonor e o Campo do Souzas.

Estivemos recentemente no Estádio do Jd Leonor, o Campo do Náutico, e agora aproveitamos para registrar o Estádio Municipal José Iório, o campo do Souzas FC.

Estádio Municipal José Iório - Campo do Souzas FC - Campinas

O Souzas FC é um time amador de Campinas, e que tem muita história. Foi fundado em abril de 1918.

Souzas FC

No ano do centenário, o “Leão do Ramal Férreo” chegou a fazer um grande evento no seu estádio, o Estádio Municipal José Iório reunindo cerca de 1500 pessoas. O Jornal Local chegou a publicar algumas fotos do evento:

Estádio Municipal José Iório - Campo do Souzas FC - Campinas

Estádio Municipal José Iório - Campo do Souzas FC - Campinas

Não consegui entrar dentro do Estádio para imagens mais legais, mas dali da entrada deu pra registrar o campo. O gol da esquerda:

Estádio Municipal José Iório - Campo do Souzas FC - Campinas

O meio campo:

Estádio Municipal José Iório - Campo do Souzas FC - Campinas

O gol da direita:

Estádio Municipal José Iório - Campo do Souzas FC - Campinas

As arquibancadas ficam do lado da entrada do estádio.

Estádio Municipal José Iório - Campo do Souzas FC - Campinas

Dá só uma olhada:

Os caras tiveram até um contato especial com os bancos de reserva:

Estádio Municipal José Iório - Campo do Souzas FC - Campinas

Estádio Municipal José Iório - Campo do Souzas FC - Campinas

Ao fundo as casas do bairro.

Estádio Municipal José Iório - Campo do Souzas FC - Campinas

Ali próximo fica o Rio Atibaia, como dá pra ver no lado direito do mapa:

Estádio Souzas

Encontrei também umas fotos de dia de jogo, na Fanpage do Souzas FC:

Estádio Municipal José Iório - Campo do Souzas FC - Campinas

Aí fica ainda mais clara a beleza das arquibancadas do Estádio!

Estádio Municipal José Iório - Campo do Souzas FC - Campinas

Estádio Municipal José Iório - Campo do Souzas FC - Campinas

Estádio Municipal José Iório - Campo do Souzas FC - Campinas

Antes que vc estranhe o local do gol, é porque é uma partida do sub 13, então utilizam o campo na lateral!

Estádio Municipal José Iório - Campo do Souzas FC - Campinas

Como relembramos lá no início do post, esse foi o campo usado pelo Gazeta na disputa do futebol profissional, mas não só por isso, caracteriza-se como um local histórico.

Estádio Municipal José Iório - Campo do Souzas FC - Campinas

APOIE O TIME DA SUA CIDADE!!!

O futebol em Cosmópolis – Parte 2

brasão de Cosmópolis

Este post se complementa com o que já escrevemos sobre a UE Funilense (veja aqui alguns registros do já falecido Estádio Arthur Nogueira, o “Estádio da Usina“).

União Esportiva Funilense

Sempre gostei de viajar… Tenho ligações e memórias carinhosas com muitas cidades, mas existem 4 que tem um lugar especial no meu coração: Santo André, Itanhaém, Buenos Aires e … Cosmópolis, a cidade da Mari e onde sempre estamos presentes pra curtir a família, a natureza ou mesmo pra servir de parada pross rolês do interior afora!

Cosmópolis

E embora tenha registrado a UE Funilense e seu estádio várias vezes (aqui tem mais um post sobre eles) faltava um time da cidade para ser registrado, que embora também tenha perdido seu estádio para o crescimento urbano, segue firme e forte, já tendo passado do seu centenário.

Trata-se do time que nesse 15 de Novembro, completa nada menos do que 115 anos, falamos do Cosmopolitano FC, fundado em 1915!!

Cosmopolitano FC

Na época de sua fundação, Cosmópolis era apenas um distrito de Campinas.

O nome da cidade significa “cidade universo“, e é uma relação direta à história da ocupação de suas terras por uma infinidade de imigrantes de diferentes nacionalidades.

Vale lembrar esse momento da história, quando o fim da escravização fez com que os cafeicultores paulistas perdessem sua principal mão de obra e razão de tamanha lucratividade com o café.

O historiador de Cosmópolis Adriano da Rocha escreveu recentemente sobre como as marchas dos escravizados da região utilizavam o rio Baguá e acabaram criando as estradas entre algumas das cidades da região. Essa e outras histórias sobre a cidade podem ser conferidas na fanpage Acervo Cosmopolense.

Esse é o Rio Baguá em 1955, em foto do Acervo Filhos da Terra.

Rio Baguá - Cosmópolis

Uma vez aterrorizados com a ideia de não ter mão de obra, os “barões do café” passaram a bancar a vinda de imigrantes europeus para trabalhar na lavoura (num segundo momento o próprio Governo passou a realizar tal ação).

Só depois de chegar aqui, o imigrante entendia as “letrinhas miúdas do contrato” e descobria que ele deveria pagar pelos custos de sua viagem, e também pela habitação, comida e etc… Não a toa, muitos acabaram desistindo ou tentando desistir, já que legalmente estavam presos a um contrato em que a cada mês trabalhado suas dívidas com os donos da terra só aumentavam.

Foi assim que cidade viu surgir suas colônias de imigrantes, sendo a primeira delas a Colônia Núcleo Campos Sales (formada por suíços). Até escolas foram criadas para atender às colonias, como a tradicional Escola Alemã, que atualmente mantém uma série de festividades relacionadas à cultura alemã. Fotos do Portal Cosmopolense:

Escola Alemã - Cosmópolis

Festa na Escola alemã - Cosmópolis

Com o Brasil investindo em sua industrialização, em 1898 foi fundada a Usina Ester, o que de certa maneira dividiu a cidade entre a turma da Usina, a vila e as famílias que viviam da agricultura. Leia aqui o post que mostramos algumas imagens da Usina.

Usina Ester

Em 1906, surge o distrito de Cosmópolis e em 30 de novembro de 1944 eleva-se à condição de Município.

A “terceira onda” de desenvolvimento da cidade veio na década de 50, com os trilhos da Estrada de ferro da Funilense, braço da Sorocabana, que cruzava a Região Metropolitana de Campinas (Cosmópolis, Paulínia, Artur Nogueira, Engenheiro Coelho e Conchal).

Eu costumo comparar a estrada de ferro à Internet porque representava a porta de entrada de muita informação para a cidade. Consequentemente é nessa época que a cidade mais se desenvolve.

Estrada de Ferro Funilense

Foi este o cenário que colaborou para formação e fortalecimento do Cosmopolitano FC, que praticamente acompanha todo o desenvolvimento da cidade.

A principal fonte de informações para este post foi o livro “A história dos 100 anos do Cosmopolitano FC“, escrito por Walber Kowalesky e Antono Rodolfo Rizzo (interessados em adquirir o livro, contatar o próprio clube).

Livro 100 anos do Cosmopolitano FC

O livro apresenta uma série de fotos históticas que permitem registrar a história do clube, com times de várias épocas, esse foi o que jogou em 1917:

Cosmopolitano FC 1917

Inicialmente, o Cosmopolitano FC mandava seus jogos em um campo ao lado da Igreja Matriz, mas em 15 de novembro de 1919 conseguiram inaugurar sua “Praça de esportes“, com direito a uma arquibancada de 20 metros e 6 degraus, em uma partida onde empataram em 1×1 com a AA Ponte Preta.

Cosmopolitano FC x AA Ponte Preta

Pra se ter ideia da importância do campo do Cosmopolitano, basta pensar que na época, nem Guarani ou Ponte Preta possuiam estádio. Veja que incrível registro de um amistoso em 1920:

Amistoso 14/3/1920

Até detalhes do uniforme dos anos 20, podem ser observados:

Atleta Cosmopolitano FC 1920

Outra imagem deste ano, que estão no site “Relíquias do futebol“:

Cosmopolitano FC 1920

E assim, as primeiras décadas foram marcadas por partidas disputadas com adversários da região, como em novembro de 1920, na celebração de 5 anos do clube, quando o Cosmopolitano FC ganhou a Taça Carvalho & Fonseca, vencendo por 4×1 o Clube Concórdia, de Campinas.

Clube Concórdia

A partir de 1921, filia-se à Liga Funilense de Futebol e já em 1922, sagrou-se campeão da Liga. Além disso, houve um torneio comemorativo ao centenário da Independência do Brasil, onde venceu o União Coqueiros FC por 4×0.

Cosmopolitano FC 1922

Em 1923, mais uma conquista da Liga disputada contra times como o Usina Esther FC, Guaiquicano FC, Paulinense FC, entre outros. Ainda nesse ano, levou a taça “Câmara Municipal de Campinas” ao vencer o Voluntários da Pátria FC, por 2×0 em 9 de setembro de 1923.

Cosmopolitano FC - 1923

Em 1926, seguem as partidas e campeonatos regionais e esse foi o time que representou o Cosmopolitano FC.

Cosmopolitano fc 1926

Até o fim dos anos 20, o esquadrão cosmopolitano foi batendo adversários como o Capão Fresco FC (Betel), João Aranha FC, Quilombo FC (ambas de Cosmópolis), EC Tujuguaba (Conchal), União Internacional FC (Arthur Nogueira), Brasil FC (Campinas), Salto Grande FC e o CA Comercial (Limeira).

Aqui o registro do embate contra o Conchal FC, valendo a “Taça Apito” em 1927:

Cosmopolitano fc 1927

A década de 30 se inicia com o time se cadastrando na Liga Campineira de Esportes Athléticos. Aqui o time de 1931 que iria enfrentar o São Paulo Railway AC, conforme conta o jornal “A Gazeta“:

São Paulo Railway AC

Amistoso com o SP Railway AC

Cosmopolitano FC 1931

Infelizmente a Revolução Constitucionalista de 32 paralisou todas as competições esportivas do estado e a Liga Campineira não teve final naquele ano, mas encontrei no jornal “A Gazeta” uma nota sobre a 3a rodada, onde o Cosmopolitano FC é chamado de Cosmópolis:

Campeonato da Liga Campineira

O Cosmopolitano FC foi campeão da sua série e chegou à final do campeonato, perdendo por 3×1 para o Corinthians, que se tornou bicampeão campineiro.

Liga Campineira - Corinthians campeão 1932

Cosmopolitano FC 1932

Em 15 de Novembro de 1933, foi disputada uma partida em homenagem ao aniversário do Cosmopolitano FC e mais uma taça garantida com a vitória por 1×0 contra o time da Tecelagem Libanesa de São Paulo. O Correio de São Paulo até divugou o jogo:

Cosmopolitano FC x Tecelagem Libanesa

O Cosmopolitano FC foi ainda campeão da Liga Campineira de 1933, após vencer o Pátria FC, no Estádio do Guarani, por 2×0. Segue uma nota da vitória da primeira rodada:

Liga Campineira de 1933

E a matéria do jornal “A Gazeta”, de 22 de janeiro de 1934 (disponibilizada pelo amigo Celso Franco, pesquisador do futebol campineiro) que mostra a vitória final:

Cosmopolitano FC campeão da liga campineira

Cosmopolitano FC campeão 1933

Cosmopolitano FC campeão campineiro 1933

Em 1936, o ano seria macado por mais um amistoso contra uma equipe paulistana: Clube Atlético Lapa. Distintivo disponibilizado pelo site História do Futebol:

Clube Atlético Lapa

Cosmopolitano FC 1936

Os anos 40 mantiveram a sequência de amistosos e desafios com destaque para o jogo contra o CR Floresta (de Artur Nogueira) em março de 1946, viória do time de Cosmópolis por 3×2.

CR Floresta - Artur Nogueira

Em 47, uniram-se os rivais citadinos Cosmopolitano FC e Adm Usina Ester para formarem uma seleção e enfrentar no Estádio Thelmo de Almeida o Guarani FC de Campinas: vitória do Bugre por 3×2.

Em 48, uma série de bons resultados registrados:

Cosmopolitano FC - 1948

Em 49, constam duas partidas jogadas como visitante: Itaicy FC 1×1 Cosmopolitano FC e EC Prada (Limeira) 0x1 Cosmopolitano FC.

Aqui, o time de 1952:

Cosmopolitano FC 1952

Aqui, o time de 1953:

Cosmopolitano FC 1953

Em 1954, um amistoso com um misto do Guarani FC.

Em 1955, um grande acontecimento, graças aos esforços de Adão Martelli Filho e Francisco de Mário, o Cosmopolitano FC foi convidado para disputar um amistoso contra a AA Avenida (de Salto), no Estádio do Pacaembú. A partida seria a preliminar de Palmeiras x Vasco (pelo Rio São Paulo daquele ano). Público presente: quase 40 mil pessoas! Infelizmente a tarde não estava para o time do Cosmopolitano FC que foi batido por impiedosos 7×3.

Cosmopolitano FC no Pacaembu

Em 1956, o time disputou o Setor 12 do Campeonato Amador do Interior ao lado da AA Internacional (Limeira), do CA Usina Santa Bárbara e da AE Internacional (Santa Bárbara), CA Usina Iracema (Iracemápolis) e EC Paulista (Santa Bárbara D’Oeste) como mostra a Gazeta Esportiva:

Gazeta Esportiva - Campeonato Amador do Interior 1956

Gazeta Esportiva - Campeonato Amador do Interior 1956

O time de 1957 tem uma característica muito especial: o quarto jogador postado em pé, da esquerda pra direita é o “João Bocão“, também conhecido como o vô da Mari infelizmente, já falecido:

Cosmopolitano FC 1957

Cosmopolitano FC 1957

Em 1957, o time disputou o Campeonato Amador do Interior, ao lado de outros 3 times na série B do setor 13:

Campeonato Amador do Interio em 1957

Ainda naquele ano, disputou o Torneio João Mendonça Falcão, ao lado da UA Barbarense, AA Ararense, AA Internacional (Limeira), SER União São João e EC Lemense, Canto do Rio FC (Americana), como mostram diversas notas da Gazeta Esportiva da época de outubro de 1957, até a final em janeiro de 1958:

Torneio João Mendonça Falcão

Torneio João Mendonça Falcão 1957

Torneio João Mendonça Falcão 1957

Torneio João Mendonça Falcão - 1957

Torneio João Mendonça Falcão 1957

Torneio João Mendonça Falcão 1957

A Gazeta Esportiva divulgava o que seria o jogo final:

Torneio João Mendonça Falcão - 1957

E infelizmente… o resutado 9×3 para os grenás da AA Ararense…:

Torneio João Mendonça Falcão 1957

Cosmopolense FC 1957

Torneio João Mendonça Falcão 1957

Torneio João Mendonça Falcão 1957

Em 1958, o Cosmopolitano FC disputou o setor 21 da zona 14 do Campeonato Amador do Interior, ao lado de potencias como o XV de Piracicaba, e o União Agrícola Barbarense, como registrou a Gazeta Esportiva:

Campeonato Amadora de 1958

Aqui os jogos, alguns resultados e a classificação do grupo:

Campeonato do Interior – 1958

Campeonato do Interior – 1958

Em 15 de Novembro, em comemoração ao aniversário do clube, venceu o EC Mogiana por 3×1, como apresentou a matéria da Gazeta Esportiva da época:

Gazeta Esportiva - 1958

Aqui, o 2o quadro de 1958:

Cosmopolitano 1958 - 2o quadro

Este, o primeiro quadro:

Cosmopolitano 1958 - 1o quadro

Em 59, disputou o amador do estado.

Cosmopolitano FC 1959

Em 1961, seu estádio ganha a denominação “Estádio Thelmo de Almeida” em homenagem a um dos sócios fundadores do clube que fez história jogando, apitando ou ajudando na organização do time.

Thelmo de Almeida

Este foi o time de 1961, que empatou com o juvenil da AA Ponte Preta por 1×1.:

Cosmopolitano FC - 1961

Em 62, mais jogos importantes disputando o amador do estado (não encontrei maiores detalhes sobre sua participação neste campeonato).

Cosmopolitano FC 1962

Cosmopolitano FC 1962

Aqui, um flagrante da diretoria do clube em 1962 (até Antonio Pinto, um dos fundadores do clube ali sentadinho):

Diretoria em 1920

Olha que maravilha a arquibancada coberta do Estádio Thelmo de Almeida, lotadinha em uma partida contra o Botafogo local!

Arquibancada do Estádio Thelmo de Almeida 1962

1963: mais uma boa sequência, com direito a participação no Campeonato Amador da Federação (não encontrei maiores detalhes sobre sua participação neste campeonato):

Cosmopolitano FC 1963

O time de 1963:

Cosmopolitano FC 1963

Em 1964, mais uma vez o time disputa o Campeonato Amador do Estado, pelo Setor 21 e monta um grande time, que em março bate o Barão Geraldo por 6×2. Temos ainda uma ficha técnica disponibilizada pelo incrível site História do Futebol com o registro de incrível goleada:

Campeonato Amador do Estado - 1964

Aqui, o time de 1964:

Cosmopolitano FC 1964

Aqui uma imagem da fachada do estádio em 1965, que recebeu o time de aspirantes do Guarani para uma peleja, também do site “Relíquias do futebol” (eles deram uma bela tratada na imagem do livro e a foto ficou linda!):

Estádio Thelmo de Almeida - Cosmopolitano FC

E aqui, uma foto do derbi no campo da Usina Ester:

Cosmopolitano FC - Campeonato Amador de 1965

Em 1966, sagrou-se campeão do setor 13, zona 22, numa sequência invicta de 25 jogos.

Cosmopolitano FC 1966 - Campeão amador do setor

No time, ainda tem o “Tio Tito”(tio avô da Mari):

Cosmopolitano FC 1966

Veja a faixa feita na época para comemorar o título e já aparecendo seu mascote!

Cosmopolitano FC - Campeao do setor - Amador 1966

Embora o time fosse conhecido como o “Galo da Funilense“, logo, ganhou um mascote oficial, o papagaio da vila:

Mascote do Cosmopolitano FC

Em 1967, mais uma vez disputou o amador da Federação Paulista, mas antes venceu um amistoso contra o Real São Paulo de Campinas por 3×1. Pelo amador, o jogo contra a Usina Ester (futura Funilense) empatava em 0x0 quando um penalty foi marcado para o Cosmopolitano FC e o time da usina abandonou o campo, cabendo ao juiz dar a vitória ao time da vila.

Na última partida do amador, jogando em Serra Negra, venceu a Portuguesa local por 3×2.

O livro oferece duas fotos do time de 1967:

Cosmopolitano FC 1967

Cosmopolitano FC 1967

Em 1968, novamente uniram-se os times do Cosmopolitano FC e da Usina Ester para enfrentar o Guarani de Campinas, com vitória para os bugrinos por 3×2.

Cosmopolitano FC x Guarani FC

Cosmopolitano FC 1968

Há apenas o registro da vitória por 1×0 num amistoso contra o CA Silvicultura do Horto Florestal de São Paulo. Distintivo disponível no site História do Futebol:

CA Silvicultura

Aqui, o registro do time de 1969:

Cosmopolitano FC 1969

Cosmopolitano FC 1969

Os anos 70 parecem ter afastado o time das disputas do Campeonato Amador da Federação Paulista. Há o registro de um amistoso em 74: Cosmopolitano FC 1×0 São José (Campinas).

Cosmopolitano FC 1974

Já em 79: Cosmopolitano FC 1×0 EC Alvorada (Campinas) e celebrando o aniversário do clube um amistoso contra a Inter de Limeira.

Quase não há registros do futebol nos anos 80. Em 1990, o time que se sagrou campeão municipal também disputou uma com o União São João, vencendo por 3×2.

Cosmopolitano FC 1990

Em 96, foi campeão da Liga Cosmopolense e o torneio municipal “30 de novembro”, revivendo o derbi com o time da usina agora representados pela UE Funilense.

Cosmopolitano FC x UE Funilense

Cosmopolitano FC 1996

Em 1997, conquista o Campeonato Paulista de Futebol Amador promovido pela Federação Paulista, desta vez realizando a final contra o time do SR Cantareira. Primeira partida vencida por 2×0 no Estádio Thelmo de Almeida e o segundo um empate por 1×1 no Estádio Mansueto Pierrot, em São Vicente. Foram 10 vitórias, 3 empates e uma derrota!

Cosmopolitano FC 1997

Em 2001, definida a venda do estádio. Eram os últimos momentos de um dos estádios mais antigos do estado…

Estádio Thelmo de Almeida - Cosmopolitano FC

Foi realizada uma partida de despedida entre os ex atletas do Cosmopolitano FC e uma seleção de craques do passado, que venceram por 3×1.

Cosmopolitano FC 2001

Em 2002, acertada a compra do terreno onde seria construído o novo estádio.

Em 2003 foi inaugurado em partida cont

ra o time B do Corinthians, que terminou com a vitória cosmopolense por 3×2.

Cosmopolitano FC x Corinthians

Cosmopolitano FC 2003

E aqui está o Estádio Thelmo de Almeida, atualmente:

Estádio Thelmo de Almeida - Cosmopolitano FC

A placa celebrativa ainda homenageia mais um que tem estado bastante com a gente nessas andanças em busca de estádios: o Lúcio Carone (tio da Mari) que era o 2º secretário na época!

Estádio Thelmo de Almeida - Cosmopolitano FC

Vamos dar uma olhada no Estádio atualmente:

O Estádio possui uma estrutura bem maior que o original e fica na entrada da cidade.

Estádio Thelmo de Almeida - Cosmopolitano FC

Um grande lance de arquibancadas com 8 degraus, na lateral da entrada:

Estádio Thelmo de Almeida - Cosmopolitano FC

Estádio Thelmo de Almeida - Cosmopolitano FC

Além da arquibancada lateral, ainda existe um lance de arqubancadas atrás do gol!

Estádio Thelmo de Almeida - Cosmopolitano FC

Atrás do outro gol, os vestiários. E ali na lateral se pode ver os bancos de reserva e para os mesários / árbitros.

Estádio Thelmo de Almeida - Cosmopolitano FC

O Estádio além de bem cuidado e grandioso, possui toda a sinalização do clube, com seu nome no banco de reservas.

Estádio Thelmo de Almeida - Cosmopolitano FC

Olhando da arquibancada, esse é o gol da esquerda:

Estádio Thelmo de Almeida - Cosmopolitano FC

Aqui, o meio campo:

Estádio Thelmo de Almeida - Cosmopolitano FC

E aqui, o gol da direita:

Estádio Thelmo de Almeida - Cosmopolitano FC

Estádio Thelmo de Almeida - Cosmopolitano FC

A entrada do estádio possui ainda uma área verde que dá um charme especial ao Estádio.

Estádio Thelmo de Almeida - Cosmopolitano FC

Em 2007 e 2008, o sub 15 e o sub 17 disputam o Campeonato Paulista sa categoria.

O clube segue sua vida equilibrando as atenções entre o social e os esportes.

E pra terminar, o seu hino:

hino cosmopolitano fc

E olha que legal esse anúncio da Usina Esther pra terminar o post:

Usina Ester

APOIE O TIME DA SUA CIDADE!!!

As Mil Camisas em Louveira

Brasão de Louveira

Nessas idas e vindas pra Cosmópolis feitas nos últimos 13 anos, sempre  arrumo um tempinho pra entrar em alguma cidade no meio do caminho e foi assim que em 2010, acabei visitando Louveira, uma cidade próxima de Jundiaí que possui cerca de 45 mil habitantes e assim pude registrar o Estádio Municipal José Silveira Nunes.

Estádio Municipal José Silveira Nunes - Campão - Louveira

O nome da cidade se refere a árvore louveira, uma espécie em extinção. Tão em extinção que nem foto da danada eu achei…

A cidade de Louveira tem uma curiosidade: não tem ônibus de São Paulo direto pra ela, e mesmo a Ferrovia, do passado, também não fazia parte dessa ligação.

 

Louveira

Algumas casas antigas relembram o passado da cidade… ou assombram o presente?

 

Louveira

O Estádio Municipal José Silveira Nunes é um estádio muito bacana, mas nunca houve na cidade um time que disputasse as categorias profissionais do futebol.

Estádio Municipal José Silveira Nunes - Campão - Louveira

Possui uma bela arquibancada na região central.

Estádio Municipal José Silveira Nunes - Campão - Louveira

Estádio Municipal José Silveira Nunes - Campão - Louveira

E um gramado muito bem cuidado, realmente um tapete.

Estádio Municipal José Silveira Nunes - Campão - Louveira

O estádio já recebeu a Copa São Paulo de Futebol Júnior, tendo o Guarani, o Bahia e o RedBull como mandantes.

Estádio Municipal José Silveira Nunes - Campão - Louveira

Estádio Municipal José Silveira Nunes - Campão - Louveira

Mais recentemente mantém-se focado no futebol amador de Louveira.

Estádio Municipal José Silveira Nunes - Campão - Louveira

Ele também é chamado de “campão”.

Estádio Municipal José Silveira Nunes - Campão - Louveira

Aqui, uma visão de dentro do campo:

Estádio Municipal José Silveira Nunes - Campão - Louveira

Estádio Municipal José Silveira Nunes - Campão - Louveira

 

Estádio Municipal José Silveira Nunes - Campão - Louveira

Suas arquibancadas tem capacidade para 2.500 torcedores.

Estádio Municipal José Silveira Nunes - Campão - Louveira

Estádio Municipal José Silveira Nunes - Campão - Louveira

Olhando lá da arquibancada pode se ver que ainda há uma linda área verde (pelo menos havia em 2010, será que ela segue por lá?).

Estádio Municipal José Silveira Nunes - Campão - Louveira

Percebe-se também que eu era mais magro hehehehe

Estádio Municipal José Silveira Nunes - Campão - Louveira

Atualmente, a Prefeitura prometeu uma reforma completa, com instalação de cobertura metálica, reforma na cabine de transmissão, sistema elétrico, pintura, melhoria na iluminação e campo, reforma nos vestiários, guarda corpos e troca dos portões principais. Aguardemos…

APOIE O TIME DA SUA CIDADE!!!